Em Destaque

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

[Sessão Crítica Edição Especial] O Corvo (1994) - Postagem Para Colecionadores

NESTA POSTAGEM

SESSÃO CRÍTICA 
(EDIÇÃO ESPECIAL)
O CORVO

SAINDO DA COVA
TESTEMUNHANDO A ORIGEM
COMPARAÇÕES: FILME X QUADRINHOS
ÁLBUNS DO FILME
VÍDEOCLIPES
CENAS EXCLUÍDAS
TRAILER
PROPAGANDA DE TV
TRIBUTOS
BASTIDORES
GALERIA



SESSÃO CRÍTICA 
O CORVO (1994)

UM ANJO NA ESCURIDÃO
Adaptação de Alex Proyas afina o personagem de James O' Barr

Há muito o que se dizer desta adaptação, O Corvo. Me lembro que, em meados de 1993, quando foi anunciado o misterioso falecimento de Brandon Lee, as circunstâncias repercutidas na mídia me deixaram intrigado. Daí, se levantou novamente as dúvidas envolvendo uma outra grande perda. O de seu famoso pai. Não era ninguém mais e ninguém menos do que Bruce Lee. O astro das artes marciais e dos filmes de ação da década de 70.

Por mais que alguns digam o contrário, eu considero Eric Draven (Brandon Lee) como o primeiro Super-Herói grunge da história e não se fala mais nisso. Se torna um justiceiro por acaso, de uma forma bastante coerente com a religiosidade. Sem acidentes fenomenais, mutações ou supersoros. Ele ganha a imortalidade ao perder sua vida da pior maneira. Sem nenhum motivo, é assassinado brutalmente, junto com a sua namorada (que também é violentada pelos assassinos).

Eric é tão sombrio quanto todos os outros heróis típicos que eu já vi até hoje. Além disso, a sua forma de se vestir, um anjo em um sobretudo preto e no lugar de uma máscara (características dos Super-Heróis clássicos) usa pinturas no rosto, lembrando as de um palhaço sinistro (ou então, uma espécie de preparação para a guerra sangrenta que estará por vir). Toda essa atualização coincide justamente com o mundo moderno e cada vez mais violento onde vivemos.

Por obter uma abordagem mais adulta e pesada quanto as outras adaptações de Super-Herói até aquele momento (por exemplo: Batman O Retorno) com: cenas de nudez, consumo de drogas e insinuações de sexo, O Corvo impressionou a crítica.

Por tais cartadas tão ousadas, foi considerado a melhor adaptação de quadrinhos até aquele momento. Não há um universo pintado ou caracterizado. Batman é muito ligado a um universo visual e O Corvo é bastante cinza, como as páginas preto e branco de sua HQ. Isso faz com que outras adaptações do gênero pareçam um mero conto de fadas. Sem ofensas, é claro.

A fotografia noturna e os voos panorâmicos da câmera estão entre um dos atrativos técnicos. Outra coisa que se torna marca registrada do filme é sem dúvida a sua ótima trilha sonora. Tanto Graeme Revell quanto os artistas que tocam os temas, trazem a mistura entre o moderno e misterioso que essa obra precisa.

 Essencialmente há muitas diferenças entre o filme e a obra original. Uma característica que certamente causa a ira dos leitores que não conseguem separar as necessidades de cada obra. A HQ de James O' Barr certamente é bem mais psicológica. Explora bem mais os sonhos, os pesadelos e as pertubações de Eric Draven em textos e imagens. Ligando exatamente todo esse sentimento de fúria e violência sentida pelo personagem e pelos criminosos em um tipo de mundo perdido.

Já o filme de Alex Proyas, tenta explicar outros elementos. Tentar explorar as condições físicas do personagem e essa ligação com o pássaro. Tenta expor o personagem de uma forma mais humana - e acaba deixando algumas perguntas em sua conclusão.

Seria o corvo realmente a fonte de força de Eric ou seria  a chegada do fim de sua jornada o motivo de seu enfraquecimento na Terra? O momento onde ele e sua namorada se reencontram no fim, pode ser até mesmo interpretado como uma forma de redenção do paraíso sobre os pecados da humanidade.

