Em Destaque

sábado, 24 de abril de 2010

(+14) Street Fighter (1987) - Controle A


ATENÇÃO
Este material não é recomendável para menores de 14 anos
Tema: Linguagem inadequada

Para comemorar o aniversário de 1 ano de Santúario, estou trazendo a vocês esta versão baseada no artigo original de 2009, sobre o primeiro Street Fighter 1, para fóruns mundo afora. Como há conteúdos para faixas maduras, este será o primeiro texto do blog com classificação etária. É uma produção bem descontraída (em outras palavras: ao liguajar dos maloqueiros de fliper) ao mesmo tempo em que o texto vai revelando curiosidades e apontando suas falhas e qualidades. Originalmente, ele seria parte integrante de um artigo sobre Street Fighter Zero, viria escondido por parte de um spoiler como um brinde, mas no fim, decidi lançá-lo separadamente.

Boa viagem...

                 e boas porradas! ;)

NESTE TÓPICO
DEDO NO JOYSTICK
UM ESTRANHO CONHECIDO
+Mostrando A Cara
+ Um pause para: Contar a história
+ Um pause para: Analisar o sistema
+ Notas sobre as animações
+ Um pause para: Analisar o som (sons de Karateca..Kiai!)
+ Bugs Bizarros (Erros de Programação)
+ O que veio depois...
+ Street Fighter vs Yie Ar Kung Fu vs Karate Champ
+ Epílogo: Street Fighter O Protótipo Do Sucesso


EXTRAS
+ Vídeo Review Japonês
+ Bastidores
+ Outras Versões

DEDO NO JOYSTICK
Street Fighter (Idem,1987,Capcom, Japão, Ação)  

UM ESTRANHO CONHECIDO
Você conhecia Street Fighter? Eu também não..até agora

Até mesmo pra quem não é voltado ao assunto, você já deve ter perdido a conta de quantas vezes o comedor amarelo, Pac-Man, aparece como ícone principal em qualquer divulgação que se relacione a games.

Que o gorducho de bigode, Mario Bros, além de ícone à altura do papador de fantasmas, é a referêcia mais aguda em jogos de Ação/Aventura em um ambiente fantástico, como num conto de fadas da Disney, cheio de plataformas e inimigos para pular em cima. Grande referência de um estilo que alguns o definiriam carinhosamente como jogos de bonequinho que pula.
Para cada faixa de Daniel San e uma vontade de lutar do Grande Dragão Branco, você terá o enredo de Street Fighter.

E dentre esses sucessos da década de 80, surge também Street Fighter, aonde o tema principal são as lutas particulares entre dois brutamontes (ou não), tirando um mano a mano, em qualquer lugar do mundo, em ambientes diversos.
Até Goku ficou louco de inveja.

A idéia do mano a  mano não era completamente original, se levar em consideração jogos anteriores como o clássico Ye Ar Kung Fu (tendo um Remake recentemente).
Mas a idéia de se adcionar golpes místicos, gerando a idéia de criar ou reproduzir um universo, lembrando filmes como : O Grande Dragão Branco e Operação Dragão, e comandos complexos que geravam movimentos especiais, acabavam por tornar o jogo uma revolução.
Space Invaders que se cuide agora

MOSTRANDO A CARA














NÃO! NÃO É ELE ,TIO..é o irmão dele...irmão do Gaiou.


Não poderia ser outro.















Isto NÃO É Super Formation Soccer cacete.*Ignora a musiquinha e os comentários*











O Mapa do Indiana Jones!!






Então tá, né? Boa sorte para o que der e vier.
Hadouken!

Hadouken!












Hadouken!













Hadouken!












Tiger!














Do quê cê tá rindo? Coloca mais ficha aí..? CPU, cê tá me sacaneando?











Shoooryuuukennn!!


Aksfkfkfkfksk *como é o nome mesmo?* ^^

E a recompensa..

UHHHHH!













OOOOOOOOH!














MFF! *Cara, que deprê!*
















EINH! *O que aconteceu?*















O papa ja deu a bênção..acabou..TCHAU!

Um pause para:  Contar a história
Era uma vez, Ryu e Sagat..

Falando em história do jogo (será que tem?), todo mundo hoje sabe que Ryu, Ken e cia são um bando de arruaceiros que arrumam confusão no mundo inteiro.Viajam para caralho, até onde o Judas perdeu as botas ,parando em lugares típicos feito a Tailândia como quem atravessa a calçada. Tudo com hospedagem paga pelo Mister Pizza Bison e tudo mais desde o Street Fighter II.











