Em Destaque

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Guerra Ao Terror (Dir. Kathryin Bigelow - 2009)

...E AS APARÊNCIAS ENGANAM
(ATÉ NUMA DIVULGAÇÃO)


Quem assiste ao trailer, pensando que a obra é uma campanha  patriótica Americana, engana-se. Mesmo que a intenção não seja só o de buscar uma expressiva vilania dos personagens Americanos, a mais clara mensagem de crítica ao governo Bush fica na trilha da banda Ministry que toca no filme.

NESTE TÓPICO
Sessão Crítica
Extras
Ficha Tecnica

___________________________________________

Sessão Crítica:

Guerra Ao Terror

OS EFEITOS DA PÓLVORA


Acidentalmente lançado direto pros DVDs no ano passado, justiça seja feita: Guerra Ao Terror começou a ser exibido sexta (dia 5) nos cinemas Brasileiros. Todo mundo sabe que falta criatividade aos novos tempos, Guerra Ao Terror também sofre dessa falta, mas mesmo assim ainda tem tempo de mostrar as suas qualidades.

Quem conhece Kathryn Bigelow por Caçadores de Emoção, não vai se intimidar só por ter uma mulher na direção de um filme de Guerra – aqui não há nada rosa, talvez um essencial rosa shock (de uma garota independente). Mesmo que este tenha sido dirigido por um homem, a química combinada poderia ser a mesma. E se você nunca viu uma mulher dirigindo um filme de ação, não sentirá uma diferença determinada.

A história começa de uma maneira completamente agitada, ligado em alta voltagem, mostrando os protagonistas em ação no seu duro dia-a-dia como soldados no Iraque.

Toda essa adrenalina tem sentido. É uma montanha russa que depois se descarrilha pra dar espaço a outras peças de qualidades logo a frente: explorar o ser e o não ser ou o bem e o mal dos personagens, em grande parte representada pela lente, visto como um homem comum, o sargento Willam James (Jeremy Renner).

A briguinha entre os companheiros sargentos, William e Sanborn (Anthony Mackie), é uma passagem aleatórea que se torna um ponto a acrescentar, pela forma como se desenvolve e termina, é como um retrato da ferocidade humana – de uma simples brincadeira bruta, vira um instinto assassino. A edição acaba desenvolvendo uma sensação perfeita de paranóia nos momentos de questionamento – a desconfiança de confiar em alguém ou em terminar uma missão com vida - e um efeito que mais parece uma versão bastante original do Bullet Time, com bombas e balas se desarmando em camera lenta.

Celebridades, como o ótimo Ralph Fienes e David Morse (principalmente) fazem pontas brilhantes, mas a missão de comandar um tempo maior na tela fica por conta dos atores desconhecidos.

A Guerra é uma Droga – em todos os sentidos, e através de simples fatos, a mensagem é enviada.

Guerra ao Terror concorre em 9 indicações ao Oscar 2010, incluindo melhor filme (apesar da descrição oficial da ficha indicar que o filme é de 2008)

Extras


FICHA TÉCNICA

Título Original: The Hurt Locker
Direção: Kathryn Bigelow
Gênero:
Guerra/ Ação/ Drama
Duração: 130 min.Ano: 2008
País: EUA
Classificação: 14 anos
Elenco: Jeremy Renner, Anthony Mackie, Brian Geraghty, Guy Pearce, Ralph Fiennes, David Morse, Evangeline Lilly



Sipnose: Para um grupo de soldados americanos, alguns dias os separam do retorno para casa. Um período relativamente curto, se não fosse por tantas ocorrências que transformassem esse fim de jornada em um verdadeiro inferno. As forças armadas precisam de especialistas não só nos campos de combate mas também no dia a dia, na proteção do grupo contra insurgentes que promovem atentados, matando milhares de cidadãos. Conheça a dura realidade destes soldados e descubra que, ao contrário do que todos eles pensam, a luta jamais terminará....
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...