No fim, tudo pode ser destruído ou cair em ruínas, o que o salva é o amor (assim como descreve a garota no epílogo). A verdade é que tudo é por amor, quando sentimos raiva ou vontade de se vingar por terem nos machucado ou por terem machucado alguém próximo de nós.

Levando em consideração conceitos técnicos do roteiro, deixando o conceito espiritual de lado, verá um filme recheado de clichês. Não espere ver um típico de história feita para pregar sustos, apesar das referências vampíricas. Não se surpreenderá, se assistir apenas a olho nu. Para uma apreciação completa, deve ser observado cuidadosamente das duas formas, tanto espiritual quanto técnica.

SAINDO DA COVA

TESTEMUNHANDO A ORIGEM

Com base nas informações de sites renomados como Guia dos Quadrinhos e Wikipedia, James O'Barr é um escritor e artista de talento próprio. Criou seu personagem, O Corvo, após perder sua noiva, em 1978, atropelada por um motorista bêbado. Ele começou a escrever sua história, em meados de 1981, depois que ingressou no exército da Marinha em Berlim.

O cotovelo de Deus parecia lhe sufocar o pescoço todo o tempo e sua resposta para essa tragédia foi a arte. O' Barr achou que isso seria uma forma de purificação, mas logo percebeu que nada daquilo adiantava. Parecia auto-destrutivo reagir a situação, com tanta ira e algumas passagens de assassinato em suas páginas. Houveram até rumores de que ele tinha se suicidado após um atraso entre o terceiro e quarto volume.

Seu criador idealizou O Corvo como uma história fixa. Não para ser contínua, como costumam ser os outros quadrinhos mensais ou semanais publicados pela DC e Marvel. O'Barr define a jornada de Eric, seu personagem, como alguém que, a cada culpado que ele mata, está apagando a razão de sua existência. Para O'Barr, existe um amor que ultrapassa a morte. E quando a alma é recusada por ela, retorna para o acerto de contas.

Entre as inspirações de James O'Barr estão poetas Franceses e até músicos como Iggy Pop. Ele também credita seu estilo às esculturas renascentistas clássicas e os dois anos de escola médica.

COMPARAÇÕES: FILME X QUADRINHOS
Gênero: No filme de Alex Proyas, há um misto de drama familiar, clima policial noir, ação, faroeste e pitadas de humor negro. É quase como uma extensão da HQ de James O'Barr, deixando de lado alguns pequenos detalhes e alguns personagens secundários enquanto amarra outros pontos e situações novas na narrativa.
Símbolo: No filme, além de estar mais suavizado (mostrando-o mais de sua humanidade, livrando mães da morfina, mulheres de tiroteios e policiais de vícios em cigarro) Eric ganhou algumas característica mais próxima dos outros Super-Heróis: o símbolo. Ele deixa um desenho na forma de um Corvo no corpo dos inimigos ou para marcar território.

Flashbacks#1: Nos quadrinhos há outras passagens provocando a ideia de pertubação, como o de um cavalo branco sendo perfurado por uma cerca (Prólogo: lamento, dor e medo). Além das muitas visões mostrando o amor entre Eric Draven e sua namorada, Shelly Webster interrompidas com a tragédia de um disparo de revóver. 
Flashbacks#2: No filme, bem no fim, Eric chega a ver crianças mascaradas brincando no dia das bruxas, deixa a dúvida se são visões de espíritos ou crianças vivas. 
Flashbacks#3: O primeiro ato de flashbacks termina fazendo uma ligação importante, não citada nos quadrinhos: o motivo da maquiagem. Eric teria se inspirando nas lembranças mais puras e amorosas de quando brincava com sua amada usando uma máscara de fantasia.    

