Em Destaque

domingo, 24 de abril de 2011

[Street Fighter II 20 Anos - ROUND 1] Dedo No Joystick: Street Fighter II The World Warrior (SNES)

NESTA POSTAGEM

Em questão: Street Fighter II - The World Warrior (SNES)

Snes vs Arcade
Extras e Cortes
Trilha Sonora
Combos
Fim dos Bugs?
Player Select - Quem é quem



EM QUESTÃO
STREET FIGHTER II: THE WORLD WARRIOR (SNES)
O JOGO QUE FEZ ESCOLA
Radugé, Alec Full, Horiugé…

Se você tem mais ou menos a faixa dos 20-25 anos, e não freqüentava fliperamas, já deve ter perdido a conta de quantas vezes os Nerds da sua sala saíram brincando com essas palavrinhas mágicas por aí. Sem que você provavelmente nem saiba de onde diabos vieram esses nomes.

Culpado pelas filas enormes que eram geradas, maiores até que as do INSS, em localidades como padarias e bazares. O que não tinham nada a ver com a correria contra a inflação para comprar pão ou uma...pinga (!). Street Fighter II chegava no começo dos anos 90 aos Fliperamas, abafando a fama razoável do primeiro jogo.

Essa famosa marcha dos pingüins era constituída por todo tipo de Rato de Fliper, desde os observadores a aqueles que tiveram o seu AXE vencido a duas semanas e meia, se amontoando para jogar e ver a novidade.

Das ruas para as apetitosas vitrines e conforto doméstico, Street Fighter II The World Warrior fez ainda mais sucesso quando chegou ao SNES. A versão SNES chegou de kichute, superando o sucesso dos Arcades, trazendo também elementos próprios, numa conversão decente, apesar das limitações de Hardware do 16 Bits da Nintendo. Além de ter sido a previlegiada como a pioneira ao ganhar uma versão caseira do clássico.

Culpado também por transformar a idéia jogo de luta num bom negócio. Gerando uma infinidade de produtos como brinquedos, filmes, clones (Clones? Isso!) e quadrinhos. E fez uma academia-de-como-fazer-jogos-de-sucesso-do-gênero.

O que não é exagero dizer que: Esse jogo fez escola.


E la vem mais uma história..

O enredo do game espandiu a idéia original do jogo anterior. Graças ao suor, lagrimas, noites mal domidas e sangue derramado dos Staffs. As coisas deixaram de ser uma simples competição de luta nas ruas do mundo, assim como era o primeiro, e se tornou algo mais sério. Cada um dos novos personagens contavam com objetivos mais profundos, uns lutavam pela pátria, outros pela sua arte de luta e outros que.. (dispensa apresentações, né?) só lutavam para se superar (Opa! Algum Streetmaníaco lembrou de alguém aí?). A verdade é que a história do jogo em si era um pretexto. Desculpa esfarrapada para que os Guerreiros Mundiais - traduzindo o subtítulo - saíssem no tapa.

SNES V.S. ARCADE

Comparar o que falta e o que não falta em uma conversão de Arcade para Videogames, principalmente nos 16 bits, é (*encostando..encostando*) quase como fazer um jogo dos 7 erros. No decorrer desta análise, você testemunhará o que foi adcionado, o que foi retirado e algumas características influentes desta clássica conversão.

Cortes e Extras

Cortes

- Não é só Mortal Kombat que é o vampirinho dos jogos de luta. Notem que a introdução agressiva (com sangue e artéria esparramada na palavra Versus do Arcade) foi retirada no SNES;

- Ao fim de cada seqüência - término do Round e nos créditos - as animações não correm ao apertar qualquer botão;

- Faltaram dois Bônus Stages. Curiosamente, a fase dos barris de ferro que pegam fogo não estão presentes em nenhuma conversão de SNES ou Mega Drive; 

- Ryu tem mais gingado no Arcade


- O frame de soco médio é o mesmo frame de soco fraco, no ar ou agachado;

- Assim como nenhum 16 bits é perfeito - embora mais duráveis que um X Box 360. Toda e qualquer conversão de Arcade acaba sofrendo de alguma maneira disso: corte de animações.
Caminhar para trás é a mesma animação de andar pra frente. Alguns tipos de movimento (Ex: Soco médio do Ryu), acaba sendo o mesmo tipo de animação de outro movimento (Ex: Soco fraco do Ryu).

