Vá de Sedex :: Siga pelo Email

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Especial Video Games Live



A Video Games Live é uma série de concertos criadas pelos veteranos da game musica Tommy Tallarico e Jack Wall. O show é composto pelo melhor da game music, unido com som, imagens e luzes, criando um espetáculo audiovisual de forma totalmente excepcional, como em uma mega produção, enchendo os olhos do público gamer. Tommy levou cerca de três anos para conseguir planejar o show, deu muito trabalho, porém, resultou em um dos maiores eventos gamers do planeta.

O show já passou por diversas cidades ao redor do mundo, cativando fãs e mais fãs, que sempre acabam por voltar nas próximas turnês.

Nele, são tocadas músicas dos mais variados games, abrangendo todos os gostos, confira alguns deles:

Castlevania, Chrono Trigger, Diablo, Final Fantasy, God of War, Halo, Kingdom Hearts, The Legend of Zelda, Medal of Honor, Mega Man, Metal Gear Solid, Metroid, Shadow of the Colossus, Silent Hill, Sonic the Hedgehog, StarCraft, Super Mario, Tomb Raider e World of Warcraft.

É claro que citei só alguns exemplos, existem mais games além desses, só citei os mais famosos, que geralmente são os mais pedidos e tocados.

Eu (Léo), já tive a oportunidade de ir ao show em 2009, e agora em 2010 irei novamente. Aproveitei essa nova oportunidade para poder fazer uma cobertura do evento, e mostrar a vocês como as coisas são por lá. Curiosos? Espero que sim! Então, vamos lá!

(peço desculpas ao pessoal, porque estava de fato muito difícil para tirar fotos, por isso elas ficaram tão ruins, desculpe!)



A entrada do evento, no HSBC Brasil



Noite de sexta feira, estava uma noite agradável, com o tempo a favor e o trânsito até que fluido, contrariando a expectativa de que seria difícil de chegar até o evento.


Na entrada havia uma fila organizada, com seguranças e tudo mais para garantir a segurança e o bom andamento do espetáculo. Haviam seguranças revistando o pessoal e conferindo os ingressos. Apesar de todo esse procedimento, não demorava muito para entrar no local.




! Precisava rasgar desse jeito?


Logo ao se entrar, várias pessoas com pranchetas vinham nos abordar, oferecendo sorteios, cursos, prêmios, e tudo mais em que seu e-mail suportasse ser cadastrado. Driblar esse povo não foi nada fácil, nada fácil mesmo. Além de muita publicidade, vendedores de doces, souvenirs, e tudo mais que o seu bolso pudesse suportar.

Passado isso, podia-se perceber o povo que se aglomerava na recepção. Haviam pessoas de todos os tipos e estilos, usando camisas com temas gamers/nerds/geeks (as de Final Fantasy VII predominavam), sem contar os cosplays, para um concurso que haveria futuramente. Para passar o tempo, haviam campeonatos de games, como Guitar Hero Van Halen, UFC, Super Mario Kart Wii e The Beatles Rock Band. Sem contar um sensacional simulador de corridas em 3D.



Olha só esse simulador de corridas em 3D. Que beleza!


Cerca de uma hora antes do evento (20:00 hs, o show estava marcado para começar as 21:00 hs), os portões foram abertos para que o pessoal começasse a se instalar em seus devidos lugares. A batalha para conseguir bons lugares era incessante e voraz. Com um pouco de sorte ( e descuido alheio), podia-se conseguir um lugar "melhorzinho" para acompanhar o espetáculo que estava por vir.



Dê uma olhada nas instalações do palco.




Ao contrário do ano passado, A VGL desse ano começou pontualmente. Quando o relógio soou 21:00 hs, deu-se início ao show. Os músicos começaram a tomar seus devidos locais no palco. Como de costume, a VGL sempre chama músicos locais para fazer parte de seus shows. A Orquestra Villa-Lobos foi convocada mais uma vez para fazer parte do espetáculo.


Antes do início do show, ocorreu o concurso de cosplays. Haviam personagens de Final Fantasy X, da série Mario Bros., Star Wars, Zelda, e até Bully. Tinham pessoas das mais diferentes idades participando, desde adolescentes, até senhoras com mais idade (sério!). Tinham personagens muito fiéis por lá, com destaque para Jimmy Hopkings, de Bully. O vencedor desta vez foi o Paper Luigi!