O assassinato de Eric e Shelly#1: Nas HQs, Eric e Shelly estão em uma estrada, com o carro enguiçado, acabando por serem vítimas dos assassinos, todos drogados e violentos. Num atrito para tentar salvar Shelly, leva dois tiros na cabeça. No hospital, os médicos tentam reanimá-lo, mas é tarde. É mostrado os seus sinais de vida indo aos poucos. 
O assassinato de Eric e Shelly#2: Diferente da versão dos quadrinhos, Eric é morto pelos assassinos antes de Shelly. Ao cair de uma janela após uma violenta rajada de tiros. Quem aparece sendo reanimada pelos médicos é Shelly. 

Shelly Webster (Sofia Shinas): A noiva de Eric Draven, a versão dos quadrinhos (capítulo 5: Exibição Atroz) e a versão para o cinema. 
Tin Tin (Laurence Mason): Nas HQs e no filme respectivamente. Na adaptação dos quadrinhos, Tin Tin é mestre em facas.


O acerto de contas com Tin Tin: Os diálogos do filme deixam claros que o assassinato de Eric e sua noiva, Shelly, foi no dia das bruxas. E na HQ (Capítulo 1: Dor), o reencontro entre Eric e o criminoso se passa numa noite fria de Outubro - não especificando a data.


O acerto de contas com Tin Tin#2: Nas HQs, Eric começa a questionar Tin Tin e depois tira o seu revólver após alguns disparos. Surgem diálogos e flashbacks do dia do crime - com imagens de cemitério e falas ocultas. Enquanto a ave tenta proteger Eric de visões se comunicando com ele.

O acerto de contas com Tin Tin#3: No filme, há uma luta corporal e Eric o desarma de uma de suas facas. Eric começa a falar sobre seu assassinato e de sua esposa, flashbacks do momento aparecem. Diferente da HQ, Eric não apenas dá surra como também apanha. Ele se sente enfraquecido quando Tin Tin detalha os momentos de estrupo de uma forma ríspida.  A ave aparece observando o confronto. Em ambas as versões da história, Tin Tin é vítima de sua própria arma (pela arma ou pela faca, dependendo da obra).

(Cena do quadrinho e do filme respectivamente)

Anel de Compromisso: Eric busca o anel de noivado de sua namorada, Shelly. Na HQ (Capítulo 2: Medo, página 72), ele invade a loja com uma arma. Em ambas as versões, ele enfia uma faca no mão do comprador, para obrigá-lo a dizer onde está a peça.

Gideon (Jon Polito) o comprador dos anéis. Visual na HQ e filme respectivamente.

Uma das primeiras cenas do encontro entre Eric e Gideon (HQ e filme respectivamente). No filme, a cena anterior, em que Gideon está contando dinheiro de recibo, não faz referência a nenhum nome. Na HQ, Gideon faz referência a um personagem chamado Ratso.

No final do encontro entre os dois, no filme, Gideon passa a provocar Eric chamando-o de entulho. Eric, com a espingarda e com várias alianças de casal que ele coloca no tubo da arma, atira em uma gasolina e explode a loja. Gideon sai safo, mas com a loja destruída.

Nesse meio tempo, recebe um recado de Eric: -Diga aos seus amigos que a morte está chegando para eles. Mensagem que, nas HQs, é recebida por outro personagem: Funboy. Na HQ, Gideon o provoca com uma arma e Eric corresponde mantando-o de forma bastante seca à tiros. Logo depois, explode a loja, após ser abordado por um policial.
Sargento Albretcht (Ernie Hudson): O personagem é uma reencarnação do Capitão Hook da HQ. Diferente de Hook, Albretcht é mais atuante nas cenas de ação e na interação com Eric.

Sarah (Rochelle Davis): Na HQ (Capítulo 3) em meio a busca dos rastros de Funboy, Eric se aproxima de uma criança e lhe entrega um cordão de sua noiva. Ao perguntar seu nome, ela se revela como Sherri. Nome próximo ao de sua falecida cônjuge. No filme, Sarah é uma reencarnação dessa personagem da HQ e era cuidada como uma filha adotiva de Eric e sua noiva, Shelly.