- No campo sonoro, a mudança de música no fim dos Rounds ficou de fora. Assim como a música avisando o Here Comes A New Challenger ao entrar outro jogador na tela de Player Select - que só se manteve no meio das lutas. Não há variação de som para golpe fraco (a mais fraca intensidade de soco e chute) em relação ao médio e forte. 


Extras
- O Layout da tela de Opções e da opção Versus, acabaram se tornando padrão nas versões de SF II para 16 Bits;

- Ficha Técnica dos personagens surge durante as demos;

- Opção para 2 jogadores: com contagem de vitórias, meditor de Handcap - Intensidade e resistência dos seus personagens - e escolha de cenários;

- A versão SNES possui apenas 2 Bonus stages, uma delas é exclusiva;


- Cada personagem foi contemplado com finais exclusivos: Novas animações e situações diferentes.Mas os diálogos se mantém intactos. Os novos finais, embora mais simples, acabaram se tornando fortes inspirações para outros jogos da série, como o Super Street Fighter II Remix de Game Boy Advanced (Ex: O final do Ryu dando Shoryuken na cachoeira);

- E a edição The World Warrior é a única conversão da saga nos 16 Bits que é educada - até te agradece no final. O seu nome aparece assim que você escreve ao terminar o jogo;


Exemplos de versões que ganharam alguma inspiração nos efeitos das vozes

- Som revolucionário (?). Ouvindo os efeitos nas vozes dessa conversão, é notável que a Capcom usuou técnicas com o mesmo efeito em jogos posteriores (dentro e fora dos Arcades). Quando um dos lutadores caem em noucaute, há o eco das vozes agonizando de cada um dos 12 personagens, um feito que não aparece na versão Arcade. A outra é que a voz dos personagens se modifica de acordo com o botão que é utilizado durante um golpe especial, chegando a lembrar a sensação de um som estéreo próprio de cada personagem.

Trilha Sonora
Uma coisa interessante é que as músicas de cada cenário variam de acordo com o ambiente do país ou  personagem.

A versão Snes possui uma sonoridade mais abafada. Tudo soa espalhado - como se estivesse em um grande salão. E, às vezes, chega a parecer um som de um mini game (Não reclame! É mesmo..!). Os efeitos são mais simples e com bem menos complexidade na sonoplastia.

No conjunto da obra original, a sonoridade é mais clássica, digna de grande produção (Com maestro e tudo), trazendo algum efeito mais emocional do que em Street Fighter 1. Principalmente a música de encerramento (Staff Credits) é belíssima.

Combos

O famoso combo 100% de Guile

Os combos (combinação de comandos de ataque, especiais ou sem) não estavam programados no cronograma para entrarem no jogo. Acaba que, por fim, os combos também acabam sendo bugs (!).
Tontear com uma sessão de chute fraco agachado com os personagens Ryu ou Ken por exemplo,ou a escadinha da lutadora Chun li que acaba levando ao alto da tela, eram também exemplos dos mirabolantes combos que eram bugs. Até mesmo o combo de Guile: *Carregando Sonic Boom* Soco forte no ar, Soco forte no chão *Soltando o Sonic Boom* e Soco forte denovo.

Combos básicos, combos complexos, todos eles eram bugs. Apesar de ter feito um grande sucesso entre os jogadores mais experientes. A luta acaba terminando em poucos combos, já que não havia nenhuma programação para controlar isso.

Os combos entraram oficialmente no jogo em versões posteriores e cada vez mais regulados. Mesmo assim, os grandes funçadores da vida sempre encontram alguma brecha despercebida e utilizam isso em jogadas de todo tipo.

Fim dos Bugs?

Ligando o carro: um dos bugs mais famosos de Street Fighter II (Arcade)


Vários dos bugs famosos e mais irritantes nessa conversão parecem ter desaparecido como mágica com a reprogramação. Portanto, este The World Warrior acaba sendo mais jogável e mais agradável que o do Arcade. Alegria de muitos e choradeira de poucos. A boa distribuição de elementos, dentro das limitações de Hardware, são mais uma vez compensadas com esse ponto positivo na jogabilidade.

