Vá de Sedex :: Siga pelo Email

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

[História dos Videogames] Capcom v.s. SNK 3: sequência estava em produção antes da grande falência da SNK.

 


Sem dúvida alguma, Capcom v.s. SNK foi uma das maiores surpresas dos jogos de luta 2D. Marcando um encontro intergaláctico entre duas rivais dos Arcades japoneses. Segundo a revista Famitsu, o jogo se tornou o maior sucesso entre os estabelecimentos de fliper do país nipônico, desbancando até mesmo o inédito grande e último lançamento da SNK: The King of Fighters 2000.  

No Brasil, KOF 97 transcendeu gerações pós-febre de SF II. Um encontro de duas gigantes que marcou o fim do milênio e também a biblioteca de jogos durante o curto tempo do último console da SEGA, o Dreamcast. Uma versão definitiva, Capcom v.s. SNK PRO, saiu em 2001. Um ano depois, em 2002, o PlayStation - impressionantemente - recebe uma conversão deste que seria o último jogo de luta do console. 

Sony PlayStation surgiu em 1994 e trouxe uma leva de jogos para uma audiência mais adulta, títulos que surgiram e bombaram mundialmente entre 1995 e 1997 (seu maior frisson), definindo aí um único império que substituiria a eterna guerra entre SEGA vs Nintendo e solidificando então a era dos CDs em videogame 32 Bits - um sucesso que o 3DO da Panasonic buscou alcançar, em grandiloquência, com tecnologias amplas e diversas. O 3DO foi um projeto grandioso aos olhos sonhadores da Panasonic , porém, o PlayStation da Sony buscou se focar apenas numa plataforma voltada para jogos. Sendo então, a escolhida vitoriosa pelos consumidores de videogame por ser mais objetiva com o marketing agressivo. 

Hoje, sabemos que literalmente o público de jogadores dos consoles PlayStation - e ainda mais definido pelo PlayStation 2 - dominam as redes sociais e os canais de comunicação na internet brasileira. Por isso, o Capcom v.s. SNK Pro - uma atualização completa do original - é muito mais popular no PSX do que o originalmente lançado para o Dreamcast. 

No mesmo ano, 2001, quando a SEGA decreta falência de seu hardware, o Dreamcast, e de toda a sua divisão voltada para esse ramo de mercado competitivo, a SNK (dos incríveis jogos de Arcade de 1990 - o pai de Fatal Fury), lança os seus últimos Metal Slug 3 e The King of Fighters 2000, ao mesmo tempo em que o anuncio repercute em toda a mídia de que a SNK está fechando as portas. 

Ainda em seus tempos dourados, a SNK se tornou revelação pelas suas poderosas propagandas de grandeza.  A campanha frisava em toda a potência de sua placa MVS  - os mais de 100 chocantes megabits de seus jogos. Os anos 90 era uma década em que os videogames nos mostrava a maior guerra de tecnologias desde a guerra fria. Foi então um jogo de guerra, NAM - 1975, o primeiro da MVS a aparecer nas revistas. Depois de uma história de sucessos que culminou com a série The King of Fighters como o seu carro chefe (sendo este então, fechando com chave de ouro um ciclo em KOF 2000), a SNK estava dando adeus, fechando as portas em 2001  - o começo de um novo milênio, século XXI, e o fim de uma era, grande era. 

Em 22 de Outubro de 2001, o fundador da SNK, Eikichi Kawasaki, não estava se vendo confiante com o futuro da empresa e decide fechá-la para abrir uma substituta, nasce a Playmore. A então nova empresa, compra os direitos de propriedade da SNK antes de retirar o nome provisório, "Playmore".

Em meio a transição e o caos, Capcom v.s. SNK 3 se encontrava em uma posição impossível de seguir com o seu desenvolvimento. Representando a Capcom, Hideaki Itsuno, diretor de Capcom v.s. SNK 2, alega que a sequência seria o último jogo de luta 2D da empresa. 

Porém, no decorrer do processo, ele estava assumindo qualidades de um jogo 3D. Estaríamos então olhando por um jogo aos moldes shell shading (gráficos 3D com aparência de modelagem 2D, a exemplo de Tatsunoko v.s. Capcom) ou algo próximo do fenômeno homônimo Street Fighter IV ? Um jogo de luta 2D com gráficos em 3D? O jogo estava programado para ser lançado no Playstation 2. Não se sabe se veremos algum protótipo disso em algum momento mas sabe-se que Itsuno se vê empolgado em voltar a trabalhar nesse projeto algum dia. E nós torcemos também.


Curiosidade
A foto que abre essa matéria é de uma brincadeira de primeiro de Abril da revista Famitsu em 2012, se apresentando um potencial lançamento para o então inédito Playstation 4, e que pegou muito influenciador de surpresa. 













Bibliografia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...