Em Destaque

domingo, 22 de janeiro de 2017

[Papo-Cabeça...de bolso] Museu dos Videogames Itinerante - Como Foi?




Prometi, por determinação, que acordaria cedo esse final de semana justamente para acompanhar o evento - prevendo que teria muita coisa pra explorar. Bem, sai um pouco tarde, mas deu pra aproveitar. Cheguei por volta de 16:00.Cheguei muito rápido, crente que chegaria mais tarde, mesmo com trem e metrô.

Um grupo enorme de pessoas ficaram em volta da praça de alimentação (parte da extensão) olhando para baixo, para a área de eventos. Então, eu logo percebi: - Cheguei, é aqui!
Mas o que aquela galerona toda está vendo? Quando cheguei próximo a escada rolante, vi que era um campeonato de Just Dance em um telão. Incrível mesmo descer e ver aquela festa toda no shopping. Eu sempre gostei de shoppings com fliperamas, isso me dá uma empolgação extra - um aquecimento na expectativa para encarar a sessão de cinema. Videogames (fliperamas) fazem falta nos shoppings - aquela fila enérgica de jogadores - não estou dizendo aqueles joguinhos ou com espaço apenas para crianças birrentas e chatas correndo pra lá e pra cá (se bem que teve disso nesse evento, normal, por se tratar de um espaço com pessoas de todo tipo).

E algo que me lembrou muito os tempos de fliperama foram as maquinas com jogos de luta ao lado de uma máquina com jogo de dança. Enquanto o festão rolava de um lado, do outro os explosivos confrontos mano a mano. Um choque de culturas. E eu gosto disso.

Houve uma certa versatilidade de jogos - muitos conhecidos e de disputa. Finalmente pude voltar a jogar, depois de muitos anos, disputas no Super Nintendo e no Dreamcast.

Jogos que mais fiz fila
Street Fighter V (Playstation 4) - 18 Vitórias com a Karin
Street Fighter II Turbo (Super Famicom) - uns 4 ou 5 Perfects com o Ryu
The King of Fighters 99: Evolution (Dreamcast) - 12 vitórias
Marvel v.s. Capcom (Deamcast) - 4 ou 5 vitórias

No Street V, não hesitei em jogar com a minha titular, Karin.  Até que eu não fui tão mal no controle de Playstation desta vez, mas ainda assim continuei com aquela performance terrível de só apertar botões nesse controle. Ao menos, deu pra fazer alguns combos. Teve uma garotinha que também jogou e não parava de colocar a cabeça sobre o meu braço e algumas pessoas também que passavam e atrapalhavam. O espaço ficou pequeno pro Shopping Nova América, e isso foi um problema.

O Dreamcast parece que estava rodando uma mídia gravada com vários jogos, podendo escolher. Porém, numa das partidas, um visitante pediu para que eu sugerisse trocar o jogo pro KOF 98. Como não estávamos achando, fomos de KOF 99 Evo. Como faz tempo que não jogo, esqueci como se escolhia a ordem e uma galera lá apressando: "- Escolhe qualquer ordem, qualquer cenário mesmo !". Tá né, mas o bom é que a Yuri (que eu queria por de striker, mas botei como jogável, sem querer) vigou com os seus Hao Sho Ko Ken carregáveis. Fui botando times aleatórios sempre com a Yuri de ajuda.

Galera tava reclamando do controle do Dreamcast: "-Nesse controle não dá não!"; outro disse que o controle tava duro, daí ficou tentando amaciar girando o Botão D. Eu joguei tranquilamente nos dois controles (essa Geração Playsation.. aff !! Mas se for porque só joga em controle Arcade.. a gente até perdoa !!) . Mas é aquilo... anos e anos jogando em casa, no bom controlinho de Mega Drive, Dreamcast e algumas no Super Nintendo... é que nem colocar Rambo na floresta.. ali é o meu território.