OK! A verdade é que as coisas ainda se passavam num simples torneio comum,antes do Bison aparecer para pagar as contas.

Mas historia é desculpinha suja, o lance aqui..é bata primeiro, pergunte depois..ou simplesmente não pergunte nada. Até por que, mesmo tendo alguma história, o jogo se trata de ganhar dois míseros rounds. Isso! acabou a historinha de Levels..agora é ROUND!








Como num filme de Ação, as coisas explodem..tá pensando quê? Que é brincadeira?












Não, não é mesmo.












Os caras chegam de voadora.

Você não precisa entender a história pra jogar..porém..em algum dia da sua vida de Street Player, vai certamente notar:












Que o Freddie Mercury não é nenhum viadinho frouxo e que bate pra te fuder com duas barras de ferro (noFFa, que violência!)














Que a muralha da China é um dos pontos turísticos presentes na pancadaria (Street Fighter também é arqueologia)..





















Que vai espancar seus amigos sem dó..e alguns vão reclamar do controle (e você também)..








Que não haverá respeito com os mais velhos..












Que jogos competitivos serão carinhosamente debatidos no mundo digital..


















Que aspirantes surgirão em todo lugar...e serão condenados..













Ou seja, você vai bater em TODO MUNDO (*Tipo Final Fight, sabe?*).  Mulheres e crianças também entram no pau, sem discriminação.

Mas... calma. Deixe o preconceito de lado. É só um JOGO.

Um pause para: Analisar o sistema

Bom, é fato que tinha muito nego que passava horas e horas a fio tentando dar golpes especiais na máquina.Talvez levaria até anos para os jogadores de Street perfeccionistas. ANOS..sabem o que é isso? Você perdeu metade da sua vida.. aquela piada do mestre e aprendiz na cachoeira. Até a essa hora já teria saído o Street Fighter II ou então o Titanic afundou denovo no cinema (talvez em um novo remake..vai saber?). Mas não se preocupe, o problema não é seu, é da jogabilidade. Os comandos são extremamente ruins. Sem dúvida o pior da série. (Esse sim é o momento em que se poderia dizer: ruim, ruim mesmo.  Seria o ditado .. controle não ta pegando.. uma tradição vinda de Street Fighter 1?). Apesar de sua inovadora complexidade, nem sempre o que é complexo é vantajoso, perfeito..ou excepcional.

Sim! Street Fighter foi uma ou senão a obra mais importante da Capcom. Capaz de inspirar outras obras.


Os movimentos especiais da série (acompanhada de suas vozes) estabeleceram um segmento copiado ou inspirado por outros jogos de luta do estilo. Eles são os elementos que retiram mais energia, mesmo sendo comandos normais. Às vezes um único e certeiro comando, faz a energia do outro jogador ou CPU, ir pelos ares.

Se existe algo que pode ser considerado desequilibrado em Street Fighter I, então é esse: golpes especiais são mais fortes que golpes normais. E os tais potentes movimentos nem precisavam de certas condições para se excecutar (Ex: barras de estoque ou de energia), apenas uma sorte de acertar o comando.

Eram um trabalho para qualquer esfregador de botões..
Pra falar a verdade? Tinha que esfregar mesmo.
(Tudo bem que os golpes não saem..mas não precisa quebrar a máquina, galera.)

Uma dica pra facilitar seria: tentar executar o comando quando apertar qualquer botão (recomendado: soco ou chute forte)

Também é possível excecutar especiais no segundo Bonus Stage de quebrar várias tábuas em sequência. Mas é bem difícil..como tudo de costume.

Notas sobre as animações
- Ryu e Ken podem colocar seu corpo para frente ou para trás quando estão agachados. De usual, nada de útil.















- Ao ser acertado por um hit forte, os personagens são jogados para trás.
















- A animação do avião no mapa possui um movimento de zoom.
- Quando os personagens estão parados, não há animação.
- Um personagem não pode empurrar o outro pra frente.

Diferenças entre Ryu e Ken
Bom, nem tudo é igual. Ken possuí uma espécie de puseiras amarelas e o Kimono vermelho clássico. Ryu as características de um Karateka Shotokan de verdade: protetores e Kimono branco. Caracteristicamente, essa aparência se repetiu em Street Fighter Zero.