Dica: Existe um truque aonde é possível retirar a barra de energia - não se sabe se é um bug. Faça o seguinte: Entra e saia da tela de Opções 27 vezes e veja o resultado.

OS 12 GUERREIROS MUNDIAIS DE STREET FIGHTER II
O jogo ficou com cara de X-Men. Tem criatura de todo tipo.

Já não bastava as bolas mágicas e os ganchos vodores. E agora conta até com monstro e seres com poderes psíquicos. Notáveis influências de produções do entretenimento Japonês como os mangas (Ex: Algumas semelhanças a Jojo Bizarre Adventure e Hokuto No Ken).
Além de contar também com (finalmente!) uma mulher para delírio masculino e maior apreciação e identificação feminina.
Street Fighter mudou de cara e ganhou uma personalidade própria...err, pro gênero.
Veja quem são os mutantes na seção abaixo.

PLAYER SELECT
Quem é quem:

Ryu

Para vencê-lo, terá que derrotar o seu Sheng Long antes

Data de Nascimento:
21/ 7/ 1964 Altura: 1,73m
Peso: 68 Kg Tipo Sanguineo: O

Biografia
Apesar da clássica faixa na cabeça, Ryu não era uma espécie de imitação do Daniel San ou uma espécie de Rambo Japonês. Mas é um personagem egocêntrico. Ryu é Guerreiro muito concentrado, que põe sua paixão pela luta acima de tudo.

Ele não tem amigos e nem amores com que se preocupar. Apesar de andar sempre descalço e com o mesmo Kimono, RYU NÃO É MENDIGO. E apesar de não ser chegado a relacionamentos amorosos, ELE NÃO É GAY!

Frio e calculista, seu objetivo não é conquistar prêmios, mas aperfeiçoar suas habilidades. Uma grande curiosidade em seu perfil é que quando esta faminto, fica com um péssimo humor. Ryu é comilão. Myzuyokan (Geléia doce de feijão azuki) é a sua comida favorita. E detesta aranhas. Alem disso, é claro, Ryu é um grande fã de Artes Marciais. (OOOOOH!)


Aeee! Eles acertaram na versão caseira (A razão pela qual 'Sheng Long' surgiu através das mentes mais insanas  criativas).

Peformace: Assim como em Street Fighter 1, seu Shoryuken (Soco do Dragão) não derruba - apenas se ele for executado bem de perto do adversário - podendo acertar até 2 hits (Versão SNES contra qualquer char) ; sua magia (Hadouken/Bola de fogo) é eficiente e seu Tatsumaki Senpukyaku (Chute Furacão) pode derrubar após 2 Hits.


Combo fulminante 100%: executar soco forte em pé e depois Tatsumaki Senpukyaku. Ao tontear, é só repetir a operação.



Cenário: A música da versão Arcade define mais o tema oriental, lembrando vagamente temas clássicos do período em que os samurais e ninjas dominavam o território Japonês. Os elementos do cenário, como as placas, ainda se mantém. A sonoridade, que honra os guerreiros ancestrais, chega a lembrar vagamente um tema de carnaval (..Japonês, Japonês.) e, ao mesmo tempo, uma sensação de leveza, definindo a personalidade de guerreiro dedicado de Ryu.

Ken

Ken...é ele? Ou Ken é Ryu?


Data de Nascimento: 14/ 2/ 1965 Altura: 1,80m
Peso: 77 Kg Tipo Sanguineo: B


Biografia
Ken é um dos alter-egos da vida de Ryu. Mas, em outras palavras: Ken é totalmente o contrário de seu amigo rival. Ricasso, mulherengo e forçado pelo pai a treinar artes marciais ao lado de Ryu, Ken luta pelo prêmio, fama e prestígio. Mas Ken está mais concentrado em Elisa, sua futura esposa. Sua comida favorita é picles de ameixa.

Na época, rolou, pela mídia, uma nota interessante em sua biografia: Elisa havia sido raptada pelo ditador Vega e o seu objetivo era salvá-la (Ahn?).

