Em Destaque

domingo, 27 de novembro de 2011

[Sessão Comemorativa: Os 100 Anos de Titanic] Destrinchando: Titanic (Dir. James Cameron - 1997 - O Vencedor de 11 Oscars)

NESTA POSTAGEM
SESSÃO COMEMORATIVA: OS 100 ANOS DE TITANIC
DESTRINCHANDO: TITANIC (DIR. JAMES CAMERON, 1997, EUA)
O VENCEDOR DE 11 OSCARS

PRELÚDIO
JAMES CAMERON: O REI DO MUNDO


SESSÃO CRÍTICA
 TITANIC 

EXTRAS
FICHA TÉCNICA
TITANIC 3D
GALERIA

PRELÚDIO
JAMES CAMERON: O REI DO MUNDO
O propósito era simples, mas a realização dele era bem mais do que um simples propósito. James Cameron queria escrever uma história sobre o mar. E foi assim que surgiu Titanic. E o projeto se iniciou em 1996.

O fascínio do diretor o levou a se envolver numa acontecimento real. Após a sua viagem inaugural, no dia 14 de Abril, no fatídico 15 de abril de 1912 o luxuoso navio chocou-se contra um iceberg na madrugada daquela data matando milhares de pessoas. Ainda não se foi calculada a quantidade do prejuízo de vidas, mas o Titanic foi o navio, até aquela data, com o maior número de pessoas - um total de 2.240 pessoas estavam a bordo. Há teorias em volta da história, sobre o fato do homem ter subestimado a força da natureza. Já que os noticiários da época se orgulhavam da criação do grande navio e o descreviam com os dizeres Nem Deus Poderia Afundar O Titanic.


Concebido para ser Inafundável, era o que espalhava o folheto publicitário da White Star Line (construtora do RMS Titanic, o nome do navio completo) em 1910. Eles estavam realmente muito confiantes na sua tecnologia.



As outras versões de Titanic (Cinema e séries de TV): No lado esquerdo (Foto 1) é possível ver a capa do documentário lançado no mesmo ano do navio, lançado em 14 de maio de 1912. A Sobrevivente do Titanic (Saved From The Titanic) é protagonizado por uma das sobreviventes do Titanic, Doroty, que também escreve o roteiro. Foi uma das primeiras produções a utilizar técnicas de cor. Duas cenas foram gravadas em Kimemacolor - o primeiro êxito na coloração de filmes, inventada pelo inglês George Albert Smith (1864-1959). A cena em que Dorothy regressa aos braços dos pais, ela já estava sendo declarada como morta, e a cena final em que o pai concede a filha em casamento a um homem. No lado direito (Foto 2), uma cena de uma versão de TV lançada em 1996, antes do sucesso de James Cameron, com o ator Irlandês, Peter Gallagher e a atriz, famosa por filmes como A Máscara de Zorro e mulher do ator Michael Douglas, Catherine Zeta Jones. E até mesmo existem versões em desenho animado, os longas Italianos com cara de desenho Japonês A Lenda do Titanic ( La Leggenda Del Titanic, 1999) e Titanic: La Leggenda Continua de 2001 (Traduzido por aqui apenas como Titanic - note as decrições na embalagem brasileira: Final Feliz). Ambos usam características do filme de James Cameron e desenhos da Disney como base.


Do lado esquerdo, os verdadeiros sobreviventes do navio num bote salva vidas. Do lado direito, Milvina Dean, considerada a última sobrevivente do Titanic. Faleceu aos 97 anos em 2009. Os atores DiCaprio e Winslet (protagonsitas do filme Titanic de James Cameron) chegaram a ajudá-la financeiramente para se cuidar de um acidente após quebrar o quadril e ficar internada por três anos antes de sua morte. Ela chegou a doar recordações do Titanic para arcar dinheiro com as despesas da clínica.