Funboy (Michael Masee):  O namorado de Darla e um dos assassinos.
Darla/ Anna Thmpson (Anna Levine): Namora Funboy. É a mãe biológica (e desnaturada) de Sarah. Na HQ o parentesco com sua personagem se chama Sandy, também uma viciada em drogas.


Eric encontra Funboy: Filme e HQ (Capítulo 3: Ironia e desespero). Na HQ, Funboy é safo do primeiro encontro, com um pedido de Eric para que ele reúna todos os seus amigos assassinos.
O castigo de Funboy: Nas HQs (Capítulo 7: Morte), Eric obriga Funboy a se intoxicar com as suas próprias drogas. No filme, Funboy é torturado com tiros e depois é encontrado com várias seringas no peito (inseridas por Eric) marcado com o símbolo do Corvo. 

Ligação familiar: Na HQ, Eric dá uma lição de moral em Sandy para que ela deixe aquele submundo na frente de seu namorado, o criminoso Funboy. No filme, Eric pega o braço de Darla e retira o líquido da droga de seu braço, após a morte de Funboy. No filme, a aproximação dos laços familiares entre Darla e Sarah são mostrados.
T-Bird (David Patrick Kelly): Na HQ (Capítulo 8) é o último assassino a ser subjugado por Eric, com um martelo. No filme, ele é preso em um carro com uma bomba e explode, com o veículo em movimento, caindo em um lago.
Sanchez (Thomas Rosales Jr. /Tom Rosales): Era um dos criminosos na HQ que confronta Top Dollar (Capítulo 1). Nos filme,  faz uma aparição relâmpago durante a reunião com o líder do crime.

Skank (Angel David): personagem original do filme. É um dos capangas de Top Dollar e um dos assassinos. Antes da morte de T-Bird, é atropelado por um carro e ainda leva uma surra do motorista. Eric se vinga de Skank o jogando de uma janela (o troco pela mesma moeda que Top Dollar recebe na HQ com um tiro na cabeça).  

Respectivamente: Top Dollar na HQ e na adaptação, ganhou uma meia irmã. 

Top Dollar (Michael Wincott): No filme, ele é um antagonista  que cria um tremendo desafio para Eric, acabando por conhecer bem as fraquezas do herói e piorá-las graças à sua irmã, Myca (a bela chinesa, Bai Ling). Apesar de toda a perversidade sem causa de sua gangue - ele não foge muito a regra mas é pior, muito pior. É bastante inteligente e com planos excêntricos. Embora não fiquem muito claros, já deixa claro o perigo que ele pode representar para toda uma cidade. Junto de Myca, formam um belo casal diabólico.

O Matador de matadores¹: A cena mais bombástica do filme (com muito tiroteio) originalmente ocorre no primeiro capítulo da HQ. Eric, fica do lado de fora ouvindo a conversa dos assassinos.


O Matador de matadores²: Na HQ (Capítulo 1: Dor, começando por meados da página 40), os criminosos percebem o movimento e ele surge. No filme, Eric se apresenta aos criminosos como um intruso e é recebido a balas. Quando retorna, dá um tiro na cabeça de um dos capangas que vai verificar o corpo.


Revelações finais: No fim do tiroteio, na HQ, Top Dollar revela, sem lamentação, ter se lembrado do assassinato de Eric e sua esposa. Eric lhe dá o troco com um tiro na cabeça. No filme, Dollar sai de cena e depois encara o herói no confronto final. Eric joga a ele todo o peso de seu sofrimento preso em suas memórias. Metaforicamente é um encerramento parecido para o criminoso, contada de forma diferente. Eric subjuga, com a dor, como resposta a trágica perda de sua felicidade.

Caubói Caveira (Michael Barryman):  Na HQ, ele faz uma breve aparição no Prólogo e no fim do Capítulo 1. Veja mais cenas excluídas.
Gabriel: O gato de Eric, tem seu destino traçado nas HQs após sua partida. Ele deixa sob os cuidados do Capitão Hook, a pedido de um testamento, assim como Sherri. 
Usando espadas em meio um bando de tiros: HQ (Capítulo 2:  Medo) e filme (a cena antológica do tiroteio após a reunião dos criminosos)

Rock n' Roll: Na HQ, há uma referência a uma música do The Cure. Na verdade, toda a letra da canção The Hanging Garden*¹ de 1984 é citada. No filme, Eric é um astro do Rock. E há um repertório todo dedicado a geração grunge.