Peformace: Não mudou nada em relação a Ryu.



Cenário: Leve e emocionada simulação de guitarra na trilha músical. Visualmente, é o cenário mais pessoal do jogo. Já que o navio ao fundo, aparentemente, é de Ken. Além de contar com o símbolo da Capcom.

Mensagem subliminar no barril da fase do Ken (?)
Guile
Quem bate de frente com ele, pede pra voltar para casa lavar louça bem rapidinho

Data de Nascimento: 23/ 12/ 1960 Altura: 1,89m
Peso: 87 Kg Tipo Sanguineo: O


Biografia
Militar com pinta de machista, Guile só pensa em vingar a morte de seu amigo Charlie, morto em uma missão por Vega. Histórias paralelas relatam que Guile havia sido torturado (?) no Vietnã pelo ditador. Outro dos motivos que o motivaram ainda mais em sua vingança.

Van Damme foi escalado por uma votação de público nos EUA para viver Guile no filme de 1994. Sendo que não mais como um Major e sim como um Coronel. A resposta do Diretor do filme? - Foi para comandar um exército maior. Capiche? Curiosamente, a revista Progames chegou a publicar um clássico comando em que consistia ser usada durante a luta, tendo que repetir o comando 70 vezes. Ao final, Guile descarregava uma metralhadora no adversário. É óbvio que era uma pegadinha. Guile detesta Natto (prato a base de soja), comida que ele foi forçado a comer por Ryu quando esteve no Japão. (Eu heim..)

Peformace: Guile pode mandar Flash Kicks (Gilete, no dialeto popular de bazar) sem se recuperar. Seu Sonic Boom (Alec Full! Alec Full!), além de ser carregável, é a melhor magia do jogo. O personagem possui rápida recuperação em todos os seus golpes. Na versão Arcade, Guile possuia algumas drogas clássicas - bugs - como o: Phatasm Trow (agarrão que acerta o adversário em qualquer lugar da tela). Por esses elementos, Guile acabou sendo o favorito e considerado o melhor personagem dessa versão. No Snes, Guile deixou de ser um Deus para se tornar um reles mortal igual aos outros 7 lutadores. Está enfraquecido demais devido a falta das famosas falhas de programação. Mas o tempo de seu Alec Full e da Gilete, que ainda é uma Mach 3 bem afiadinha, ainda formam uma combinação mortal. O único problema é que ele demora alguns segundos de frame para estabelecer o seu Flash Kick ou o Sonic Boom. Utilizá-los, depende de situações bem mais estratégicas.


Cenário: A força militar Americana é representada neste memorável cenário em um clima de campo de batalha. A sonoridade de sua música chega a lembrar aqueles comerciais e programas de TV sobre força aérea, no maior estilo: I Choose You inspirado nos tempos do filme Top Gun. Levando em consideração a banda Cheap Trick e os leves trechos da música Might Wings, trilha sonora do filme. É como: Voar pelos céus sonhando (Filosofia is life!)

Chun li

A Chinesa das pernas de ouro.

Data de Nascimento: 1/ 3/ 1968 Altura: 1,77m
Peso: Ela não conta (segredo de Estado) Tipo Sanguineo: A

Biografia
Ela teve seu pai morto por Vega. Sendo assim, a moça entra no campeonato para vingá-lo, para que só então volte a se tornar uma garota normal. É a primeira grande musa virtual a trazer curvas de fazer inveja à qualquer garotinha da idade dela. Mostrando que meninas também são boas de briga, esbanja beleza física ao mesmo tempo em que se mostra uma personagem dedicada ao seu estilo de luta e tradições, características notáveis em sua presença. Chun-li é uma menina-machorra, que não deixa de ser menina, e, aparentemente, independente - teve que crescer prematuramente com a sua determinação. Não é do tipo que leva desaforo pra casa. É aí que ela pode se denominar como Instinto Selvagem em pessoa (fazendo inveja a Sharon Stone).
Como musa virtual pioneira, foi a Gretchen dos jogos de luta. Mas ao contrário do quadril, a fama vem das pernas  e de certo conteúdo a + visto a olhos pervos. A personagem que quebrou o ciclo padronizado do gênero, formado por machões como grandes estrelas. Distribuindo curvas para todo lado (muito bem distribuídos, também, na paletta de cores do SNES), ao contrário dos bombadões, que distribuem seus pontapés, pilões e socos devastadores, da série. É certo que a Musa trouxe um certo charme, embora nem sempre tão..rosa shock. Seu peso é um segredo pessoal. Gosta de comer crepe e frutas.
Chun li é atualmente a musa-vóvó dos jogos do gênero.
- (Agora este autor corre muito para não apanhar da machorrona da Chun li e dos carrascos)
Vupt!



