Em Destaque

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

[Sessão Crítica] Alguém Para Dividir Os Sonhos (Dir. Tim Hunter, 1992) - Postagem Especial de Natal

NESTA POSTAGEM

SESSÃO CRÍTICA
ALGUÉM PARA DIVIDIR OS SONHOS
FICHA TÉCNICA

EXTRAS
MEMÓRIAS DA SESSÃO (MEADOS ENTRE 2006 E 2007)
BASTIDORES


Feliz Natal by Mestre Ryu on Mixcloud

SESSÃO CRÍTICA

Alguém Para Dividir Os Sonhos

UM DIGNO 
CONTO BÍBLICO MODERNO
Danny Glover e Matt Dillon vivem entre realidade e sonhos que se misturam em meio a dura vida nas ruas de Nova York

Este conto contemporâneo de drama tem direção de Tim Hunter (do piloto da conceituada série dos anos 80 e 90, Barrados no Baile), estrelado por um brilhante elenco (pouco visto atualmente) como: Danny Glover (Máquina Mortífera); Matt Dillon (Crash: No Limite) e Ving Rhames (Missão: Impossível). Surpreendente não só pelos nomes entre o cast, como a parte técnica ser assinada por nomes lendários como: James Newton (Batman Begins) na trilha sonora - que 1 ano depois trabalharia em O Fugitivo - e com som gravado em uma THX Sound System Theater (criada pela extinta marca Lucasfilm, de George Lucas - o pai de Star Wars). 

A história é narrada por Jerry (Danny Glover), um veterano combatente do vietnã que perdeu tudo, inclusive a mulher, a filha, o próprio emprego e agora vive nas ruas. Com a demolição de seu lar, Matthew (Matt Dilion) é obrigado a perambular pelas ruas, quando passa a conhecer Jerry. A amizade entre os dois protagonistas nasce de uma forma simples - e o mais forte de tudo é que Jerry é mais velho do que Matthew, que praticamente o adota como um filho, depositando nele toda a confiança de um verdadeiro irmão, passando a sua experiência e proteção. 
Juntos, acabam em um abrigo público de Saint Wanshington, passando por riscos, já que o local é aterrorizado pelas ambições do marginal Little Leroy (Ving Rhames) - um lobo entre as ovelhas.   Matthew perambula durante o dia procurando uma forma de sair daquele pesadelo e descobre irregularidades no desabamento do condomínio alugado onde morava e tenta contatos alternativos sem sucesso. A vida de Matthew sugere um relacionamento complicado com os seus familiares (mãe e irmã) não explicado pela trama (aparentemente um problema de contato apenas ou algo pior?). 
Além da inocência, bondade e impulsividades, os sonhos é o principal ditado de Matt e Jerry (sendo uma das palavras que dá nome ao título traduzido no Brasil, de forma justa), sejam pelas suas buscas ou sejam como parte de uma intuição, em meio a dura realidade das ruas embalada por uma excelente fotografia e trilha sonora (elementos que certamente poderiam render belas indicações ao Oscar 93). 
Sem conhecer o lado mágico do drama e sem levar em consideração que se trata apenas de uma história sobre pessoas desabrigadas, a realidade que retrata Jerry e Matt tentando sobreviver nas ruas parece perder força com o sugestivo tom de fantasia/ ficção. Levando essa ideia em consideração, é necessário novas sessões para observar outros pontos além dessa suavização. Olhando com mais atenção e sensibilidade, o ato onde Matt começa a ver o seu futuro ao lado de seu pai adotivo, Jerry, entendemos que tudo é sobre esperança.  O conceito de gerar a ideia de uma história Bíblica moderna, de certa forma movimenta um ar de mistério ainda maior ao personagem Matt - que é esquizofrênico (e pela sinopse, ele havia recém-saído de um hospital psiquiátrico).  

Matt Dillon, em ótima performance, já havia comentado em uma entrevista que Matthew é o seu papel favorito na carreira, Danny Glover se mostra com um vigor brilhante e Ving Rhames um vilão formidável. Certamente um dos melhores trabalhos do trio. 

Matt e Jerry vivem um retrato de uma fiel antropologia social diante de uma dura realidade, encaram com senso de humor; procuram levantar um ao outro - quando este, que um dia acreditou, se entrega ao impossível; lidam com perdas; mas acreditam no que se tem em mãos para seguir em frente.
Com mensagens de fraternidade, solidariedade e trabalho em equipe faz de Alguém Para Dividir Os Sonhos funcionar perfeitamente como uma aula de terapia, seja ela: institucional; corporativa; familiar ou sobre si mesmo. Um dos grandes longas desconhecidos para se assistir em qualquer momento e em especial nesta época Natalina.

EXTRAS
MEMÓRIAS DA SESSÃO 
(MEADOS ENTRE 2006 E 2007)
Cheguei a conhecer a obra por um acaso, quando estava fazendo hora antes de ir pra Faculdade e zapeando canais da TV a Cabo, isso devia ser em meados de 2006, quando paro no canal Mundo. Estava ainda no começo, quando os dois protagonistas estão se conhecendo. E esse foi o inesquecível momento em que passei a conhecer este incrível tesouro perdido dos anos 90. E por uma feliz coincidência , descobri um tempo depois que o meu pai tinha o VHS em sua coleção. Um tempo depois (acredito que em 2007) eu milagrosamente encontrei a versão em DVD (da série DVD Mania: Número 1) em uma banca de jornal. A mesma versão pode ser encontrada nas Lojas Americanas por R$ 9,99. O problema da versão em DVD é que a música de Julia Fordham (Shame) não é traduzida - e essa tradução garantia uma essência profunda aos momentos finais.   

Respectivamente, a embalagem do VHS, a versão da DVD Mania e a versão atual (meados de 2012)

CURIOSIDADES
 Nina Siemaszko é Tamsen, mulher do personagem Rosario (*Rick Aviles). A única protagonista feminina da trama.

Rick, em Ghost (acima),  e em Alguém para Dividir Os Sonhos (abaixo, ao lado direito de Matt)

*Rick Aviles (pelo nome de batismo: Richard Anthony Aviles - nasceu em 14 de Outubro de 1952 em Nova York e faleceu aos 42 anos, em 17 de março de 1995 em Los Angeles, California) ficou conhecido por Ghost: Do Outro Lado da Vida e também esteve em O Pagamento Final (1993).

A maioria das fontes da internet data o filme desde quando foi apresentado no Festival de filmes de Toronto pela primeira vez em 13/ 9/ 93. Levando em consideração o banco de dados de filmes IMDB, o longa chegou aos grande circuito de cinemas entre 1993 e 1995 ao redor do mundo. No site de Roger Ebert, o famoso crítico americano, sua análise do filme data em 7 de Janeiro de 1994, meses após o lançamento.

FICHA TÉCNICA
Título Original: The Saint Of Fort Washington 
Sessão Acompanhada: DVD - 15:00 - 21/12/13
Direção: Tim Hunter
Duração: 103 Minutos
Gênero: Drama
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...