*¹Veja o videoclipe abaixo:


ÁLBUNS DO FILME
TRILHA SONORA ORIGINAL
(ORIGINAL SOUNDTRACK)

1. Cure, The – Burn (6:39)
2. Machines Of Loving Grace – Golgotha Tenement Blues  (3:58)
3.Stone Temple Pilots – Big Empty (4:55)
4.Nine Inch Nails – Dead Souls (4:52)
5.Rage Against The Machine – Darkness (3:41)
6.Violent Femmes – Color Me Once (4:10)
7.Rollins Band – Ghostrider (5:44)
8.Helmet (2) – Milktoast (3:59)
9.Pantera – The Badge (3:53)
10. For Love Not Lisa – Slip Slide Melting (5:45)
11. My Life With The Thrill Kill Kult – After The Flesh (2:58)
12. Jesus And Mary Chain, The – Snakedriver (3:39)
13Medicine (2) – Time Baby III (3:50)
14. Jane Siberry – It Can't Rain All The Time (5:34)


TRILHA SONORA INSTRUMENTAL
(ORIGINAL SOUNDTRACK SCORE)

Compositor: Graeme Revell (Caçada ao Outubro Vermelho; Street Fighter: A Última Batalha)

1. Birth Of The Legend (6:17)
2. Resurrection (2:10)
3.The Crow Descends (2:32)
4. Remembrance (2:56)
5. Rain Forever  (2:33)
6. "Her Eyes...So Innocent" (2:46)
7. Tracking The Prey (3:36)
8. Pain And Retribution (2:34)
9. Believe In Angels (3:32)
10. Captive Child (2:34)
11. Devil's Night (2:31)
12. On Hallowed Ground (2:43)
13. Inferno (5:03)
14. Return To The Grave (3:46)
15. Last Rites (3:56)

VIDEOCLIPES
Videoclipes oficiais da trilha sonora do filme


Helmet - Milquetoast


After The Flesh - My Life With the Thrill Kill Kult


Time Baby III - Medicine


CENAS EXCLUÍDAS
Cena Extendda 1 -  Guitarra  (Em Inglês)

 Cena Extendda 2 - Saindo da Cova  (Em Inglês)


Cena Extendida 3 - A Morte de Funboy (Em Inglês)


Cena Extendida 4 - Tiroteio* (Em Inglês)

*Esta não foi a cena em que Brandon Lee morreu

Cena Deletada - Caubói Caveira

Neste que é uma das cenas deletadas menos populares, o personagem seria uma espécie de mentor do herói, Eric Daraven/ O Corvo. Skull Cowboy é interpretado por Michael Barryman e também seria a provável explicação para as habilidades de guerra (lutas e manuseio de armas) adquiridas pelo protagonista.

TRAILER



PROPAGANDA DE TV
TELA DE SUCESSOS (SBT)


TRIBUTO
E se O Corvo fosse um jogo de videogame? 
Um vídeo criado por um fã misturando cenas de videogame com cenas do filme criando a ilusão de uma propaganda de um jogo do Corvo pela Eidos (Tomb Raider) quase perfeito. Veja:


Videoclipe feito por fás da música Burn 
A música tema de uma das cenas mais famosas do filme não tem videoclipe oficial, mas os fãs resolveram fazer a sua versão. Ouça e veja:


BASTIDORES

A matéria acima foi guardada pelo meu pai, como capa, em nosso VHS do filme. Ele me apresentou a notícia e comentou sobre o caso. Por um momento senti uma tremenda curiosidade de conhecer o filme.
Embora eu nunca chegasse a imaginar que se tratava de um filme de Super-Herói (e repito: por mais que algumas pessoas digam o contrário).

