Em Destaque

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Sessão Crítica: O Retorno de Johnny English

NESTE TÓPICO
SESSÃO CRÍTICA
O RETORNO DE JOHNNY ENGLISH

EXTRAS
FICHA TÉCNICA
CARTAZES
IMAGENS


SESSÃO CRÍTICA
O RETORNO DE JOHNNY ENGLISH

BOM HUMOR QUASE SEM REGRAS
Aproveitando a promoção do cinema na segunda feira, levei a minha esposa para assistir esse mais novo filme com Rowan Atkinson (o nosso eterno Mr.Bean) na sessão das 19:00.  Continuação de Johnny English (2003), o filme segue como uma tiração de sarro da série 007 misturando algumas de suas tradicionais atrapalhadas que muitos de nós conhecemos pelo seu papel do ingênuo e carismático Mr. Bean.  Então, una esse espírito pastelão do tipo atrapalhadas-comuns-acontecem, como sentar em uma grande bola de plástico achando que é uma cadeira, com o de um agente secreto esperto bem cara de pau.

A ambientação da comédia vai do 007 da década da guerra fria, com Sean Connery e Roger Moore, à década Bourne com Matt Daimon (notável até na forma em que é filmada a perseguição de English a um assassino durante os primeiros momentos de ação do filme após o seu retorno do Himalaia). Então, English não perdoa nehuma fase em seu senso de humor. Com direitos a sérias cenas de ação quebrando pra simplicidade do humor, o que desperta gargalhadas na certa.

Desta vez, o esperto/ atrapalhado agente conta com a ajuda de um assistente (ou melhor, um estagiário viciado em Need For Speed).  Chegando a lembrar a fase em que John Mc Claine se encontra em seus dois últimos filmes, tendo que dividir a atenção com algum personagem coadjuvante. Por algum motivo, a presença de novato Daniel Kaluuya, que acompanha Atkinson na aventura,  me lembrou muito a participação de Morris Chestnut (Boys In The Hood: Os Donos da Rua) vista em A Força em Alerta 2, ao lado de Steven Seagal (cheguei a assistí-lo denovo, no dia anterior, e não me lembrava de 99% desse filme, só sabia que se passava em um trem). 

Na história, English está afastado do MI7 no Himalaia aprendendo uma forma de se livrar de seus traumas com um monge, quando recebe um chamado para voltar a ativa para investigar assasinos que usam um soro para controlar mentes. O início chega a  parecer um pouco uma paródia de Batman Begins (sem contar que o título em inglês do filme se chama Johnny English Reborn, O Renascimento de Johnny English se for traduzir ao pé da letra). O título sério faz jus à mistura de ação e comédia do filme. Isso sem contar que os cartazes fazem referências a Missão: Impossível 3 e 007 Contra GoldenEye. O elenco também conta com Gilliam Anderson (a eterna Scully de Arquivo X) e com uma ex-Bond girl (de 007: Um Novo Dia Para Morrer), agora English girl, Rosamund Pike.

A sessão que eu estava, muita gente se divertiu e aplaudiu sentado. O filme merece, por não seguir uma linha de paródia ao estilo os que foram dirigidos pelo genial Jim Abrahams (Corra Que A Polícia vem Aí!) como as muitas imitações inferiores que surgem por aí. E consegue satisfazer bem mais do que o trailer.
Atenção: Este filme contém cenas extras durante os créditos.

EXTRAS

FICHA TÉCNICA
Título Original: Johnny English Reborn
Gênero: Comédia/ Aventura
Data de Lançamento: 28 de Outubro de 2011 (Brasil)
Diretor: Oliver Parker
País: E.U.A./ ING/ FRA

CARTAZES



IMAGENS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...