domingo, 11 de março de 2018

[Sessão Crítica] Pantera Negra - Xplus 3D




Apresentado em Capitão América: Guerra Civil, Pantera Negra recebe o tão aguardado longa solo desde que deixou sua marca. A Marvel Studios, com a notoriedade que ganhou e por ter se tornado a referência não só para o gênero como para o cinema – trazer dos quadrinhos a fórmula dos universos compartilhados – nos surpreende e ousa ao trazer um filme de Super-Herói protagonizado por um elenco negro, uma representatividade como raramente se vê no gênero.

Porém, há como aproveitar a obra além de sua importância social. Alguns ainda poderão comparar a história com a de O Rei Leão da Disney, acredito que tenha sido uma referência proposital. A homenagem cai muito bem ao descrever a trajetória de um rei e sua família numa aventura de ação e fantasia aonde nem tudo é o que parece – as reviravoltas muito bem elaboradas dizem por si só, envolvendo também espionagem;  camadas culturais e religiosas, características africanas em todo um contorno visual e trilha sonora (com leves modernizações)  em um capricho exorbitante.

A Marvel Studios conseguiu aqui um grande avanço em sua fórmula “Sessão da Tarde Cinematográfica” sem profundidades superficiais e alguns momentos que passam a se tornar marcantes com o tempo em que passamos a pensar neles. Porém, nem tudo são flores – a edição das batalhas são sem impacto para um longa que busca ser tão ousado, o que afeta momentos simbólicos. Uma história de ação que busca ser épica exige cenas de luta bastante agressivas na edição, nesse ponto, eu diria, a rival, Warner/ DC sai na frente (Mulher-Maravilha consegue dosar de forma excelente essa sensação de história épica e lutas impactantes).  

A Marvel Studios já prova que sabe fazer história, criar um visual deslumbrante e atualizar seus Super-Heróis para o cinema do Século XXI. Agora, o que ela precisa nos provar, são de cenas de ação impactantes, principalmente as lutas, algo que ela faz muito bem nos quadrinhos – mais do que sua obrigação – e deixa a desejar no cinema.

As mulheres também ganham forte destaque na história. Fora as viagens no tempo que já nos preparam para longas futuros como: Capitã Marvel.

ATENÇÃO: FIQUEM DURANTE E APÓS OS CRÉDITOS



MEMÓRIAS DA SESSÃO

Eu admito que o sucesso do filme foi uma surpresa pra mim. Tive um certo receio do filme ser boicotado e se tornar o primeiro grande fracasso da Marvel Studios. Sendo um projeto ousado pela sua temática completamente complexa e rara para um filme de Super-Herói (devido a todo esse movimento de representatividade por fora). Mesmo com o sucesso dos improváveis Os Guardiões da Galáxia ainda sentia essa sensação. A popularidade da Marvel Studios também auxiliou a me provar que as pessoas podem surpreender. A sala encheu, não sobrou um lugar sequer. Durante a entrada, um atendente pediu para que as pessoas que pagam meia entrada que tenham seus comprovantes em mãos para adiantar, logo depois (acredito que o mesmo) veio confirmar os ingressos das pessoas na fila. 

As pessoas ficaram bastante quietas e comportadas durante as raras cenas de humor (fora do comum para um filme do Universo Cinematográfico Marvel). Houveram risadas em alguns momentos e grandes risadas em um específico. No final, uma moça procurou levantar um aplauso mas ninguém aplaudiu. Uma pena, pois o longa merecia. Felizmente, o único barulho tenso foi o choro forte de uma criança já nos créditos.

O UCI mais uma vez não adotou a regra de etiqueta e ligou as luzes durante as cenas de créditos. Alguns casais saíram. Após a cena extra do meio, mais alguma outra parte saiu. Até o fim dos créditos, havia um grande número de pessoas na sala.

Os trailers foram de quase todos os próximos super-heróis Marvel: Deadpool 2, Vingadores: Guerra Infinita e Venom. Somente um de Jurassic World, estrelado por um protagonista dos filmes da UCM: Chris Pratt. Pontualmente, a abertura das chamadas antes do filme começaram no horário da sessão e levaram uns 16 minutos, contando também as duas chamadas do UCI Xplus.
               

S E S S Ã O   C R Í T I C A
P A N T E R A   N E G R A
SESSÃO ACOMPANHADA: UCI PARKSHOPPING – 16/02/ 2018 (SEXTA-FEIRA)

1 Hit Combo :

Synbios disse...

Capitã Marvel eu vou ver, jogo com ela(ou melhor, jogava, já que o jogo morreu) no Marvel vs Capcom Infinite e estou curioso para ver a personagem nas telonas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...