Em Destaque

domingo, 20 de abril de 2014

[Sessão Crítica] Os Embalos de Sábado à Noite (1977) - Edição CCBB: A Era Disco no Cinema

NESTA POSTAGEM

SESSÃO CRÍTICA
OS EMBALOS DE SÁBADO À NOITE
MEMÓRIAS DA SESSÃO
FICHA TÉCNICA


SESSÃO CRÍTICA
OS EMBALOS DE SÁBADO À NOITE

PARA OS AMANTES
 DA DISCOTECA
Entre sucessos e fracassos, Tony Manero é certamente o personagem mais importante da carreira de John Travolta. Nascido em Nova Jersey, o ator começou a provar o seu enorme talento nos shows da Brodway também como bailarino (quando iniciou aos 18 anos no espetáculo Greese, que logo depois ganhou as telas do cinema, como Greese: Nos Tempos da Brilhantina por aqui). Em meio a febre da era das discotecas, Travolta encarna brilhantemente na pele de um jovem personagem rebelde e talentoso de classe média baixa das ruas do Brooklyn. 

O drama social e a vida noturna se cruzam nesta juventude transviada dos anos 70 dirigida por John Badham (Jogos de Guerra). Os Embalos de Sábado à Noite é certamente um dos filmes mais importantes de 1977 ao lado de outro grande icônico, Guerra nas Estrelas. É um perfeito registro social de uma época moldada por ídolos como Al Pacino, Bruce Lee e Farrah Fawcett

É quase uma coincidência, se não fosse irônico, a história do personagem Tony Manero e a dura vida de John Travolta antes da fama. Manero tem 20 anos de idade na história, 3 anos mais novo do que o próprio Travolta. Vive uma realidade dura como um trabalhador de uma loja de tintas, tem relacionamento complicado com a família e extravasa na pista da discoteca durante a noite. 

Essa ficção romanceada não ficava muito longe da nossa realidade Brasileira, quando em tempos de ditadura, os jovens estudantes liberavam as suas feras para cair na gandaia das discotecas como uma forma de esquecer dos problemas do país. E essa antiga realidade continua a existir em nossos tempos atuais - mesmo tirando a calça de sino e os carregados topetes de cabelo duro estilo black power. Quantos jovens não são assim: trabalhar de segunda à sábado, cair na perdição da noite e levantar de ressaca no domingo? A fuga da loucura da nada divertida realidade para a loucura cheia de agito, amores e desejos das festas. 

O exploração no campo familiar de Tony Manero (quando não está dançando nas pistas) beira ao deboche. Mas o descaso consegue tirar alguma descontração por parte do público sem a necessidade de parecer um ato forçado apenas para se contar uma história além do tema principal. Como parte  de uma família católica, é compreensível o drama de Tony ao não se sentir reconhecido pela família tendo o irmão padre, Frank Manero Jr. (Martin Shakar) como o favorito.

Tony se preparando para "soltar as suas asas"

É a partir da queda da moral que o protagonista se torna bem complexo, quando então perde a exclusividade de uma de suas peguetes, Annette (Donna Pescow), sente a derrota pelos hispânicos na pista (chegando a desistir do seu prêmio) e, num ato de desespero, tenta estuprar sua companheira Stephanie.

O enredo deste repertório surpreende por se encontrar em temas de drama. Entre tocos e conquistas, traça um interessante e humano trajeto do galanteador Tony e a vida azarada com os seus colegas quase sem censura - com direito a gravidez não planejada e depressão - mas não se arrisca em apresentar a perda da inocência embora consiga encantar com um romance impossível entre um convencido e rebelde Manero com uma intelectual e indomável Stephanie Mangano (Karen Lynn Gorney) - ambos excelentes dançarinos, entre um belo casal, ora antagônicos ora aliados. 

as músicas instrumentais compostas por Barry Gibb, Maurice Gibb e Robin Gibb raramente tocam mas também ganham destaque - acompanham bem o drama urbano da história

O drama, o romance, a fotografia, tudo isso ganha uma enorme sensação de alegria e emoção ao ser embalado maravilhosamente pelo som das ótimas canções dos Bee Gees, The Trammps e outros. Em sua época de lançamento, há quem tenha ido ao cinema  diversas vezes só para transformar as salas da tela escura em uma animada sala de dança. Um trabalho épico para os amantes da era disco.

MOMENTO PÓS-CRÍTICA
E em 1978, estreava na Globo uma novela de grande sucesso: Dancin' Days

MEMÓRIAS DA SESSÃO

A sessão ganhou atrasos devido o problema no projetor, segundo um dos responsáveis (ele estava com uma camisa preta com a pose clássica do Tony Manero) que avisou após a exibição de comerciais e da abertura em vídeo do evento (muito empolgante por sinal). As legendas eram digitais (com a cor amarela dos DVDs) apresentadas em um quadrado abaixo da tela de película (aparentemente importada originalmente dos E.U.A.). Um ponto interessante esse detalhe da película, com o intuito de nos apresentar o filme original como ele foi lançado em sua terra de origem ( o título não teve tradução ). 
Mais pra metade do filme (na cena onde os amigos de Tony Manero imitam cachorros numa lanchonete) a película teve problema mais uma vez e o público ficou às escuras por alguns minutos (aproveitei pra pegar uns chocolates). O silêncio era total na sessão, enquanto todos estavam assistindo, tanto é que eu ficava incomodado ao tentar mexer na bolsa pra pegar alguma comida (e surgia aquele barulho de plástico, parecia ensurdecedor pra mim). Legal também foi ouvir risos de expectadores mais jovens, na faixa dos seus 20 anos, o que prova que o filme ainda cativa públicos atuais - tinha até um com uma camisa do Speed Racer (eu acabei não me sentindo perdido com a minha camisa do Goku). 

Além da Era Disco, Os 50 Anos de Ditadura também estão presentes no CCBB

Quando a sala ficou apenas às escuras (devido o problema do projetor) uma mulher ao lado não parava de falar que queria ir embora (incrível como tem gente que adora gastar dinheiro pra ir embora de uma atração - quem pode, pode, não é?). Quando o filme estava rodando, houve um caso de um celular ligado dentro da sessão, um senhor praticamente esculachou a pessoa em questão e ameaçou chamar o segurança (o casal ao lado deu um xiii!  ) a coisa tava feia mesmo. E é melhor assim, quando podemos assistir a uma sessão com expectadores realmente cinéfilos e exigentes - alguns ficaram até o final dos créditos (eu também, como sempre, fiquei). 

ATENÇÃO: Os Embalos de Sábado à Noite terá nova exibição dia na mostra CCBB: A Era Disco no Cinema dia 27/04 (domingo) às 18:10. 

FICHA TÉCNICA
Título Original: Saturday Night Fever
Direção: John Badham
País: E.U.A.
Gênero: Drama
Duração: 
Sessão Acompanhada: CCBB - 18:10 - 19/04/2014 (Sábado)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...