sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

[Sessão Crítica] A Origem do Dragão

Conto cinebiográfico marca o prelúdio do maior astro do cinema de ação


Envolto de filosofia e mistérios, assim foi marcada a trajetória do maior astro de artes marciais do cinema, dando espaço para a criação de verdadeiros contos cinematográficos como Dragão : A História de Bruce Lee (1993). A Origem do Dragão é uma nova biografia romanceada sobre Bruce Lee dirigido por George Nolfi (Agentes do Destino), seu segundo longa metragem, tendo roteirizado o excelente O Ultimato Bourne.

A trama é inspirada num artigo de Michael Dorgan, Bruce Lee's Toughest Fight (A Luta Mais Dura de Bruce Lee) da revista Official Karate (julho de 1980) que se refere a luta mais controversa da história do astro fora dos holofotes - e antes do sucesso - acompanhada por poucas testemunhas.  E em meio a toda a discussão - uns disseram que a luta havia durado 3 minutos e em outras alegações, entre 20 a 35 minutos. Essa sessão de controversas poderiam trazer um grande balanço ao roteiro - trazendo várias visões na história. Porém, buscaram seguir para uma história de ação simples e pouco ousado para um longa de baixo orçamento e de grande circuito. A mescla entre o cinema hollywoodiano e os filmes de ação orientais dentro da narrativa, diverte, porém, perde total peso pra quem conhece a história original ou o que se comenta na mídia.   

Philip Ng encara bem uma divertida visão bem caricada de Bruce Lee para um tom moderno que o longa procura apresentar, embora o envolvimento mais profundo com o personagem de Bruce seja prejudicado pelo desenvolvimento simplista. Enquanto Yu Xia tem face pouco carismática em cena, como Wong Jack Man, mas com os seus bons momentos - que tenta, de alguma forma, criar um balanço de preferencia pelo público (ainda que não tenha sido bem explorado). Billy Magnussen é Steve McKee, se torna o destaque ao lado de Jingjing Qu (Xiulan Quan) tentando casar essa aproximação de relações íntimas de costumes entre o cinema americano e o oriental.

Recomendado para os entusiastas de Bruce Lee, mas não vá com grandes expectativas.


Momento Pós-Crítica
Pesquisando pela internet, descobri que o longa teve estréia no cinema de Toronto (em 13 de Setembro de 2016), estreando nos cinemas americanos em 25 de Agosto de 2017.

Memórias da Sessão 
Enfim, mais uma sessão nas férias. O filme, felizmente adiado, de Novembro, para Dezembro, me trouxe a oportunidade de assistir com um dinheiro sobrando. O longa foi recomendado pelo meu amigo Wilian Pinhal (que é a ele que eu dedico este post), que assistiu ao trailer. Foi uma grande surpresa do ano pra mim, um longa sobre Bruce Lee, algo que não vejo desde 1993 - ou 95, ano que tive conhecimento e assisti Dragão: A História de Bruce Lee, outra biografia que teve atraso de estréia por aqui, coincidentemente, e acompanhando a infeliz e trágica coincidência com o acidente fatal com Brandon Lee, filho de Bruce, durante as filmagens de O Corvo.  


Como eu de certa forma esperava (porém, não tanto assim), a estréia teve a sala aparentemente vazia (ao observar os assentos do ingresso.com). Então pense comigo: seria mais um raro filme aonde assistiria sozinho ou com apenas uma ou duas pessoas ? Na verdade estiveram aproximadamente umas 13 pessoas na sala, contabilizando, 12 deles casais e um homem. 

Achei bastante graça de algumas situações e algumas moças se divertiram também. O UCI Parkshopping, como sempre, acendeu as luzes no fim dos créditos, mas felizmente não teve ninguém lá embaixo olhando quem estava na sala. 

Alguns colaboradores passaram normalmente de uma porta para outra. Depois tentei tirar um autorretrato próximo ao poster - segunda tentativa, na verdade, porque na primeira vez notei um problema (como no campeonato ProCup, domingo retrasado) que a câmera do meu celular havia quebrado (justamente, caiu no chão pela milésimas vez, pro meu azar). Pois é, nem tudo resiste a porrada como  Bruce Lee. 



 S E S S Ã O   C R Í T I C A 
A ORIGEM DO DRAGÃO
Sessão Acompanhada: - UCI Parkshopping - 21:47 - 28/12/ 2017 (Quinta-Feira)

2 Hit Combo :

Detonation Uchiha disse...

Muito bom o texto, a idéia de se fazer um filme de ação usando a persona do Bruce Lee me lembrou as produções picaretas do ciclo "brucesploitation" na década de 70.

Mestre Ryu Kanzuki disse...

haha! Muito louco, Detonation. É bem isso mesmo a ideia do filme. Feliz que consegui transportar essa visão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...