Em Destaque

domingo, 2 de outubro de 2011

[Street Fighter II 20 Anos - ROUND 16] Atores Digitalizados (Volume 2 - Edição Especial Campeão: Parte 3 de 3): Street Fighter

NESTA POSTAGEM
NOTAS DE PRODUÇÃO & BASTIDORES: PARTE 2
STREET FIGHTER: THE MOVIE FEZ A MINHA TARDE


MAIS SOBRE OS ATORES 
VÍDEOS


SOBRE 
A CRIAÇÃO DE ATORES DIGITALIZADOS VOLUME 2: STREET FIGHTER
BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA
AGRADECIMENTOS ESPECIAIS







__________________________________________
ATORES DIGITALIZADOS
(Volume 2 - Edição Especial Campeão: Parte 3 de 3)
NOTAS DE PRODUÇÃO & BASTIDORES
 PARTE 2
Essa vocês vão até rir (ou chorar) como diría o Alan Noon. Mas parece que a aparição de Alan Noon rendeu frutos e filhos perdidos aparecendo.
Em 2008, um dos figurantes que participou do jogo incluiu em seu site pessoal uma citação ao artigo de Noon, falando sobre como ele entrou nesse projeto.
A tradução vem a seguir.


__________________________________________
STREET FIGHTER: THE MOVIE
 FEZ A MINHA TARDE
(STREET FIGHTER: THE MOVIE MADE MY AFTERNOON)
Texto Original: Hugues Johnson
Tradução & Adaptção: Mestre Ryu Kanzuki


  É provável que você leu o semi-famoso entrelaçado de Alan Noon entitulada Street Fighter The Movie Partiu Meu Coração (Street Fighter The Movie Broke My Heart). Se não, você deve ir fazê-lo agora. Isso é uma acerto de contas pessoal feita por um co-criador de um jogo ligeiramente infame.
É uma grande leitura mesmo que você não tenha nenhum interesse por jogo de luta. Eu conhecí Alan faz muito tempo. Seu irmão Rob foi um amigo próximo em 1993 e foi o melhor homem em meu casamento. É por essa razão que acabei me tornando um personagem em Street Fighter: The Movie.


Voltando a 1994, Rob e eu frequentávamos o Junior College. As poucas horas no recinto universitário foram basicamente desperdiçadas num porão fumegante com Fliperama. Jogos de luta foram simplesmente grandiosos antigamente e enterramos num exército de variações entre Street Fighter II e Mortal Kombat II. Encontrei Alan nessa etapa da vida também.


Ser um fanático por videogames nessa época foi legal por conhecer alguem que de fato trabalha com eles.
Algo dizia que BloodStorm era o seu jogo mais recente. Ele era divertido mas nunca foi muito popular, o que não nos evitou de ir atrás dele e impressionar espectadores através de personagens secretos.
Um dia Rob mencionou que seu irmão esteve na Austrália filmando para um jogo de fliperama baseado no filme Street Fighter. Ele disse que isso soava como um projeto secreto mas para quem eu íria dizer?
Há poucos meses depois, Alan havia voltado a cidade com todos os tipos de histórias salientes e fotos da filmagem (a maior parte dele resumido no entrelaçado referido). Novamente, sendo um viciado em jogos de luta isso foi realmente excitante ouvir sobre. Confesso que estava ficando com inveja também. Programação de jogos foi o meu sonho até eu descobrir que um programador corporativo tem uma rota de pagamento equivalente a horas mais curtas.


Uns meses depois recebí uma chamada telefônica. Ei, meu irmão disse que precisa de uma par de caras olhando no cenário desse jogo do Street Fighter e quer saber se nós estamos livres hoje -Absolutamente não tinha nada a fazer e agarrei a oportunidade. Inferno, mesmo se tive algo não pederia essa
oportunidade.


Fomos de carona até o escritório da Incredible Technologies e assinei um NDA* (*Non-Disclosure Agreement/ Acordo de Não Divulgação, também conhecido como Confidential Disclosure Agreement) que provávelmente estaria violando tecnicamente agora, e fomos levados até o estúdio de improvisação. Foi a tecnologia mais baixa que eu esperava. Eu realmente não sabia nada sobre qualquer coisa então eu imaginava que eles tivessem algo próximo de um set de filme.


