Em Destaque

domingo, 25 de maio de 2014

[Sessão Crítica] X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido 3D Legendado

NESTA POSTAGEM
SESSÃO CRÍTICA
X-MEN: DIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO
FICHA TÉCNICA


SESSÃO CRÍTICA
X-MEN: DIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

ENCONTRO DE 
GERAÇÕES
Trama não resolve a todas as questões dos capítulos anteriores, 
mas traz uma conclusão satisfatória

Depois de se ausentar da direção da cinessérie X-Men, Bryan Singer se revelou como produtor em X-Men: Primeira Classe. Entre altos e baixos, o mais fascinante é se reencontrar com 100% do elenco intacto há quase 14 anos, desde X-Men (2000) - aplausos também para os produtores por manter o elenco, de forma coerente, até agora. Mesmo com as transformações e passagens ocorridas nas outras produções sem a direção de Singer, "Dias de Um Futuro Esquecido" não ignora os trabalhos anteriores. 

A exemplo de Superman: O Retorno, Singer traz ao seu terceiro X-Men o valor de conduzir tudo com um pouco de nostalgia - a começar pela música de introdução do primeiro longa dos mutantes. Com as devidas referências, o estilo "conservador" do diretor mantém a concentração maior nas interpretações, acabando por deixar um ritmo mais "pesado" de acompanhar. "Poucos efeitos efeitos especiais e foco nas atuações" assim era o dilema desde o primeiro longa da série - bem seguido por outros diretores até aqui.

Evan Peters é revelação como Mercúrio ("Quicksilver" no original), trazendo a leveza que o título precisava à base da agilidade - despertando interesse, empolgação e risada por parte do público. Sinto muito, odiadores da Fox, pois Peter (como o personagem é conhecido em sua identidade secreta) vai acabar dando um baita trabalho pra versão da Marvel.

A queridinha Jennifer Lawrence, aos poucos, começa a assumir o visual mulherão da estonteante "Rebecca Romijn", a Mística da trilogia clássica (2000-2005).  Bishop (Omar Sy) é um dos novos esperados mutantes adaptados para o longa - na edição legendada de cinema o personagem mantém o mesmo nome sem tradução enquanto nos quadrinhos lançados no Brasil é traduzido como Bispo. 

O encontro entre duas gerações neste X-Men não parece tão pretensiosa e a esperada interação acontece com naturalidade. Ver Hugh Jackman (Wolverine), James McAvoy (Xavier), Michael Fassbender (Erik), Patrick Stewart (Professor X), Ian McKellen (Magneto) entre tantos outros, protagonizando o mesmo longa não tem preço. Ao menos para os fãs da cinessérie. Mesmo não sendo tão direto, completo e satisfatório como vemos em Os Vingadores, o encontro (dentro do filme) acontece de uma maneira conduzida com muita inteligência - justamente por procurar valorizar a ambientação da trama.

Os efeitos visuais tem os seus momentos grandiosos (como nas sequências que Erik/ "Magneto" levanta um estádio) e o 3D valoriza a perspectiva (principalmente com objetos em movimento). O som aparentemente é um ponto que pode melhorar ainda mais no formato Xplus (inicialmente cogitado para ser avaliado). 

Vale destacar a direção de arte - do futuro sombrio e caótico a toda reconstrução da década de 70 - sem contar a pequena menção a "Lycra Amarela". Algumas peças aparentemente receberam um trato tecnológico no figurino - como o óculos de Scott Summers - interpretado por James Marsden. Vampira (Anna Paquin) por pouco não foi totalmente excluída, ao menos faz uma ponta. 

A flexibilidade desse universo de Singer (ou "Singerverso") para X-Men, mostra algumas evoluções. Desde a estabilização de seus personagens, como o "ex-pertubado" Wolverine à relação entre Magneto (McKellen) e Professor X (Stewart). Mesmo por algum tempo longe da direção de X-Men, Singer entende que esse universo envelheceu, certas coisas mudaram e o seu trabalho respeita isso de uma forma aceitável e admirável. 

ATENÇÃO: NÃO SAIAM APÓS O FIM DO CRÉDITOS 
(ao menos nessa sessão, a maioria esperou)


Momento Pós-Crítica
O longa é adaptação da HQ Dias de um Futuro Esquecido ("Days of a Future Past") originalmente publicado em Uncanny X-Men #141 e #142 de 1981. A HQ se passa em uma realidade alternativa designada como Terra-811. Na trama do quadrinho, mutantes são mantidos em campos de concentração. Kitty Pryde (interpretada por Ellen Page no filme) já uma mulher, transfere sua mente para os anos 80 ("os tempos atuais", em consideração a mesma época da HQ) para impedir um momento fatal que desencadearia a histeria anti-mutante. Essa história teria se tornado inspiração para James Cameron desenvolver a cinessérie "O Exterminador do Futuro". 


FICHA TÉCNICA
Título Original: X-Men: Days Of Future Past
Direção: Bryan Singer
Duração: 131 Minutos
Gênero: Aventura
País: E.U.A.
Sessão Acompanhada: UCI Norte Shopping - O 10 - 18:20 - 24/05/2014 (Sábado)

Sinopse: A formação definitiva de X-Men luta uma guerra pela sobrevivência da espécie em dois períodos de tempo em X-Men: Dias de um Futuro Esquecido. Os amados personagens da trilogia X-Men original juntam-se aos seus jovens de X-Men: Primeira Classe em uma batalha épica que deve mudar o passado para salvar o futuro.

1 Hit Combo :

manu *-* disse...

http://www.youtube.com/watch?v=tZywJkubqRA cena pos cred

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...