Caçando detalhes estranhos:






Ryu e o mistério da roupa preta.
















Ken e o mistério do Kimono Dourado.

Caracteristicamente, os gráficos possuem alguns pontos Amarelos mais agudos (mais visto em Ken) e pontos mais pretos (detalhes em Ryu). Estando parado, Ryu fica sempre de boca aberta e Ken de boca fechada.
Um pause para: Analisar o som (sons de Karateca..Kiai!)

Você pode ouvir os personagens soltando um HOO.. a cada golpe.. na verdade esse som vem do Karatê.. Kiai (Para mostrar impacto no golpe)..que sai com um som de Quiou, Quiou.. (não vá pensar besteira em Kyo Kusanagi).

Uma coisa interessante é que: nos EUA os personagens falam os nomes em Inglês.
Aí você sabe que Shoryuken é Dragon Punch (Na voz digitalizada parece : Dragoum Punt), Hadouken é ..Fight Fire (Ou Balls Of Fire juro que escutei isso) e que Tatsumakisenpukyaku é Hurricane Kick (só da pra ouvir o Hurri..Kick, ou eu é que fiquei surdo).
Bom, se você sabe falar em Ingreis, ótimo!

Uma outra coisa curiosa no som é que as vozes digitalizadas também atuam no fim das lutas, nas telas de vitória. Isso é um caso que não ocorre nas versões posteriores de Street Fighter. Há também bons detalhes nos efeitos sonoros, como a tela de bônus (os aplausos que voltaram depois em Super Street Fighter II) e comemoração de alguns personagens.

Bugs Bizarros
(Erros de Programação)














Ryu e Ken ficam encalhando um no outro.

















A jogabilidade chega a ser tão ruim..que dá pau de tanto tentar jogar.
A CPU deu o pau, levou, não morreu.. e ficou flutuando? Como a CPU faz ilso? Usa foguete NO CU?

O que veio depois...


Sua continuação chegou a também receber o título de Street Fighter 89 na imprensa. A idéia foi descartada posteriormente, se tornando Final Fight - o Double Dragon da Capcom.

Alguns que participaram do elenco e estarão vivos nas próximas décadas:













Gen: O velhinho sempre em forma.














Eagle: Porque a fórmula é (quase) sempre a mesma.

Hadouken & ShoryuKen











Todo esse mito em volta de Street Fighter, fez até o Megaman dar Hadouken e Shoryuken.

Street Fighter vs Yie Ar Kung Fu vs Karate Champ

Alguns elementos notáveis:

- Vozes Digitalizadas
Yie Ar Kung (YAK) e Karate Champ (KC):
É possível ouvir e ver a palavra perfect (YAK),e ouvir o Kiai (KC).

- Animações
Yie Ar Kung Fu
















A animação para por alguns instantes durante o impacto do golpe. Coisa que ocorre em Street Fighters posteriores.










Tela preta e cenas que passam feito páginas

- Introduções









O famoso Good Luck não poderia ficar de fora.















Comemorações no final das lutas.

EPÍLOGO: Street Fighter – O Protótipo Do Sucesso
(Considerações Finais)


Por fim, Street Fighter I é tão esquisito, para quem conheceu SF II pra frente, que nem parece Street Fighter. Não é o mesmo que conhecemos dos anos 90, mas nota-se as suas referências oitentistas e idéias geniais por trás de seu ambiente estereotipado.

EXTRAS

Vídeo Review Japonês


Bastidores

Street Fighter foi dirigido por Takashi Nishiyama (creditado como Piston Takashi" no jogo) e planejado por Hiroshi Matsumoto (creditado como "Finish Hiroshi), os quais, após a produção do jogo, abandonaram a Capcom para se juntarem à SNK Playmore, onde viriam a desenvolver outros títulos como Fatal Fury e Art of Fighting.

Outras versões

PC – Engine

Turbografix CD


Ambos saíram com o título de Fighting Street (curiosamente mencionado em SFZ 3). Conta com belos remixes das músicas do original e algumas outras diferenças.
Estranhamente as vozes surgem no final da musica das telas de vitória. Mas, pelo menos, o final ganha ares diferentes daquela história de show de horrores de caras amassadas.

Não gostou desse artigo? Não deixe de conferir o Controle B na próxima postagem.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...