Paper Luigi, você teve muita coragem de ir até o palco, mesmo desajeitado e quase caindo. Parabéns pela merecida e suada vitória!


Após o concurso, alguns videos foram apresentados ao público, para descontrair. Eles eram bem engraçados, vamos conferí-los:









Após algumas risadas deu-se início ao show. Um video com Yuji Naka, criador de Sonic é apresentado, e músicas de Sonic são tocadas logo após o vídeo.



Yuji Naka

Sonic





O que foi de se impressionar, foi o capricho adcionado na iluminação, luzes em formas de anéis amarelos rodeavam o palco durante a apresentação de Sonic, nada menos do que sensacional.


Logo após, aquele que todos estavam esperando, adentra o palco: Tommy Tallarico. Ele entra, se apresenta, e como de costume, brinca e interage com o público. Segundo ele, o Brasil é o seu lugar favorito para se fazer o show, porque o pessoal, brinca, interage, e é cheio de energia. Ele já disse isso em diversas entrevistas internacionais. Aliás, o Brasil é o único país do mundo em que a VGL esteve presente em todos os anos, se isso não é prova de que o que Tallarico fala é verdade, não sei mais o que é.


Seguido disso, tivemos Mega Man. Vários temas das diferentes vertentes da franquia foram tocados, junto com videos das diferentes séries, Mega Man, Mega Man X. Zero, Network, e por aí vai...


Várias novidades foram apresentadas nesse show, como Assassin's Creed II. Enquanto as cenas rolavam ao fundo, a orquestra e uma cantora acompanhavam ao rítimo dos acontecimentos no telão. Curiosidade: A mulher que cantava, era esposa do maestro.


Como de costume, Tallarico chama pessoas da platéia (sempre os da frente...) para jogar video game no telão enquanto a orquestra toca. O jogo desse ano foi Frogger. Dois caras foram chamados a participar. Nossa! Como eles jogavam mal, sério. Todo o público (inclusive Tallarico) ficaram indignados com a performance. Então, Tommy pegou o joystick e jogou maestralmente, deixando os dois "no chinelo". Os participantes, porém, acabaram por levar um pacote com brindes, e um monte de piadas sobre eles também.




Vai jogar mal assim lá na...Video Games Live



Entre um evento e outro, alguns videos de mashups de games eram apresentados. Vejamos:


















Também tivemos outra novidade: Uncharted 2. Com muitas cenas de ação de tirar o fôlego.


Uma surpresa: o maestro, junto com Tallarico compuseram uma nova peça, que estreou no Brasil: Advent Rising. Um video lindo com uma música muito bem regida, e junto com a esposa do maestro, cantando, acompanhando a sinfonia. Confesso que não conhecia o jogo, mas a apresentação foi o bastante para despertar a curiosidade em mim.


Tron deu continuidade ao evento, sob a confissão de Tommy, de que ele quase chorou com a notícia de que um novo filme sobre Tron será lançado. Ooooown...


É claro que não poderia faltar o Medley de Final Fantasy de Martin Leung, com: "Prelude", "To Zanarkand" (X), "Aerith's Theme" (VII), "Eyes on Me" (VIII), "Fragments of Memories" (VIII), "Terra's Theme" (VI),"Melodies of Life" (IX),"Waltz for the Moon" (VIII),"One Winged Angel" (VII),"Liberi Fatali" (VIII) e "Victory Fanfare".


Martin Leung: esse toca demais! (e me lembra um pouco o Jet Li).




Seguido disso tivemos Zelda. Depois, David Jaffe, criador de God of War aparece no telão, seguido de Gerard Marino, compositor da OST de God of War no palco. God of War então, começa a ser tocado, para a alegria geral da nação. E com essa obra prima, o Act 1 é encerrado. Hora do intervalo.




God of War. THIS IS SPARTA!


Havia uma barra de loading, indicando o tempo do intervalo, como se o Act 2 estivesse carregando.



Olha quem veio dar um oi pro pessoal no intervalo: Solid Snake.




