Em Destaque

domingo, 6 de maio de 2012

[Santa Maratona! Batman..Ressurge] Batman: The Videogame (Mega Drive) - Postagem Comemorativa 20 Anos: Parte 2 de 3: A Crítica

NESTA POSTAGEM 
ESTE POST TAMBÉM COMEMORA OS 20 ANOS DO PRIMEIRO JOGO DO BATMAN PARA MEGA DRIVE

SANTA MARATONA! 
BATMAN..RESSURGE
ACOMPANHE ANTES DE ASSISTIR O ÚLTIMO FILME DA TRILOGIA DE CHRISTOPHER NOLAN: 
BATMAN: O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE
DEDO NO JOYSTICK
BATMAN (MEGA DRIVE)
SANTO CARTUCHO, BATIMA!
Vai Começar a História
Itens
Movimentos
Sistema
Notas
Estágios
Soc,Tum Pof!! 
FICHA TÉCNICA 





DEDO NO JOYSTICK
BATMAN (MEGA DRIVE)
SANTO CARTUCHO, BATIMA!
Dois anos após o lançamento Blockbuster de Batman em 1989, aquele que levantou a imagem do morcegão, a Sunsoft se move e investe numa adaptação desse filme para o Mega Drive.

O jogo é o que possuí a ambientação mais fiel de todos os jogos lançados para esse console a respeito dos filmes do Batman. E sem dúvida um dos melhores (ou senão o melhor jogo do Batman). Você pode andar de Bat-Nave ou de Bat-Móvel. Tudo reproduzindo com fidelidade o filme que foi aos cinemas, inclusive contando com cenas digitalizadas dos atores.

A abertura do jogo gira como se fosse uma moeda (referências ao...Coringa ?). Daí toca a música em versão lembrando mid, com aquelas instrumentalizações que você conhece dos 16 Bits, porém competente representação da música Main Title de Danny Elfman.

Vai Começar a História
Você já dançou com o demônio sob a luz do luar?


Assim como o filme, a história é a mesma. Na segunda abertura, antes do jogo demonstração, surge umas descrições resumindo um pouco do início do filme até a batalha contra o Coringa (Joker no original).
Batman honra os seus 4 Megabits, trazendo uma qualidade gráfica digitalizada incrível nessa abertura, chegando a lembrar jogos em CD. Sim! Sim! Simmmmm!!! O Mega Drive faz milagres.
E a sonoridade é nova, não faz referência a trilha de Danny Elfman como a da primeira abertura.

Itens
- Corações recuperam ou aumentam sua energia
- O rosto do Batman lhe garante uma vida.
- Bat-Bumerangue lhe garante mais quantidade.

Movimentos
Batman pode atacar com socos, chutes e cambalhotas. Pode até mesmo derrubar seus inimigos pulando em cima - isso às vezes pode lhe custar alguns pontos de energia. Nas fases dentro do Batmóvel e Batnave, os ataque são tiros comuns e mísseis enquanto se direciona o veículo para os lados.

Batman não voa mas as suas animações, de tão detalhadas num cartucho de 4 Megas, valem como 1001 utilidades.

Dentre suas animações, Batman pode mover sua capa (em meio ao vento quando esta caindo); soca usando as duas mãos (como em Mortal Kombat e Batman Forever); se agacha em quadros e vira para os lados em quadros também; há frames de quando Batman é acertado pelas costas e de quando é acertado pela frente, podendo cair de barriga pra baixo ou para cima ao perder 1 vida.

As Várias Animações de Batman
Santa Sunsoft! aproveitou bem os Megabits.

Sistema
A jogabilidade é perfeita, tudo flui com facilidade.
Inimigos em geral são acertados de forma natural, sem muita invulnerabilidade.
Graças a essas qualidades, dá pra adquirir uma certa supremacia sobre seus inimigos.
O jogo só se torna mesmo difícil se você não tiver pleno domínio sobre todas as habilidades do personagem. Cambalhotas e pulos são as melhores armas para encarar a maioria dos inimigos.
Bat-Bumerangues ficam melhores como alternativa para encarar chefes e inimigos mais resistentes com muitos acertos.

Notas
- O jogo não é longo, da pra terminá-lo em 1 dia.
- Um jogo bastante agradável, principalmente para aqueles que gostam dos filmes.
- Ao morrer, você pode voltar mais ou menos do ponto em que você parou.
- Continues são limitados. Não desperdice.
- Caso se canse de jogar no Normal, há ainda a possibilidade de se jogar no Hard, basta ir no Options.
- Pelo desafio, ele pode vir a ser intermediário. Mas não chega a ser difícil quanto a outros jogos do gênero como The Revenge Of The Shinobi ou Spiderman V.S. The Kingpin por exemplo.