As 2 realidades da musa: À esquerda, Chun li do Arcade de vestido amarelo (desbotadinho, coitado!); à direita, mais coloridinho no Snes, com a mesma roupa em que atua.

Peformace: Graças ao descuido dos programadores, Chun li acaba contando com alguns combos mirabolantes que tonteiam em poucos golpes, como a escadinha. Se o jogador fizer isso de perto e começando do chão. Sua melhor tática são combos. Seu + Chute Forte é uma boa para pegar o jogador que estiver se levantando; e uma boa forma de travar alguma decisão alheia.
Chun li não tem magia, seu Lighthting Kick não chega a ser tão eficiente (ao menos quando o adversário estiver se defendendo). Seu Spining Bird Kick é vulnerável. Mas apesar de tudo, Chun Li é rápida. Tem grande desvantagem contra personagens de projétil (é preciso ter muita técnica, dominando suas limitações). Além disso, Chun li é considerada a personagem mais fraca por muitos jogadores nessa versão.
Cenário: Ruas da China, bicicletas (tradição Asiática) e mercados ao fundo. E a combinação da música junta a atmosfera desse cenário com a presença feminina de Chun li.

Zangief

Já tomou o seu pilão hoje?

Data de Nascimento: 1/6/ 1956 Altura: 2, 13m
Peso: 116 Kg Tipo Sanguineo: A

Biografia
Zangief é mais um com o objetivo de salvar alguém: Ele precisa resgatar Gorbachev (presidente da URSS) do domínio de Vega.

Curiosamente, o lutador da mãe Rússia se tornou vilão nas adaptações: Street Fighter A Ùltima Batalha (filme de Steven E. de Souza) e Street Fighter II V (Série de Gisaburo Suigi)

Nascido na Sibéria, sua maior vontade é derrotar Guile. Americanos é uma coisa que ele abomina.
Gosta de luta Romana e dança Cossaca. Não gosta de fireballs em geral (Kame-Hame-Haa, nem pensar..).


Zangief é um cara brincalhão. Embora nem todos entendam suas piadas.

[- Sobre o Zangief, gostaria de destacar uma coisa: o final do jogo com ele é uma das coisas mais ridículas e engraçadas que já vi nos jogos que joguei... Para quem não sabe, o Zangief é um lutador da União Soviética - na época do jogo, o país ainda existia - e ele, após derrotar o Bison (Vega), era congratulado por nada mais, nada menos que... o seu presidente, Mikhail Gorbachev! Isso não é nada, pior é ver os dois depois dançando uma típica dança cossaca, com uma música hilária Texto retirado do Blog Bellspasy2 ]


Peformace: Não é dessa vez que ele chega a ser o rei da mesa em sua estréia,apesar de irritar sempre com seus pilões, Zangief é altamente vulnerável a projéteis e bastante lento. Seu pião não serve pra nada..bom quase - ao menos passa pelos projéteis. Embora sua peitada e combinações devastadoras de travar defesa com golpe comum e pilão (360º), em seguida, possam surtir um bom efeito Jyu Jitsu. O mesmo pilão especial que, estranhamente, ficou mais difícil de ser executado na versão Snes. O comando simultâneo com os 3 botões de soco, aparentemente, apresenta uma resposta mais facilitada do que no Arcade. Não há aquela rigidez de apertar 3 botões em seqüência de intensidade: Fraco, médio e forte respectivamente. O comando funciona independente da ordem em que se pressiona ao mesmo tempo.

