Em Destaque

domingo, 29 de novembro de 2009

Rio Game Show 2 (Sábado - 28/11)

A Volta Por Cima
(Rio Game Show - 2ª Edição, 28/ 11/ 09, Brasil, Eventos, Livre)




Nos filmes, fazer uma sequência, é um risco, pode se sair pior que a primeira. Fazer eventos também é muito difícil. Pagar por eles (com pouca grana) pode ser pior ainda - se não agrada, é prejuizo - e trauma pra toda a vida, para ambas as partes. E muitas vezes sobra pra quem pagou muito caro por isso.


Assim, como de costume, o Rio Game Show foi mais um evento que prezou mais pela propaganda do que pela organização. O segundo foi diferente. Investiram em propaganda, mas nos trouxe um evento satisfatório, eliminando grande parte dos problemas de organização - e não é que os responsáveis contra-atacaram e fizeram melhor? E isso, graças aos patrocínios, que salvam muito evento hospitalizado por aí - a volta por cima já parecia evidente. Mas era importante que,  apesar do anterior ter sido independente, deveriam ter se focado (desde ontem) nos eventuais problemas - mesmo que isso levasse mais uns meses de sacrifício.

Essa maratona de sábado caprichou tanto em matéria de espaço (apesar de apenas 1 andar para aproveitar as atrações, com excessão da sala especial de palestra) como em matéria de organização. Estandes caprichadas; lindas e simpáticas modelos, circulando e entregando brindes; e nenhum tumulto - a não ser alguns (err..) organizadores da equipe Seven furando fila em máquinas de fliperama (Street Fighter II, inclusive).  É, não é? O que o dinheiro não faz para melhorar um evento?  O maior problema do Rio Game Show 1 foram as promessas não cumpridas, resultando nas próprias regras quebradas.O problema, definitivamente, não era o dinheiro. E quem organiza ou participa/ participou dos bastidores de um, sabe muito bem o que é verdade - tendo a sã conciência para se concentrar no que deu errado, não apenas pensando no que deu certo. Os problemas deste segundo evento foram minúsculos, tão minúsculos que se passam desapercebidos, ou você praticamente esquece, pelos fatores (e valores) que agradam o público direcionado.
 
Apesar do trauma da primeira edição, uma luz no fim do túnel me trouxe alguma força para acreditar, e essa luz era Ralph Baer, a atração mor desta segunda edição. Houve uma videoconferência, via Skype, em um salão que só entrava quem fizesse uma inscrição. O público parecia bastante apreensivo, resultando em pouco desenvolvimento  nas perguntas, muitas já eram conhecidas - isso se resultou num tempo curto, apenas 40 minutos aproximados, quando o programado era 1 hora de duração - embora as questões comuns tenham servido de informação para os que não conheciam a sua trajetória - ou de importância histórica aos fãs, ver o ídolo ali do lado,  enquanto acompanha o seu comportamento diante de perguntas conhecidas.


Eu mesmo pensei em fazer algumas perguntas, curiosas ou divertidas, que iam além de games, algumas coisas eram mais pessoais. Um seria relacionado a animês - já que o pai do Pong parecia ser Otaku.  Sim! Ralph Baer tinha um poster de animê bem ao fundo do quarto em que ele estava (creio que tenha sido de Burst Angel ou algo parecido). Mas como estava tudo sendo direcionado de maneira muito impessoal, a questão não estava muito encaixada para aquele momento, poderia desvirtuar, deixei pra próxima. Outra coisa que me veio a cabeça também, era sobre o que ele pensa do filme que estão querendo fazer sobre o chefão da Atari - houve uma guerra judicial que Baer se envolveu - um caso polêmico e aparentemente pesado, para aquele momento  família, enquanto as pessoas ainda estavam se entrosando na mesa, e se procurando nas perguntas - então optei por deixar esse de lado também. E por fim, algo sobre empreendedorismo, como eu quis ser perfeccionista, a pergunta não veio muito adequada também. Muitas idéias, mas não bem planejadas, então deixei de lado.

O problema mais grave da palestra é que o tradutor presente não traduzia nada das respostas de Ralph Baer, ficando difícil de acompanhar.  Mas apesar de tudo, houveram algumas coisas curiosas ou engraçadas: como declarações que ficavam no ar, do tipo eu jogo videogame (LoL!); e a homanegem com os aplausos de pé ao fim da palestra do staff, imprensa e audiência, positivamente incentivados pelo organizador.

Abaixo vocês conferem um vídeo gravado no canal doYou Tube, mostrando como foi a videoconferência.
Parte 1/4




Parte 2/4



Parte 3/4



Parte 4/4



Bastidores: Conheci pesoalmente a Viviane Werneck (Girls Of War) ao final do evento. Na verdade eu já havia a encontrado na primeira edição, mas só agora é que tive coragem de me apresentar. Então ela comentou um ponto importante que concordei plenamente - e está aqui nessa sessão crítica.

Dados Técnicos


Título Original: Rio Game Show
Gênero:Eventos
Data: 28/11/ 2009 (Sábado)
Classificação: livre
Duração: 540 min (aproximadamente)
Direção: Marcelo Tavares
Local: Centro de Convenções SulAmérica – Centro - RJ - Rio de Janeiro
Site: http://www.riogameshow.com





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...