Em Destaque

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Dedo no Joystick: Digimon Rumble Arena

Digimon Rumble Arena



Jogos de luta sempre estiveram por aí, mas com um foco maior no público “mais crescidinho” em diante, mas isso não impedia que a criançada não os aproveitasse também (e sem o cultivo de personalidades psicóticas, como alguns gostam de argumentar). Mas daí veio Super Smash Bros. e deu um acesso maior desse estilo nas mãos das crianças. Hoje falaremos de Digimon Rumble Arena, um game de luta que se foca mais nos “pequerruchos” mas que não deixa de agradar aos “maiorzinhos” também.

Poder fazer lutas como War Greymon VS. Metal Garurumon não tem preço
   
Digimon Rumble Arena não possui uma história, ele apenas coloca os digimons na sua mão para lutar sem qualquer contexto. Mas, afinal, quem precisa dele mesmo, não?
É possível controlar digimons das três primeiras temporadas do desenho, sejam eles em sua forma pequena ou suprema. Inicia-se com nove personagens pequenos e, a partir deles, deve-se destravar os outro dezesseis personagens. No final das contas, é possível jogar com digimons pequenos, evoluídos, fusões e chefes.


Olho no lance!
  
As batalhas acontecem em cenários típicos do anime. Há floresta, vulcão, templo, fábrica... Tudo muito estereotipado. Mas há vida nas arenas, pois elas apresentam mudanças e variações com o desenrolar da batalha.
Na arena da caixa, ela gira periodicamente, derrubando tudo e todos. Na arena do templo, podem ocorrer tempestades de raios, na do vulcão, erupções, e por aí vai. Esses efeitos podem atrapalhar ou incrementar sua estratégia e adicionam um tom mais épico nas batalhas.
Além do lutar, é possível participar de alguns mini-games. Mas eles são muito sem graça, além de curtos e demorarem muito para carregar. Não vale nem um pouco a pena.


É muito detalhe pra pouco personagem
  
Graficamente o jogo não é feio. Há uma boa modelagem e animação. Os personagens são bem detalhados e é possível notar asas batendo e pulsos se dobrando. Só as texturas que sofrem um pouco, por serem um pouco lisas e lavadas demais.
A trilha sonora possui um estilo bem “anime” e combina bem com o clima do game. As músicas são legais, mas algumas cansam se ouvidas muito ao decorrer de uma batalha, convertendo a animação em um sentimento mais enfadonho. Mas não chega a atrapalhar muito. Além do mais, os sons dos golpes e objetos são bastante fiéis.
Há um bom sistema de impacto, dando a oportunidade de sentir cada golpe sendo desferido, em especial os golpes de agarrão e chute, que são impagáveis.
E apesar de tantos eventos ocorrendo na tela, o jogo é bastante fluido e não apresenta qualquer lentidão. Isso é indispensável em uma game de luta, onde o menor erro pode resultar em uma derrota vergonhosa.


Que falta de educação, Seraphimon!

Digimon Rumble Arena é um ótimo jogo. Simples de ser jogado e sem comandos difíceis. Sua dificuldade também não é alta, tudo isso para agradar o público infantil. Mas isso não significa que seja um jogo que não possa ser aproveitado pelos mais velhos.
Para aqueles que querem fugir dos encontros aleatórios de Pokémon e dos combos complicados de Tekken, Digimon Rumble Arena é uma ótima pedida.


Nome: Digimon Rumble Arena
Plataforma: PlayStation
Pontos Fortes: Arenas e sistema de impacto
Pontos Fracos: Mini-games e dificuldade um pouco baixa
Nota do Léo: 7,0
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...