Cenário: Um cenário que se passa numa fábrica. Espectadores misturados ao fundo. Funcionários Públicos (!?): engenheiros e beberrões. Num período da URSS, compreendido entre a guerra fria, tempos de investimento em armas tecnológicas, uma guerra silenciosa. A música retrata levemente uma sonoridade de dança Cossaca, sendo que mais moderna.

Blanka


O melhor representante da seleção Brasileira

Data de Nascimento:
12/ 2/ 1966 Altura: 1,98m
Peso:
99 Kg Tipo Sanquineo: B

Biografia

Não há história definitiva para a causa de sua transformação em monstro. Mas rolam por aí duas versões:

Versão 1 - Algumas fontes relatam que Blanka havia sido mesmo transformado em um monstro por Vega (curiosamente citado no filme de 1994).

Versão 2 - A mais conhecida é a de que ele teria sofrido um acidente de avião em terras tupiniquins, perdendo-se de seus país. Ao longo dos anos sua fisionomia foi mudando, alguns acreditam que ele foi atingido por um raio ou criado por lobos.

Peformace: Seus saltos são os mais habilidosos. De fato os melhores ataques no ar do jogo. E seu choque é uma boa estratégia quando o adversário estiver se levantando.


 
Cenário: Callma aí! Eles devem saber que nós não vivemos no meio do mato. Bem, nem todos. Mas se notar, cada cenário possui uma certa característica de cada país.

E.Honda

Satisfações com CUZ! CUZ!

Data de Nascimento: 12/ 2/ 1960 Altura: 1,89m
Peso:
140 Kg Tipo Sanquineo: A


Biografia
Um grande campeão do Yokozuna de Sumo.Vejam que interessante, para que seus filhos se orgulhem dele, E.Honda quer recuperar o mercado de peixes Japonês dominado por Vega.

Gosta de Tiramisu, Chanko-Nabe (comida favorita dos lutadores de sumo) e banho Japonês.
Não gosta de indecisões.


Peformace: O seu soco forte é um anti-aéreo perfeito. A mãozinha boba do Honda da um certo trabalho; embora ele não esteja entre os mais fortes.


Cenário: Musica suave, com sonoridade característica com o país.Uma banheira Nipônicas ao fundo. Detalhes que tornam E.Honda um personagem bem mais próximo de uma tipo de lutador de sumô real, respeitando tradições culturais, apesar do personagem manter aquela característica fantasiosa e oitentista de Street Fighter (técnicas especiais que vão além de um ser humano comum).

Dhalsim

O Homem Borracha

Data de Nascimento: 22/ 11/ 1952 Altura: 1,80m
Peso:
50 Kg Tipo Sanquineo: O

Biografia
Ele quer apenas testar sua força e Magia.
Sua religião é a Hindu.

Peformace: Dominar Dhalsim exige paciencia, assim como a sua lerdeza. O mestre esquelético da meditação conta a distância como vantagem para seus golpes longos. Não é tão eficiente quanto nas outras versões posteriores, mas consegue fazer alguma razoavel frente, graças ao também enfraquecimento do Deus Guile. Seu parafuso aéreo é complicado de se fazer, já que é preciso apertar chute forte no ar a uma certa altura.



Cenário: Aparentemente, dentro de algum palácio histórico (como naqueles filmes da série Indiana Jones, sabe?). Com animais e aquela música indiana, procurando reproduzir todo aquele ambiente religioso da Índia. No SNES, no fundo do cenário, há apenas dois elefantes de cada lado - mas eles se movem, como no Arcade.

BOSS STAGES - A HORA DOS 4 GRANDES MESTRES
Como chefes de fase, todos os 4 retiram mais energia do que em suas versões jogáveis em outras versões da série.

PS: Peformace dos 4 chefes citados abaixo, no level 7.

M.Bison

Não é a cara do Mike Tyson?

Data de Nascimento: 4/ 9/ 1968 Altura: 1,98m
Peso: 115Kg Tipo Sanquineo: A

Biografia
Roubou a identidade de um subordinado do patrão (Balrog) para não sofrer um processo do temível Mike Tyson ( bla, bla..). Herdou até a banguela do mito. O cara é um tremendo relaxado. Não gosta de Matemática, peixe e fazer muito esforço. Gosta de mulheres e Whisky Bourbon. Seu nome completo é: Mike Bison (Mike Tyson..vai dar porrada!)