Estágios
Cada estágio conta com o nome do cenário do filme que é reproduzido. Tem inimigos de tudo quanto é jeito. Os inimigos vão de loucos desvairados à capangas do Coringa saídos diretamente do filme.

Ruas de Gotham City
(Gotham City Street)
 Assim como no filme, Batman começa atuando pelas ruas de Gotham encarando a bandidagem.

Há até um efeitozinho de chuva no meio da andança.

A chegada de Batman após a abertura da fase tem uma animação perfeita: com sua capa aberta, ele desce; agachado, fecha e se levanta. Só falta plantar bananeira, mas essa última é meeentira. A animação flui naturalmente.
Os inimigos comuns dessa fase encaram com facas e revólvers.

O Comissário Wagner Montes tem uma declaração a Batman sobre o que fazer com a bandidagem de Gotham.
O primeiro chefão utiliza técnicas de um lutador de boxe.

Seus movimentos são bem variados: vai de socos comuns a ganchos/upers. O negócio é atacar por trás.

Fábrica Química Axis
(Axis Chemical Factory)

A musiquinha dessa fase tem mesmo uma sonorização de fábrica dosada a Rock Eletrônico. Tubulações explodem, fazendo com que plataformas desapareçam. É nessa fase que você encontra Jack Naiper, o futuro Coringa. O cenário tem uma reconstrução bela em estilo plataforma do filme.
Os inimigos aqui são: maquinas lasers (Hey no filme não tinha disso. Mas tudo bem, um desafio a mais né?); irmãos do Duken Nukem se arrastando pra lá e pra cá (É sim! É a cara do Duken Nukem se olhar bem pra eles) e o próprio Jack Napier.
É hora do Fatality !! E o Jack vai dessa pra melhor..será mesmo?

Uma curiosidade é que existe um cenário semelhante a esse no jogo Batman Returns.

Museu Flugelheim
(Flugelheim Museum)

Agora o jogo pula direto pra seqüência do museu de artes!
Temos por aqui inimigos armados com carinha e topete de Elvis Presley com uns quilinhos a mais.
Quanto ao fortão de machado cercando o caminho: o maldito não deixa você chegar em cima da parte superior, eliminio-o e suba. Tem outros desse que só pulam igual macaquinhos lançando machado.
Diferente dos arruaceiros nas ruas de Gotham, os outros inimigos armados estão vestidos feito assaltantes de banco: o básico casaco e calça jeans.

Vai lá saber o motivo. Mas eles também me lembram, pela forma como eles se posicionam pra atirar, aquele braço direito do Coringa no filme. Duma maneira bem esquisita ou meia deficiente sabe?

Essa fase tem a música mais agitadinha do game. Com sonorizações continuas lembrando bateria. Uma espécie de Rock Eletrônico mais rápida que a fase anterior. É como uma festa de baile anos 60 com música eletrônica. Eita!
Graças a uma brecha dos programadores, é possível adquirir vidas infinitas. Perto de você subir para a parte de cima, em um conjunto de 3 plataformas no canto da tela, você conseguirá encontrar uma vida próxima as plataformas. Pegue a vida, suba com a plataforma e volte novamente.

Antes de terminar esse estágio, quem vai te encarar primeiro é esse sub-chefe metido a He-Man com técnicas de Battousai: O Retalhador.

O chefe dessa fase é esse maluco que aparece jogando uma rádio em cima sem conversa. Depois cai matando com as famosas peitadas de luta livre.
Que folgado! É cada capanga que aparece..
Isso! O boneco é Igual aquele cara do filme.
O jogo é cheio de referências.
Fuga implacável


Ruas de Gotham City II
(Gotham City Street)

Batman esta de volta às ruas. Agora você vai poder andar de carona com o Batman (aeee!!).
Os inimigos aqui variam. Seu desafio será maior que o do filme: Encarar carros (com as colorações do Coringa); tanques de guerra de vários tipos inclusive um que é mais desenvolvido que você encara no final.
Coringa e seus capangas com tecnologias de ponta..é isso aí.
Aqui você pode mandar um Batbala normal ou Batmíssil mesmo.

Ruas de Gotham City III
(?)
Fase especial? Após uma corrida no Bat-Móvel, Batman cai nessa fase tendo que encarar uns acobratas malucos e cuspidores de fogo. Eu heim! Isso é do Batman O Retorno.