Foi apenas uma aparente câmera cara apontada para uma tela azul que foi larga o suficiente para uma pessoa, armado há alguns minutos antes. Eles pegaram algumas tiragens em passos lentos (*Slown Motion) de nós fazendo pequenos passos e foi isso. Resumindo, fez a minha tarde.


E aqui estou eu no jogo:
Huges Johnson representado por Me (Eu) e Me Again (Eu denovo); e Rob, irmão de Alan Noon. Todos citados na faixa inferior da tela


Ao que parece há algum código para explodir a minha cabeça, isso esteve em alguma GamePro ou publicação equivalente.


Não foi a minha última descolada com o jogo. Pedíram-nos para sair e testar o beta numa noite quente de 1995. fizemos umas partidas enquanto uns caras de prancheta iam tomando nota. Creio que não seria diferente da experiência de um usuário testando enquanto eu tenho que ficar ali sentado durante minha carreira de programador (embora os usuários não estejam tendo tanto divertimento). O jogo foi uma insignificante carroça naquela interação, eu lembro de fazer combos infinitos no canto até um certo ponto. Em todo caso eu pensei que foi um jogo bastante bom.


Tá certo, eu pensei que fosse um bom jogo. É tão fácil olhar para isso agora e rir dos gráficos digitalizados e ridículizar essa transgressão ao cânon Street Fighter. Em 1995 isso pareceu grandioso, melhor que o Mortal Kombat original. Os mecanísmos de jogo, embora pela maior parte diferente de Street Fighter II, foram sólidos. Diferente não significa pior pessoal. Sim, tipo uma cópia de Mortal Kombat mas era divertido. Depois de jogar 4 horas naquela noite eu queria mais. Desta era eu prefiro este jogo a muitos da época como: Killer InstinctMortal Kombat III e Samurai Shodown (Samura Spirits). Embora admitirei que não é melhor que Mortal Kombat II e Super Street Fighter II: Turbo. Desde os primeiros passos de uma ascendente rivalidade.


Depois de jogar várias horas de Street Fighter: The Movie fomos convidados para testar uma versão do Sony Playstation que foi lançado a alguns meses depois para os Estados Unidos. Incredible Technologies não desenvolviam jogos para Playstation, minha lembrança foi algo de que um  dos desenvolvedores o trouxe para fins de alívio de uma noite de stress. Minha experiência vem a seguir:          
- Junto ao verão de 1995, tive o previlégio de testar um Sony Playstation antes do lançamento nos Estados Unidos. Para a longa história ficar curta, eu participei de um teste de um novo Fliperama chamado Street Fighter: The Movie. Foi divertido, um grupo nosso competindo enquanto os desenvolvedores tomavam notas. Quando terminamos eles voltaram a nos convidar para testar uma versão caseira do Sony Playstation. Derrepente pusemos Battle Arena Toshinden e ficamos impressionados, não houve comparação entre ele e o Sega Saturn.  Os gráficos do Playstation pareciam mais anelado, mais sólido. O controle pareceu realmente cômodo e 100x mais robusto do que o controle de Saturn. Embora num rítimo mais devagar que Virtua Fighter, Toshinden era um jogo muito melhor. Eu citei a um dos desenvolvedores: - Sem ofensa, mas isso detona o jogo que seus caras fazem. O aceno na cabeça e a expressão que ele fez foi de uma confirmação não-verbal. Eu imediantamente sabia que o Playstation seria O Próximo Sucesso em jogos. -
Quando o jogo foi lançado saímos procurando por alguma casa de Fliperama que tivesse isso.. mas só localizamos um a um raio de 20 milhas. Quando checamos não havia sequer um jogador. Não acreditava que o jogo faria um grande sucesso, mas esperava que faria algum barulho. Eu acreditava que um fã comum de Street Fighter não aceitaria nada que quebrasse o molde.


O desapontamento continuou quando soube que os cenários foram modificados para a versão caseira.
Sou distante de aflição, mas teria sido legal aparecer no Saturno e Playstation também.
Suponho que alguns não acreditam nessa história. A minha única refutação é:  por que eu faria algo completamente trivial?


Para o resto, obrigado por tomarem seus 2 minutos para lerem..e naturalmente graças a Alan por me dar uma história interessante para compartilhar.


