Em Destaque

domingo, 25 de abril de 2010

Street Fighter (1987) - Controle B: Revisão Definitiva

O Santuário comemorou assoprando as velinhas no dia 24 com a atualização da EX Análise original. A pedidos, o primeiro Street Fighter está de volta por aqui - com a revisão do próprio autor (sim, eu mesmo). Uma segunda versão com o linguajar 99, 8% mais moderado - para dedicar a todas as audiências - e indo diretamente aos pontos que analisa o jogo de forma nua e crua.


Tenham uma boa nova aventura.


NESTA POSTAGEM
DEDO NO JOYSTICK
UM RASCUNHO MORNO DO SUCESSO
FICHA TÉCNICA


EXTRAS
CADERNO DE ANOTAÇÕES: ORIGENS DAS CURIOSIDADES DO ARTIGO



DEDO NO JOYSTICK
Street Fighter (Arcade)
UM RASCUNHO MORNO DO SUCESSO

A primeira e modesta abertura já define o seu universo

Muitos o conhecem hoje graças aos emuladores, mas Street Fighter é responsável por ser o esqueleto dos estereótipos que garantiu a idealização do maior repercursor dos jogos de luta do século passado, o próprio Street Fighter II - seu irmão gêmeo é muito superior e quase tão diferente quanto a este.

A versão caseira de PC Engine ganhou músicas remixadas e um final diferente. A revista Ação Games divulgou, pela primeira vez,  uma imagem dessa versão em uma sessão de cartas  durante a década de 90.

Entre algumas características que se desenvolveram mais tarde, o jogo, apesar de seguir o estilo de competição um contra um como é visto em jogos de esporte (os diversos jogos de Boxe e Luta Livre), era ramente visto em um jogo de ação. Uma das poucas (e mais famosas) referências eram: Yie Ar Kung Fu (Konami - famosa por Castlevania e Metal Gear Solid)  e Karate Champ (Data East - que viria a sofrer um processo da própria Capcom anos mais tarde). O jogo tinha uma sensação pra lá de jogo de gangue com visão lateral (side-scroll), como visto em Double Dragon, convertido para o (ainda) impopular um contra um.  A hipótese que se tem sobre a história é que tudo se passa num torneio comum como pano de fundo - diálogos de desaforo ou provocação são distribuidos quando você ganha ou perde uma partida contra a CPU ou contra o outro jogador.
O primeiro Bonus Stage de Street Fighter consiste em quebrar tábuas. De acordo com a intensidade das pequenas barras que medem a força do jogador no lado esquerdo (se alternam entre amarela e vermelha - o objetivo é apertar o botão certo quando estiver vermelha).
Sistema

Os comandos são extremamente ruins. Apesar de sua inovadora complexidade, nem tudo é perfeito. O fato é que dá pra se passar horas e horas a fio tentando dar golpes especiais na máquina. Eles são os elementos que retiram mais energia, mesmo sendo comandos normais. Às vezes um único e certeiro comando, faz a energia do outro jogador ou CPU ir pelos ares.


Um jogador não pode empurrar o outro pro fim da tela. Pular por cima do outro jogador (no canto) atravessa o que está na ponta.


Se existe algo que pode ser considerado desequilibrado em Street Fighter I, então é esse: golpes especiais são mais fortes que golpes normais. E os tais potentes movimentos nem precisavam de certas condições para se excecutar (Ex: barras de estoque ou de energia), apenas uma sorte de acertar o comando. Uma dica pra facilitar seria: tentar executar o comando quando apertar qualquer botão (recomendado: soco ou chute forte)

Também é possível excecutar especiais no segundo Bonus Stage. É bem difícil.

Os movimentos especiais (acompanhada de suas vozes) estabeleceram um segmento copiado ou inspirado por outros jogos de luta do estilo. Uma coisa interessante é que: nos EUA os personagens falam os nomes em Inglês. Aí você sabe que Shoryuken é Dragon Punch, Hadouken é ..Ball Of Fire e que Tatsumakisenpukyaku é Hurricane Kick. As vozes digitalizadas também atuam no fim das lutas, nas telas de vitória. Isso é um caso que não ocorre nas versões posteriores de Street Fighter.

Há também bons detalhes nos efeitos sonoros, como a tela de bônus (os aplausos que voltaram depois em Super Street Fighter II) e comemoração de alguns personagens. A defesa da CPU é a unica que possui som. Quando se perde uma ficha, é possível ouvir uma voz do além (vai saber) soltando uma risada. Os personagens descolam um sonoro HOO.. a cada golpe. Na verdade esse som vem do Karatê.. Kiai (Para mostrar impacto).

Detalhes de Animação
Bug raro: A CPU fica no ar, ao ser acertada antes do jogador cair com o último hit
Detalhes Gráficos#1 (Diferenças entre Ryu & Ken): Repare numa camisa sem manga (aparentemente marrom) que Ken usa por baixo de seu Kimono. Diferente de Ryu, que usa apenas o Kimono.


Detalhes Gráficos#2 (Diferenças entre Ryu & Ken): Agora é visto que Ryu utiliza uma outra calça (de cor preta) por baixo da calça comprida do Kimono.