Uma certa sensação de tema de clube noturno nos trechos, tocando..música eletrônica. Hmm..com uns sonzinhos ecoando algum barulho estranho. Enfim, não sei descrever com precisão (..¬¬) mas talvez seja uma simulação de: Guitarra Eletrônica.
O chefe dessa fase é esse espadachim amalucado cheio das drogas na cabeça. O negócio é deixar ele vir e acertá-lo por trás.

Nos Arranha-Céus de Gotham
(In The Sky Over Gotham City)
Pelos céus de Gotham, agora você finalmente vai ter o gostinho de voar e caçar uns balões venenosos que o Coringa resolveu soltar para o ar. Além disso, você terá que encarar uma fila de helicópitoros-filhotes até se ver com o helicóptero-mãe-de-todos.


Catedral de Gotham
(Gotham Cathedral)
Chegou a hora de ver quem ri por último. Coringa aguarda na Catedral para a batalha final.
A reprodução do cenário do filme é extremamente fiel, nos padrões de um jogo de Plataforma 2D. Não há o que adcionar ou tirar. Fora as armadilhas novas como plataformas móveis com espinhos. O negócio é subir até final.

A música, diferente das fases anteriores, investe num som mais próximo do sombrio, coisa do tipo Hell Here! O inferno é aí mesmo. A música começa baixa, com uma espécie de piano e depois explode em um estilo suspense, num ritimo tenso crescente e decrescente o tempo todo.

Você vai ter de encarar novamente todos os outros chefes anteriores antes de chegar a derradeira batalha. Bote a culpa na conta do Coringa, já que o Bane nem era nascido, coitado.
Garai! Maldito seja! Mortos vivos...


Catedral de Gotham II
(?)
Mais uma fase especial. Agora é a última e você já encara diretamente o Coringa.
A música da batalha final contra o Coringa é mais agitada e rápida com direito a toques de piano.
Sentiu o Coringa abençoando o território com o seu Fatal Fury?

E o Coringa riu por último..
O Bem vence o Mal

Pronto, Batman vingou seus pais.

O final é igualzinho ao do filme sem tirar nem por e focado, é claro, no Coringa.
Sem reproduzir 100% o resto, apenas em texto algumas coisas: Coringa sofreu um pequeno acidente, Gotham City esta salva, bom trabalho soldado e bla, bla...
O tema de encerramento reproduz de forma bela a musica Scandalous, composta pelo Prince e seu pai, John L. Nelson, para a trilha do filme, com modificações na sonoridade, trazendo um encerramento 100% cinematográfico em cartucho.
O jogo não faz feio nem no final. Da vontade até de jogar denovo.

Coringa, descanse em paz!
(E até o próximo filme) 
Soc,Tum Pof!! 
A trilha sonora é empolgante, elegante, gostosa e caprichada. As musicas investem num som mais metálico do que sombrio. Algo mais agitado, com sonorização de Rock Eletrônico bem nostálgico. Apesar de ser diferenciada do próprio filme, nem por isso faz feio, alimenta a própria diversão.

Seria algo mais próximo do artista Prince mesmo (O que compôs as versões cantadas do filme) sendo que com um estilo mais próprio. Coisa de filme..quer dizer..jogo-filme, que procura seguir um rumo diferente ao de sua obra original e consegue fazê-lo muito bem nesse campo.
A trilha de Naoki Kotaka é tão boa que até ganhou o seu álbum nas mãos de fãs com direito a capa e título: Batman: The Original Game Audio.

Alguns efeitos sonoros são mais simples como de quando Batman atira sua Batcorda.
O efeito das porradas é bem parecido com o filme, parece um som abafado.

A forma de como os inimigos e até o próprio Batman tombam é praticamente realista: Nada de bonecos explodindo ou desaparecendo. Eles simplesmente caem no chão. O que te dá a sensação de estar jogando realmente um jogo de Ação Plataforma totalmente em um ambiente real/ virtual dentro do estilo 2D.

FICHA TÉCNICA
Título Original: Batman
Títulos Alternativos: Batman - The Vídeogame (Capa)
Ano: 1991
Empresa: Sunsoft
Memória: 4 Megabits
Gênero: Ação
País: EUA/ Japão


20 ANOS DE BATMAN: THE VIDEOGAME (MEGA DRIVE)
2007, 2012 ©MESTRE RYU

(DO QUE VOCÊ ESTÁ RINDO?)
HIHIHIHIHIHIHIHIHIHIHIHAHAHAHAAHAHAAHAHUHUHU!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...