Jon Bon Jovi nos anos 90. Será que vingaria O Corvo 2 com ele?

Teve até rumores sobre Jon Bon Jovi como o novo Corvo em uma possível sequência para os cinemas.
E isso realmente aconteceu, em 1997, com O Corvo: Cidade dos Anjos. Eu pensava que fosse uma história original, mas na verdade - fazendo uma releitura do primeiro filme já que a história também se trata de vingança.

(A trilogia da vingança)
Sendo que a continuação é uma adaptação de uma trilogia em quadrinhos de mesmo nome. Visto acima.


A Última Entrevista com Brandon Lee (Legendado) - Dstribuído por Miramax Filmes



Teoria sobre o Acidente de Brandon Lee (Em Inglês)


A cena da morte: Cogita-se que seria a parte do Flashback, quando Eric é assassinado a tiros ao lado de sua esposa - a bala teria vindo dos vestígios de bala da arma, de calibre 38, disparada por seu colega de trabalho, Michael Massee (Funboy), em meio as balas de festim. A bala atravessou sua espinha, atingindo seu abdômen. Brandon iria se casar após as filmagens.

O Corvo: Por Trás das Câmeras - Parte 1


O Corvo: Por Trás das Câmeras - Parte 2


O Corvo: Por Trás das Cameras - Parte 1 e 2


O Corvo: Por Trás das Câmeras - Parte 3


Entrevista com Brandon Lee (MTV)


CORTESIA
Quadrinho (HQ que inspirou o filme)
Instruções: Para começar a leitura, clique na imagem acima para entrar na galeria de nossa página no Facebook.

Filme (Dublado)


FICHA TÉCNICA
Título Original: The Crow
Sessão Acompanhada: SBT Tela de Sucessos - 22:30/ 22:57 (30/03/2012 Sexta-Feira) - 00:53 (Sábado) na cópia Dublada ; Estúdio Sala (casa) - 23:00 (14/11/2012 Quarta-Feira)  - 01:00 (15/11/2012 Quinta-Feira) na opção com legendas em português (DVD)
Gênero: Ação/ Drama
Direção: Alex Proyas (Eu, Robô)
País: E.U.A.
Data de lançamento: 11 de Maio de 1994

DEDICAÇÕES DESTA POSTAGEM
Para Brandon (1965-1993),
Vá com Deus.

E para as amigas: Aline, Miya e  Eliana.

4 Hit Combo :

Miya Camelot disse...

PERFEITO!!! PERFEITO!!! Não tenho nem palavras pra descrever esse post. Primeiro por ser meu filme favorito e segundo pelo cuidado e carinho que vc teve ao escrever! Deve ter dado muito trabalho coletar todos esses dados... mas ficou espetacular!!! Com certeza irei guardar em meu coração!!!

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Obrigado, querida!! Fico feliz e satisfeito que gostou !! Foi de coração. \o/

Realmente deu trabalho sim. Principalmente pra encontrar o Sanchez!! hehe!! Mas amei fazer tudo, desde o processo da crítica aos extras e incluindo também as edições de imagens.

Uma curiosidade é que reproduzi dois cartazes através da edição de imagens. Um é Americano (que é capa do post) e o outro é Italiano (na parte de ficha técnica). Busquei traduzir a descrição da capa Americana e no Italiano aproveitei a descrição de um VHS que eu vi (para coincidir com a época em que conhecemos o filme).

Kinho Borges disse...

Cara, meus parabéns! andei pesquisando na internet sobre o filme, do qual eu sou muito fã, e o seu blog foi o mais completo que encontrei! descobri muita coisa aqui que eu não sabia! muito obrigado pelo seu empenho e dedicação! Brandon Lee, onde quer que ele esteja, com certeza ficou muito orgulhoso!forte abraço!

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Muito obrigado, meu caro Kinho Borges !! :D

Depositei todas as minhas forças nessa obra que é, certamente, um dos meus filmes favoritos de todos os tempos.

(Que Deus abençoe suas palavras !)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...