Fiz tanta fila que alguém chegou pra um amigo seu que tava jogando comigo dizendo que ele ganharia um prêmio se tirasse algum lutador do meu time. No Street V eu ouvi alguém falando algo sobre a Karin, algo do tipo "Pedreira essa Karin !!" ou algo do tipo. hehe! Também houve um jogador (que também pegou a Karin) e logo após eu ganhar o mirror mach ele se interessou no meu convite para participar da Sala Street Fighter V e pegou o meu nickname. O meu Ryu também foi elogiado no Street Fighter II Turbo do Super Famicom. Porém, a minha camisa gerou intimidação: "-Você parece que sabe jogar!"; "-Eu sei que você é fã de Street Fighter, mas pega leve!" (esse último tava jogando pacas com o Vega)

Fatos curiosos 
- Já pelo fim do evento, é um grupo de garotos que se aproximou, na faixa dos seus 18 ou 20 anos, um deles,com aparência clara, loiro e de olhos claros, perguntando se não havia Polystation por lá. Daí eu disse que não E ele: "-Que injustiça!" Depois perguntou por onde tinha KOF. E eu, como se fosse "velha surda" achei que ele estivesse confundindo com o Street II do Super Famicom rodando por ali.

- Faltaram as máquinas de Arcade. Mas isso, de alguma forma, foi bom para que o foco sejam os videogames caseiros.

- Havia uma cosplayer perdida por ali mas não soube identificar de qual origem era o seu cosplay.

- Conheci um jogador chamado Ricardo, que estava de camisa social, detonando no Street II Turbo de SNES com Guile e tentando fazer algo com o Zangief. Muito gentil, advogado e pai de família (como o próprio major de cabelo duro) disse: "-Eu jogo desde 1992". Ele me contou altas histórias de fliperamas, jogos favoritos. Alguém apaixonado por jogos de verdade. Essa é a grande vantagem de frequentar esses eventos e conhecer pessoas, você conhece histórias e pessoas realmente apaixonadas pelo tema- de uma forma que você nunca imaginaria ou que fosse apenas coisa de cinema.

- Quem me encontrou no evento foi o meu parça dos tempos de faculdade e de partidas no Street Fighter V, grande Wellington Thyrso.

*Ricardo, que já é meu grande amigo, igual ao meu sobrenome, que tanto amo, presente da minha mãezinha.

Pontos Fortes

- Variedade de sistemas 
Com espaço livre pra jogar, mesmo em um espaço pequeno, e de graça.

- Divulgação
Mesmo entre os meus colegas, que nem chegados em jogos são, a notícia chegou de tal forma
que até eles se interessaram em ir. A vantagem de se ter um evento como esse em uma área pública como o shopping.


Pontos Fracos

- Minicampeonatos acontecendo aos dias de semana
Street Fighter II de Super Nintendo- possivelmente o SF2 Turbo - será na Segunda-Feira e outros jogos, como Ultimate Mortal Kombat 3, do mesmo sistema, serão também durante a semana. cheguei a reclamar sobre isso, apesar de saber que não vai dar em nada.



FOTOS DO EVENTO
 Divulgação em todas as áreas do shopping. Ponto forte.





TRECHOS EM VÍDEO 


MUSEU DO VIDEOGAME ITINERANTE
Onde? 
Shopping Nova América 

Quando? 
21/01/2017 

Até Quando?
Das 10:00 às 22:00 até 29/01

5 Hit Combo :

Kiske - Otoko disse...

AAaawesome :D

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Valeuuu, Kiske. :D

Synbios disse...

Grande post, como não poderia ser diferente. Parabéns pela performance, vejo que seu treino ao lado dos mais fortes vem dando resultado, totalmente excelente!

De Nova América pelo trajeto que você fez é rapidinho mesmo, o metrô ajuda demais, a estação é praticamente "dentro" do shopping.

Sobre a lotação, ontem deve ter tido uma lotação acima da média em relação aos outros dias, simplesmente porque o evento teve matéria veiculada horas antes de sua passagem por lá na edição de ontem do RJ TV(disponível no G1).

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Ahhhh, então foi ontem a matéria do RJ TV, Marcio? Por isso então. haha! Vim em ótimo dia.
Eu adorei o movimento. A muvuca atrapalhava mas deu pra se divertir. haahahaa!

Muito Obrigado por tudo!

Bruno BMark disse...

Soube desse evento no Fórum Outerspace através do usuário Lobo-FF que o divulgou no Retrospace mas até o momento não vi nenhuma notícia sobre o evento a não ser aqui no Santuário.

Gostei das fotos e da relação de jogos que vc jogou.

Sobre o KOF 98 a versão do Dreamcast é conhecida como The King of Fighters 1999: Dream Match.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...