O Act 2 se inicia. E já partimos para os belissímos Castlevania e Bioshock(o segundo , é estreante) e Warcraft.


Martin Leung retorna ao palco, e toca Mario, só que de olhos vendados. Os olhos deles estavam fechados, e o público com a boca aberta, impressionados com sua habilidade ímpar.




Tocar até de olhos fechados. Alguém ainda duvidava?




O Brasil deve ser memso um local querido para todo esse pessoal da VGL, pois eles acrescentaram uma outra música na setlist, que não estava programada: Top Gear, também tocada por Leung.


Lembram-se daqueles concursos que citei antes? O vencedor do concurso de Guitar Hero Van Halen é (desajeitadamente), convocado ao palco por Tallarico, que mal conseguia dizer seu nome. Um desafio foi proposto a ele: alcançar mais de 170.000 pts no Guitar Hero Van Halen na música "Jump" no nível Expert. E não foi que ele conseguiu? Ele chegou a mais de 216.000 pts. Fez honra, e levou um brinde pra casa.




"Jump" do Van Halen foi detonado no Expert e ainda com cinco estrelas.



O pessoal dos arcades foi ao delírio quando Street Fighter II foi anunciado. Videos do gameplay do jogo eram demonstrados no telão, enquanto os temas de Guile, Ryu e Ken eram tocados. O mais impagável aqui, foi o público gritando "Blanka! Blanka! Blanka!" durante a música. Fazer o quê? Blanka é o único brasileiro de lá! Eu também gritei! "Blanka! Blanka! Blanka!"


O show desse ano foi cheio de presenças especiais. Akira YAmaoka, criador de Silent Hill sobe ao palco e dá o ar da Graça tocando "Theme of Laura" de Silent Hill II. Presenciar criador e criatura simultaneamente é lindo de se ver.




O público estava delirando durante essa apresentação.



Um dos pontos mais altos da noite havia chegado: Final fanyasy VII. O público parecia estar em transe, e a energia aumentava a cada "Sephiroth!" que era lançado ao ar. Mesmo quem não conhecia FF VII, acompanhou e curtiu, e sempre gritando "Sephiroth!".


Após, tivemos Chrono Trigger e (se espantem) Portal! Uma das características mais marcantes de Portal, é sua música de encerramento, "Still Alive", ela é engraçada, e gruda na cabeça. Havia um trecho na música em que se falava sobre coisas que nunca vão acontecer, coincidentemente, uma foto de Duke Nuken Forever aparece por um segundo no telão. É claro que, quem viu, riu.




Final Fantasy VII


Portal



Após o término do show, Tallarico, a orquestra, e os demais convidados são amplamente aplaudidos e se despedem, dizendo ao público para encontrá-los lá fora, para autógrafos. Logo uma imensa fila se formou, que ia desde a recepção, até os confins do palco. Não tive coragem de enfrentar a fila, não por ser medroso, mas imagine o tempo que eu gastaria nela...


Havia um stand perto da entrada vendendo Cds, Dvds, Blu-Rays, chaveiros, camisetas e afins. Algumas coisas eram realmente caros, mas, acho que valem a pena. Detalhe: o Brasil foi o primeio país a ter os CDs, DVDs e Blu-Rays comercializados oficialmente. Exclusividade brasileira!!!




Olha só o tamanho da fila. Quem encara?

Martin Leung dando autógrafos.

Tallarico dando autógrafos.


Pelos menos consegui meu CD e meu DVD.



A noite terminou, porém, o público ainda estava em êxtase, satisfeitos e contentes, compartilhando suas impressões e idéias com entre si. Pessoas, encontraram com contatos da internet, fizeram novos amigos, e se divertiram pra caramba. Todos saíram de lá com um amplo sorriso no rosto, e com o coração satisfeito.


A Video Games Live foi um evento marcante, emocionante, e satisfez o público em geral, agradando os velhos, e os novos fãs de game. Tá certo que eles reutilizaram muito material do ano passado, e Tallarico estava visivelmente esgotado, porém, isso não impediu em nada de que esse, fosse um evento excepcional. Pessoas fizeram amizades, se divertiram e se satisfazeram. Não consigo achar melhor palavra para descrevê-lo além de ÉPICO.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...