Peformace: Seus socos diretos podem se tornar um pesadelo, a não ser que você lhe dê uma dor de cabeça : acerte-o sempre na cabeça. De preferência à distância. Abusando também de combos.


Façam suas apostas, a porrada vai comer

Cenário: Las Vegas, um cenário que ressurgiu sobre o deserto, agora revestido com os Casinos. Sua grande referência, registra fama e fortuna. Assim como a animada música de ares noturnos.

Balrog
Alguns dizem que ele é uma bichona.

Data de Nascimento: 4/ 9/ 1967 Altura: 1,83m
Peso: 95Kg Tipo Sanquineo: O

Biografia
O Cão Ninja Espanhol Balrog (Isso! Como o dragão que encarou Gandalf), não é chegado a coisas feias. Gosta de coisas belas e de si mesmo. (hmm..coisinha fina!)
Peformace: A melhor maneira de ganhá-lo, é tirando o do ar com voadoras, encurralando-o no canto, mesmo que ele esteja no chão. Cuidado quando ele der uma de Superman e subir na grade para fazer seus ataques especiais aéreos. Na versão SNES, seus ataques especiais aéreos são mais complicados de se tirar. Impedir o máximo possível é importante.
Cenário: Alegria, diversão e cerveja rolando a rodo.Uma vida de festas, como uma animado e nobre espataculo à moda daquele que é conhecido como o Ninja Espanhol. Cenário com elementos muito caracteríscos da Espanha e a música também.

Sagat

Dos chefões, é o único que mantém sua característica no Artwork de introdução. (Ele sempre está sem camisa)

Data de Nascimento: 4/ 9/ 1955 Altura: 2,25m
Peso: 128Kg Tipo Sanquineo: O
Biografia
Voltou com uma cicatriz no peito (hmm..). Mistério que será solucionado futuramente.
É o segundo lutador mais temido de Street Fighter até então. Só perde pra Vega e pro Ryu....


Cuidado com o Tiger Robocop !!!
Peformace: Personagens como Zanguief tem uma dificuldade absurda contra ele. O negócio é tomar cuidado com as suas magias chatas e atacar quando ele estiver se recuperando. A melhor maneira é acertá-lo quando ele se preparar para executar seu Tiger Shot. Procure observar seus movimentos, para tentar prevê-lo, e fazer os contra ataques com antecedência.
Cenário: É uma aparente ilha paradisíaca, tem até com arvore tropical (retirada na versão SNES).
A música possui um elemento meio caribenho ,e algum ar de mistério. Uma figura Hindu a frente. Templos  e algumas cruzes (cemitérios? Igrejas?), bem mais ao fundo.

Vega

O Campeão Mundial


Data de Nascimento: 17/4/? Altura: 1,82m
Peso: 115Kg Tipo Sanquineo: A

Biografia


O grande 'Mister Bison' Vega passou a ser mais procurado que Carmen Sandiego durante muito tempo.

No ocidente, usa o nome do Boxeador. Conhecido por aqui como Mister Bison.
É o Darth Vadder da série Street Fighter.Veio para agitar o clima de competição entre os super Guerreiros.
O vilão das buchechas de buldogue velho mostra o que é ser um chefão muito sacaninha, feito cão Chupando manga para os Seyas de pegasus masoquistas que jogam na dificuldade 7.

Seu prazer é dominar o mundo (será que algum dia ele consegue?). E não gosta de coisas frágeis e subordinados.. e nem de você O_O.

Com mais mistérios do que o seu colequinha de classe no colegial, Vega assumiu o exército da Shadowlaw com planos misteriosos.
O ditador paranormal veio e mostrou cacife suficiente para encabeçar a lista dos supervilões dos jogos do gênero.
Andou, recentemente, circulando por torrents na internet, um arquivo conhecido como Citzen Kane (Cidadão Kane) – Street Fighter, seria por causa do nosso grande ditador Bison? Hm..

