Em Destaque

domingo, 18 de março de 2012

[SESSÃO CRÍTICA] Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança 3D - Legendado

NESTA POSTAGEM 
 
SESSÃO CRÍTICA
MOTOQUEIRO FANTASMA 2: ESPÍRITO DE VINGANÇA 

FICHA TÉCNICA
TRAILER 1 
TRAILER 2



SESSÃO CRÍTICA
MOTOQUEIRO FANTASMA: ESPÍRITO DE VINGANÇA  

RASTROS DE ENXOFRE
 Sem emergir como o esperado, Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança, principalmente pela crítica, foi jogado de volta aos confins do fundo quente (como o primeiro filme) mas se tornou um grande sucesso de público no Brasil. Hoje eu finalmente pude assisti a produção no formato 3D e a sessão de 21: 50 (a penúltima) estava lotada - mesmo após completar 1 mês de sua estréia.

Na história, Johnny Blaze percorre pelo mundo para combater sua maldição (o pacto que ele fez com o demônio para tentar salvar a vida de seu pai como visto no primeiro filme). Para isso, recebe a missão de proteger um menino antes que Roarke (uma das encarnações do demo) o encontre. 

Quem encarna O Motoqueiro Fantasma/ Johnny Blaze é Nicolas Cage - agora alvo de critícas por suas caras e bocas já se tornarem um clichê. Ao tentar oferecer um senso enlouquecido diferente para o personagem, tirando a risadinha desafinada, acaba estando muito bem fugindo de seu padrão.

O filme durou 4 anos para ser produzido (eu acompanhava as novidades desde 2008) mas aparentemente não cumpriram o prometido. Tem a sua linhagem técnica de suspense (você pode até se assustar com alguns sons) e um tom mais sombrio, mais agitado e nem um pouco romântico (como o primeiro filme buscava mais ou menos propor). A história segue uma trama simples e sem amadurecimento - embora explique o motivação do personagem em ser um super herói do que um vilão. 

No formato 3D, pouco notei os efeitos tridimensionais, a não ser em cenas que a câmera foca um movimento grande de pessoas próximas a tela, fora os efeitos de fogo, as correntes do motoqueiro e fragmentação de roupas, corpos e outras formas. 


- O filme ainda traz uma participação especialíssima de Christopher Lambert (o eterno Highlander) como o padre Methodius.
 
- O vilão Blecaute/ Ray Carrigan (Johnny Whitworth) veio para trazer um desafio maior ao Motoqueiro. Ele tem o poder da deterioração.
 
- Nicolas Cage é o amaldiçoado Johnny Blaze. Será que ele encontrará sua cura?

- Cirián Hinds (também conhecido pela cinessérie Harry Potter) é Roarke.

- Sem super poderes, hora de partir para a guerra a base do velho chumbo grosso ao lado de Moreau (Idris Elba) e Nadya (Violante Placido).
- Bastidores: criando o truque do visual incendiado de Johnny Blaze.

- A versão definitiva do herói surgiu nos quadrinhos da Marvel, desenhado por Mike e com argumento de Roy Thomas e Gary Friedrinch. Sua estréia foi em agosto de 1975 na edição número 5 da série Marvel  Spotlight.

- Antes de se tornar motoqueiro, o Cavalheiro Fantasma (ou Phantom Rider) era o seu ancestral. Sem a forma do herói, ele se chamava Carter Slade. Morreu na edição 7 da série Western Gunfighters. Posteriormente foi substituido por um outro personagem, Jamie Jacobs, que teve o mesmo trágico destino em ação. A versão faroeste do herói surgiu em 1949 e a série regular começou a ser publicada em 1967.  Em uma viagem no tempo para o século XIX, Johnny Blaze chegou a encontrar Carter Slade e ambos se tornaram amigos de batalha.


- Em 16 de Fevereiro de 2007, Motoqueiro Fantasma chegava aos cinemas incendiando tudo.


- Já o cartaz, e outras promessas comerciais do segundo filme, dedicava-se a mais maturidade e carnificina a trama. Ao menos a diversão se manteve garantida.

FICHA TÉCNICA 
Título Original: Ghost Rider: Spirit Of Vengeance 
Data de Lançamento: 17 de Fevereiro de 2012 (Brasil)
Sessão Acompanhada: Norte Shopping 21:50 Sábado (17/03/12)
País: E.U.A.
Duração: 95 Minutos
Gênero: Ação

TRAILER 1 

TRAILER 2

2 Hit Combo :

Léo disse...

Confesso que não gostei muito do filme.

Ele é meio vago em seu roteiro (além de fraco), dá a impressão de que as coisas são jogadas na tela e acontecem. Meio desnorteante.

Sem contar que o contexto é totalmente diferente, pois o Motoqueiro do primeiro filme não é tão "anti-social" quanto nesse, pois ele não tinha que se controlar pra não matar inocentes. Tirando o próprio Motoqueiro, o resto dos personagens e fatos do filme anterior parece ter não acontecido ou ter acontecido de modo diferente.

Só fui gostando mesmo da filmee na parte final, no entanto, o correto seria um interesse "onipresente".

Nicolas Cage, como quase sempre é tão expressivo como um tijolo. Pelo menos a garota do filme é bonita. (pelo menos isso).

No final das contas, é um filme BEM mais ou menos, digno de ser visto só quando não se tem ABSOLUTAMENTE NADA pra se fazer.

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Gostei da crítica, Léo. haha!
Pena que não tem um botão 'curtir' no blogger pelo seu comentário. Tudo o que você disse é fato. Mas pelo que eu li sobre as HQs, ele é meio sombrio assim mesmo. E eu achei que eles pegaram bem leve nesse filme apesar de toda a propaganda.

Obrigado Léo por compartilhar seus conhecimentos conosco.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...