Detalhes Gráficos#3 (Movimentação dos personagens): Quando agachados, Ryu e Ken podem colocar seu corpo para frente ou para trás. Em pé, não há animação.


Detalhes Gráficos#4 (Reações): Ao ser acertado por um hit forte, os personagens são jogados para trás.
Detalhes Gráficos#5 (Mapa): A animação do avião no mapa possui um movimento de zoom.

Ao redor do mundo
É possível escolher aonde será iniciada a jornada entre: Japão, EUA, Inglaterra ou China contra os inimigos da CPU. Nota: há um intervalo a cada duas viagens dentro de um país para os Bonus Stages (O primeiro retorna com peças de ferro no terceiro ato e a a segundo volta após a quinta passagem com uma tábua a mais). Pegue seu ticket e fique por dentro do itinerário abaixo.
Principais Trajetos (Começando pelo Japão): Japão > EUA > China > Inglaterra  > Tailândia
Principais Trajetos (Começando pelos EUA):
EUA > Japão > Inglaterra > China > Tailândia
Principais Trajetos (Começando pela Inglaterra): Inglaterra > China > EUA > Japão > Tailândia
Principais Trajetos (Começando pela China): China > Inglaterra > Japão > EUA > Tailândia

Ordem Dos Personagens (respectivamente): Japão (Retsu & Geki) - EUA (Joe & Mike) - China (Lee & Gen) - Inglaterra ( Birdie & Eagle) - Tailândia (Adon & Sagat)

*Clique no espaço branco abaixo e arraste com o botão direito do mouse para ver o Spoiler*
O final mostra todos os personagens derrotados pela ordem que você enfrentou.
Notas de Produção

Street Fighter foi dirigido por Takashi Nishiyama (creditado como Piston Takashi" no jogo) e planejado por Hiroshi Matsumoto (creditado como "Finish Hiroshi), os quais, após a produção do jogo, abandonaram a Capcom para se juntarem à SNK Playmore, onde viriam a desenvolver outros títulos como Fatal Fury e Art of Fighting.

No filme Juice de 1992 (estrelado por 2PAC, um dos mais famosos rappers do mundo) é visto uma cena em que os personagens estão jogando Street Fighter

















                                                      O que veio depois...
Sua continuação chegou a também receber o título de Street Fighter 89 na imprensa. O jogo foi reaproveitado posteriormente com o nome de Final Fight, se tornando grande sucesso nos fliperamas.



FICHA TÉCNICA

Título Original: ストリートファイター, Sutorîto Faitâ Ano: 1987
Gênero: Ação
Memória: ?
Placa: ?

EXTRAS
CADERNO DE ANOTAÇÕES
ORIGENS DAS CURIOSIDADES DO ARTIGO

- A imagem de Street Fighter 1 de PC Engine que surgiu na Ação Games é semelhante a cena que é mostrada na análise (sendo que a da versão Arcade), e com tela em pause.

- A referencia a máquina de Street Fighter no filme Juice foi comentado pela primeira vez no artigo Produções & Adaptações: Capcom de 2006 escrito e montado por mim para o antigo site da UltraCombos. Algum tempo depois, a curiosiade foi citada no site Arcade History.

Seguem 3 imagens do filme Juice (Paramount Pictures) mostrando a máquina.

Tentamos disponibilizar o trecho na comunidade do blog (disponível no meu canal) no You Tube mas o vídeo foi retirado por infringir os termos (vai lá saber o porquê). Quem quiser uma cópia do vídeo original é só mandar um E-Mail para: santuariodomestreryu@gmail.com que eu envio um link com a edição original.


Detalhes adcionais sobre o trecho: O persoangem de Tupac desafia um amigo no fliper mas não chega a enfrentá-lo. Daí segue um rápido trecho de 6 segundos com Tupac jogando com o Ryu e chutando o traseiro do Retsu da CPU.

Comentários da refência ao filme Juice: Esta foi a primeira vez que consegui (por um acaso) ver o jogo em movimento quando o assisti em VHS em meados de 1996/ 1997 (estou chutando). E ainda gravei o trecho numa fita virgem (sonhando algum belo dia passar para o You Tube, já em meio a geração digital). O filme eu recomendo, mas não por que a máquina aparece. Se bem que, muito longe de imaginar que uma das mais raras máquinas da franquia Street Fighter estaria nesse filme, tremenda coincidência
. Sei não, mas acho que eu e o videogame Street Fighter temos uma ligação realmente forte (risos).
(Atualizações - 1 de Maio 01:56)
E finalmente.. o vídeo

Ache outros vídeos como este em RETROBITS

Agora é possível acompanhar o vídeo via comunidade Ning do Retrobits.

4 Hit Combo :

Yurian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Yurian disse...

Bravo, impressionante artigo. Outra jóia de Mestre Ryu Kanzuki :)

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Gracias a mi amigo noble Yurian. Es una gran felicidad verlo volver. :D

Mestre Ryu Kanzuki disse...

*Obrigado meu nobre Amigo Yurian. Já estava sentindo sua falta nos comentários. :D

Que hora vê-lo de volta por aqui. Apareça sempre!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...