Huges
(E a você que leu esta tradução. Mestre Ryu)

-----MAIS SOBRE OS ATORES-----


VÍDEOS
-- JEAN CLAUDE VAN DAMME--


ENTREVISTA AO GENTE DE EXPRESSÃO COM BRUNA LOMBARDI 
(REDE MANCHETE, 1994)

Entrevista com Van Damme. Gente de Expressão... por MestreRyu


Entrevista com Van Damme. Gente de Expressão... por MestreRyu



ENTREVISTA AO JÔ SOARES 11 E MEIA (SBT, 1995): TRECHO



ENTREVISTA AO JÔ SOARES 11 E MEIA (SBT, 1995): COMPLETO

ENTREVISTA COM VAN DAMME. JÔ SOARES 11 E MEIA... por MestreRyu


ENTREVISTA COM VAN DAMME. JÔ SOARES 11 E MEIA... por MestreRyu


ENTREVISTA COM VAN DAMME. JÔ SOARES 11 E MEIA... por MestreRyu

ENTREVISTA COM VAN DAMME. JÔ SOARES 11 E MEIA... por MestreRyu


ENTREVISTA AO PROGRAMA DO JÔ (TV GLOBO 18/05/ 2001): TRECHO 



DOBRADINHA: DANÇANDO COM SHEILA MELLO E GRETCHEN
NO DOMINGO LEGAL (SBT, 2001)


IMITANDO ATORES NO DOMINGO LEGAL (SBT, 2001)



PARTICIPAÇÃO NO DOMINGO LEGALCOMPLETO 
(SBT, 2001)










ENTREVISTA AO PÂNICO (RÁDIO JOVEN PAN, 2001) 
(VAN DAMME ESCLARECE O CASO DA DANÇA COM A GRETCHEN)





ENTREVISTA AO FANTÁSTICO (TV GLOBO, ILHA DE CARAS, 2001)


ENTREVISTA COM VAN DAMME NO FANTÁSTICO por MestreRyu

--KYLIE MINOGUE--
SPINNING AROUND

I BEGIN TO WONDER 
(MÚSICA DE DANNII MINOGUE, PRIMA DE KYLIE)



--DAMIAN CHAPA--
TRAILER DE POLANSKI




------SOBRE ESTE VOLUME------


A CRIAÇÃO DE 
ATORES DIGITALIZADOS VOLUME 2: STREET FIGHTER 
No mesmo período em que este especial estava sendo produzido, estava idealizando um possível review futuro sobre o game (E a sua conversão para as versões caseiras). Essa Edição Especial Campeão, atualização da versão anterior para o blog, trouxe melhorias nas traduções dos artigos (Alan Noon e Huges) e na descrição dos atores. 


Eu quebrei muito a cabeça com o extenso artigo de Alan Noon, para manter a sensibilidade e algum leve senso de humor do artigo sem perder as informações mais importantes, mas consegui melhorar o resultado de uma forma mais satisfatória e compreensiva do que o anterior, foram leves mudanças mas que deixou o conteúdo mais organizado e mais detalhados. Algumas palavras técnicas traduzidas tiveram as palavras originais mantidas ao lado para que o leitor, habituado ou não aos termos, poder se orientar nos significados.


Houve uma matéria que nunca foi lançada para o Street Fighter Web Site que fiz em 2005. A idéia era que esta análise capturasse 90% de elementos desse matérial, engavetado, e de forma ampliada. O resultado vocês podem Conferir nas 4 Partes da série Os Jogos do Filme aqui no Santuário.  Portanto, se este volume lhe parecer estranho, você conhecerá mais o jogo nessas análises evento.

BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA

Revista Animação Nª2 - 1995
Revista VideoGame - Especial Street Fighter (Ed.49)
BLOG DO ALAN NOON
PARADISE WARRIOR RETREAT
IMDB
CARATÊ E EQUILÍBRIO



AGRADECIMENTOS ESPECIAIS
Bia Chun li Hoshi (Apoio)
Master Bigode (Apoio)
Keiko (Apoio) 
Saikyo (Sugestão) 
Alan Noon (Apoio)
Alexandre Nagado (Apoio)


OBRIGADO PELA LEITURA

2005, 2007, 2011 ©Mestre Ryu. Textos, Traduções e Edição de Imagens.

 STREET FIGHTER II 20 ANOS: POSTAGENS ANTERIORES  

2 Hit Combo :

Junião disse...

Excelente trabalho mestre Ryu! Muito completo e com bastante conteúdo. Parabéns!!!

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Junião: É uma honra ter você acompahando o Santuário também. Fico satisfeito que curtiu. Apareça sempre. Obrigado pelos elogios.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...