Vá de Sedex :: Siga pelo Email

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

[A Marginalização do Nerd] A Comunidade dos Jogos de Luta Online




Quem se envolve profundamente numa comunidade onde partiu de uma maioria que se conheceu pela internet, tem sempre um fundo podre.

A comunidade de jogos de luta online possui  líderes e membros muito acessíveis, gente como a gente, com histórias até parecidas em várias classes sociais. É um meio muito fácil para você entrar e criar amigos e, da mesma forma, inimigos.

Realmente estamos numa época onde o podre da comunidade online já não é mais ameaça. Com os jogos sendo cada vez mais reconhecidos como esportes
eletrônicos (eSports) vemos uma grande diferença de postura na comunidade.
Porém, como um envolvido entre esses dois mundos – entre os jogadores competitivos e os jogadores online, infelizmente me sinto vítima da podridão.

Tentando aderir o que venho aprendendo na comunidade competitiva e dos meus anos acompanhando a comunidade e a sua transição, chega aquele momento que me deparo com problemas do passado na comunidade online e isso realmente me frustra.

Uma delas é o cyberbullying (hoje em dia conhecido), mas prefiro encarar como difamação gratuita. Antigamente, nas partidas, você entrava pra jogar – se divertir ou aprender – mas o pseudo experiente do outro lado saía te xingando com termos como lixo, por exemplo. Logo víamos que esses pseudo jogadores não eram puros, mas sim extremamente problemáticos. Tínhamos os fóruns e o Orkut em alta. Criavam tópicos e tópicos de ofensas nos fóruns e infernizavam o Orkut com comunidades ou então assumindo (erroneamente) a administração de uma comunidade de referência de um respectivo jogo e fazia o que bem entender  - desde excluir e bloquear quem quer que seja a construir uma imagem de si como superior ou líder daquela tribo.

Os problemas aos poucos assumem também o meio competitivo – com ex-veteranos dessas comunidades online manifestando críticas em grupos específicos do Facebook, ainda que façam algo de bom pela comunidade. Outros, eu diria, teriam se convertido por completo e se tornaram profissionais sérios. Mas, penso eu, até quando? Uma comunidade pequena unida mas desunida dos demais, por isso não cresce, não se desenvolve nacionalmente ou internacionalmente. Eu voltei pra essa comunidade, na fé de que tudo mudou, tudo melhorou, mas não é bem assim.

O que mais dói não é perder 30 vezes pro mesmo cara no meu jogo favorito mas perder pra classe mais arrogante da comunidade. Uma derrota grande para a imagem saudável dos jogos criados para serem todos cooperativos, para formar amizades.

Eu choro por todos, choro pelo sentimento destrutivo que ainda existe nas comunidades de jogos de luta online  e o que isso pode causar no meio da comunidade competitiva. Os mais puros, eu diria, não viveram tanto a comunidade online ou praticamente nada dela.
Curioso, um ambiente universal feito para unir nações, grupos, mas que na verdade está se tornando um instrumento de destruição em massa nas mãos de uma geração que quer se mostrar sábia, inteligente, mas que na verdade só é genial em mostrar o quanto o seu umbigo nerd brilha tanto quanto os outros. Tudo se limitou a exibição de egos enormes e vazios.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...