O seu ano de nascimento é um mistério. (*risada macabra*)


Ele ficaria melhor de capa. No Arcade, além de 'Bisonho', ele tem uma cara mais insana
Todos contra Vega

Peformace: Vega é um cara chato, muito chato mesmo. Sua tesourada (que já tonteia numa seqüência de 2 seguidos) pertuba, mas ela pode ser retirada com soco fraco ou um projétil ou um shoryuken certeiro. É preciso improvisar quando ele começa atacar igual a um louco com seu pisão e triturador psíquico. A melhor maneira é manter distância e esperar que ele venha ao seu encontro.
Cenário: Dentro de um templo, um certo misto cultural: mulheres meditando com uma cesta a frente (o que sairia dela?); pessoas comuns se amontoam na torcida com outras em roupas épicas, assim como as enigimáticas estátuas. Mais ao fundo, uns conjuntos de templos.  A música envolvente (com alguns efeitos de sino, começando lenta) procura repoduzir o clima tenso do confronto final contra Vega, em algum lugar de uma misteriosa Thailândia.
UM PORT DE SUCESSO

Ryu jogou e comprovou

Fazer ports de jogos de peso como Street Fighter II, em que se exigia um hardware além da capacidade dos consoles daquela época, pôde ter sido um grande desafio. Mas a Capcom conseguiu nos presentear com uma adaptação decente e simpática de Street Fighter II The World Warrior para SNES. Acaba que, por fim, esta caracterísitca prevaleceu como uma marca registrada da Capcom nessa geração. Garantia que está também também nos dois SF II de Mega Drive.
Com os limites modestos de um 16 Bits, a Capcom fez o que pode, e fez bem.
Um clássico de qualidade dentro dos limites técnicos excepcionalmente maquiados e que mereceu o sucesso que teve.

FICHA TÉCNICA
STREET FIGHTER II: THE WORLD WARRIOR (SNES) - UM JOGO QUE FEZ ESCOLA
Um Artigo de Mestre Ryu
(2008, 2011)

Título Original: Street Fighter II: The World Warrior
Sistema: Super Nintendo
País: Japão
Ano: 1992
Jogadores: 1 ou 2
Gênero: Ação/Luta
Memória: 16 Megabites
Fabricante: Capcom
Distribuidora: Playtronic (Brasil)

STREET FIGHTER II 20 ANOS RETORNARÁ NO PRÓXIMO FIM DE SEMANA 

NÃO PERCAM

6 Hit Combo :

Robson Vieira disse...

Muito boa matéria, cheia de humor. Ótima sacada as fotos comparativas dos cenários entre as versões arcade e SNES. No aguardo dos próximos!

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Anota na agenda, os especiais vão acontecer sempre aos fins de semana. Prometo trazer muitas informações e surpresas. Muito obrigado pela participação, Robson. É sempre muito prazeroso ver a galera aqui postando. Um abraço forte!!
PS: Não deixe de votar na enquete da comunidade lá no orkut sobre quem você jogava no Street Fighter II: http://www.orkut.com.br/Main#CommPollVote?cmm=90049757&pct=1303499768&pid=1828718132

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Curiosidades sobre esse review: Deu um trabalho reproduzir esses cenários (até mais do que T.K.O.F. 2000 pro Projeto Zero). Na época eu fiz tudo no Paint. Os gif eu refiz todos também, mas eles foram bem mais fáceis. Hehe!

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Fico feliz que o senso de humor deu certo nesse review. O de Street Fighter 1 parece que não agradou muito, já que houveram algumas contestações (postado aqui no blog como Controle A) e por isso, fiz uma versão mais séria (Controle B). Resultado, 2 reviews de SF 1 para procurar satisfazer a todos. hehe!

Miya disse...

Adorei!!! Como eu já disse, vc sabe tudo sobre Street Fighter!!! Quero muito ver o Guia de Estratégias heim!!! Vou ficar esperando!!

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Pode deixar Miya. Vou caprichar pensado em você. ^^ E muito obrigado pelo comentário e pelo elogio.

"Estou Honrado"
Ryu em Street Fighter Zero.

Este Guia será bem específico e tem sido um pouco complicado de reservar um tempo pra cuidar dele. Mas ele vai sair. Tem que sair de qualquer jeito. Já comecei os preparos, agora que tô com Scan vou fazer a festa. hehe!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...