Em Destaque

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

[Sessão Crítica] Resident Evil 5: Retribuição 3D Legendado

NESTA POSTAGEM
SESSÃO CRÍTICA
RESIDENT EVIL 5: RETRIBUIÇÃO

 EXTRAS 
MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO



SESSÃO CRÍTICA
RESIDENT EVIL 5: RETRIBUIÇÃO

TIRO AO ALVO
5ª filme da cinessérie afia na ação mas continua fraco no terror e no suspense

Mesmo tendo a sua interpretação à parte dos videogames de origem, a cinessérie se fortalece naquilo que a franquia já demonstrou ser muito boa: um fliperama de pancadaria com tiros somados a elementos de videoclipe  (o estranho e esbabacante espetáculo em camera lenta do começo é um exemplo).

Apesar de ter seu arsenal próprio, o ambiente chega a lembrar muito a franquia Extermínio e Eu Sou A Lenda - só na essênciaembora esteja muito longe de se aproximar à profundidade destes e outros títulos de terror. E é notável  também a influência de outras franquias de videogame, como Mortal Kombat 9 (a demonstração da quebra de ossos por dentro lembra muito).

Pra um nível de superprodução, ainda se mantém modesto em sua abordagem técnica.  Se não fosse pela sanguinolência o filme seria no mínimo classificado como 12 anos, por não haver uma estrutura mais adulta (principalmente em termos de enredo) como outras produções séries pediriam. É nada mais nada menos que mais um pipocão da série para adolescentes. Diversos personagens novos (e antigos) estão presentes, a pedido dos fãs. Uma delas, Jill Valentine (Sienna Guillory) que originalmente estava fora do roteiro.


 Jill (Sienna) está de volta, doida pra dar uma surra em Alice (Jovovich). Outros atores de filmes anteriores retornam em situações diferentes.


Milla Jovovich nos faz esquecer por um tempo seu corpo esbelto e nos mostra um amadurecimento em sua atuação - além de frases iradas de sua personagem.  Bingbing Li é quem acaba sendo o colírio feminino máximo na pele de Ada Wong. Encarnando Albert Wesker, Shawn Roberts marca pela sua voz bem caricata. Guillory é outro colírio, e está bem diferente em comparação ao segundo filme (Resident Evil 2: Apocalípse) atuando como uma versão loira da Jill Valentine.

Estão no elenco também Johann Urb, o galãnzinho machão da trama na pele de Leon S. Kennedy e Kevin Durant como Barry Burton (do mais recente jogo Resident Evil 5). Michelle Rodriguez volta na pele de dois personagens e, pra variar, acaba tendo um certo destino semelhante ao de muitas de suas outras personagens - a curiosidade é que uma delas ao menos não é uma machona.

Como no filme anterior, o 3D é bem valorizado - justamente por terem mantido o bem sucedido Bullet Time entre as cenas de ação. A edição vem de uma maneira bem mais trabalhada também, com os objetos sendo jogados na tela - pegando o expectador de uma forma imprevisível em algum momento. As legendas (uma das vantagens de se assistir em 3D) são brancas e não se comprometem na tela. Entre os dados técnicos, o destaque também vai para a trilha sonora aparentemente bem selecionada (entre as canções) e também nas muitas composições de Tomandandy (Resident Evil 4: Recomeço). 

Além de trazer um resumo dos filmes anteriores, o enredo parece remeter ao primeiro lançado há exatos 10 anos (bastante adorado pelos fãs) com Alice e Wong lutando juntas dentro do esconderijo da Umbrella e tendo que encarar os desafios do sistema de computador para sair do labirinto.

Na história, a Umbrella vive nos subterrâneos, criando clones como testes em seu mundo reconstruído, para combater a praga do vírus. Em meio a esse tema principal da trama, os cortes de sequência procuram distrair o público com histórias distintas como uma alusão que brinca de teatro.

Veja o album [MEMÓRIAS DA SESSÃO] RESIDENT EVIL 5: RETRIBUIÇÃO em meu perfil no Facebook aqui.



 EXTRAS 
GALERIAS













 
 






TRAILERS
Note a música de Tron: O Legado nos vídeos

LEGENDADO 


DUBLADO



 FICHA TÉCNICA 
Título Original: Resident Evil 5 - Retribution
Sessão Acompanhada: Cinemark Shopping Botafogo - 18: 40 - N 6 - 16 / 09/ 12
Direção: Paul W.S. Anderson (Resident Evil - O Hóspede Maldito; Resident Evil 4 - RecomeçoMortal Kombat - O Filme)
Gênero: Ação
País: E.U.A./ Canadá

Sinopse: O terrível vírus desenvolvido pela Umbrella Corporation continua a causar estragos por toda a Terra transformando as pessoas em zumbis famintos por carne humana. Alice (Milla Jovovich) é a última esperança da espécie humana e lidera um movimento de resistência. De Tóquio a Nova York passando por Washington e Moscou ela persegue os responsáveis pela infeccção.

4 Hit Combo :

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

é como você mesmo falou, Ryu. esse foi feito para adolescentes. fiz uma boa escolha ter ido ver os Mercenários 2(foi mais divertido do que eu esperava) na segunda.

no mais, quem é fã, mas engole qualquer coisa, vai curtir o filme.

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Esse vale um "Reboot" mais profundo da próxima vez. Algo digno dos melhores momentos dos filmes de Terror.. valeria até um George Romero. Algo bem seco, assustador e violento sem perder também o foco na ação e na história.

Diogo Batista disse...

Não importa quantas vezes eu assista um filme da série Resident Evil, eu NÃO CONSIGO ENGOLIR A ALICE!

O 4 filmes, reconheço que fraquejei e achei bacana mas poutz! Ela só esta no filme por que o marido dela é o diretor, não faz sentido algum ferrarem tanto com a trama! O game é um filme pronto, não há o que tanto ser adaptado ¬¬

Sua analise esta espetacular Mestre mas o filme é uma bomba! infelizmente xD

Solo Player disse...

O filme é péssimo, cê podia fazer uma outra análise mais realista do filme, os efeitos são fracos, tem apenas uns 3 ou 4 efeitos em 3D no filme todo que surpreendem, sem contar que no Resident Evil 4 , tinha efeitos a toda hora, o filme todo a Alice fica atirando alguma coisa em você. No 5 não tem nada disso... Sem contar que parece um video game, a Alice passa de fase, ganha uma arma melhor, enfrenta Chefão... E coisas absurdas, além do que já é fantasia no filme... Carro que atravessa outro carro... Balas que não acertam ninguém... Mais de 50 atirando em 4 e esses 4 não se dão nem ao trabalho de se esconder... Que conceito é esse? Entre outras e outras e outras... O filme teria um título mais adequado se fosse PANTERAS 3 de tão absurdo e ruim, chega a ser tão ruim que fica avacalhado e vira comédia... Ri muito com o filme... Claro decepcionado pois tava expectativa boa por causa do anterior...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...