Uma das cenas mais famosas do filme chega a lembrar bastante a estátua erguida em Washington D.C. em homenagem ao Titanic (esquerda). A TV Globo também chegou a entrar na onda e fez referência ao filme na novela Por Amor escrita por Manoel Carlos (Presença de Anita). Que posteriormente chegou a exibir o filme pela primeira vez, em 2 partes, no SuperCine (sessão de filmes de Sabado à noite). Na versão de Cameron, o filme é visto através dos olhos de dois personagens fictícios na história, o casal Jack Dawson (Leonardo DiCaprio) e Rose DeWitt Bukater (Kate Winslet)  interagem na história.
 O diretor queria passar aos atores a sensação de que tudo ali fosse real e praticamente recostruiu o navio nos mínimos detalhes, seja com montagem de cenários ou por complementos em Computação Gráfica. Durante os bastidores da versão do cinema, Kate Winslet (Rose) quase desistiu do filme por causa de uma cena sobre a água (no momento em que vai salvar Jack, que está algemado no navio) devido a alta temperatura.  

Chris O' Donell ( O Robin de Batman Eternamente e Batman & Robin) e Matthew McConaughey (de Tempo de Matar e Trovão Tropical). Tom Cruise também esteve interessado no personagem Jack Dawson.

As novas evidências da destruição do navio após o filme: No filme, é comentado que o navio teve a destruição da lateral com os compartimentos arrebentados em partes. Algum tempo depois, foi comprovado que a destruição foi em linha reta.

A tragédia do Titanic tem muitas semelhanças assustadoras ao do romance Futilidades, ou O Naufrágio do Titan. Um livro de 1898 escrito por Morgan Robertson. Na história, o navio Titan também se choca contra um iceberg. Inclusive, o nome do capitão também se chama Smith entre outras semelhanças ou notas aproximadas em meio a uma história que faz críticas sociais e política. Num contexto, a história do Titanic também poderia representar algumas dessas características. Seria uma profecia?
O resultado da megaprodução foi totalmente ao contrário das expecitativas de Cameron e dos produtores, que acreditavam no fracasso do filme. Os produtores temiam estourar o orçamento, pois Jim é também famoso por isso - ele sempre acredita que podia ir um pouco mais além - o que ocorreu atraso no lançamento do filme. E muitas discussões rolaram por trás dos bastidores, assim como sempre aconteceu em todas as suas produções, entre Cameron V.S. os produtores da Fox. Fora que não haviam vestígios de crença numa história que já se conhecesse o final: - Todo mundo sabe que a história de Titanic acaba em um naufrágio. O pensamento da crítica era modesta.  Mas Cameron era mais exigente e convenceu os produtores em mais uma queda de braço, e também a crítica. No fim, Titanic teve um final feliz, faturou um absurdo e não naufragou como O Segredo do Abismo (1992). Ele se tornou o filme mais visto de todos os tempos (desconsiderado o reajuste do dolar).  Isso também, graças as garotinhas de 12 anos, fascinadas por Leonardo Jack Dawson DiCaprio, que iam diversas vezes ao cinema para embarcar no navio dos sonhos, sonhando estar naquela poupa do navio no lugar de Winslet.

Titanic se tornou também um dos recordistas do Oscar, das 14 Indicações levou 11 prêmios se igualando ao clássico Ben-Hur e, posteriormente, a O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei.

James Cameron conseguiu denovo: impressionar. E com a sua maior façanha , de grandiosidade, construindo o seu primeiro grande Épico. Pode ser que após Titanic você não sinta mais a mesma graça em qualquer outro filme – este é, sem dúvida, o épico dos sonhos.

Parabéns Cameron, depois de duas décadas entretendo o público com ótimas histórias, você conseguiu. É o Rei do Mundo. 


SESSÃO CRÍTICA
TITANIC 

CRÔNICAS EM ALTO MAR
Leonardo DiCaprio e Kate Winslet: quimica forte na tela

Se Avatar se tornou um filme que deixou as pessoas em status de depressão ou chorando aos prantos depois de partir daquele mundo (o-filme-acabou-agora-vamos-pra-casa), Titanic vive de qualidades submersas em seu conteúdo que o levantam ao alto mar de uma maneira tão enriquecida quanto o último primor citado. Não só emociona corações apaixonados ou sensíveis à tragédia como também surpreende com suas surpresas dentro de uma história aparentemente simples. Uma variação perfeitamente encaixada entre Ação, Drama e Romance. Tecnicamente, uma reprodução belíssima do início do século 20. Ambiente e  peças, tudo brilhando como se fosse novo, dá mesmo vontade do espectador estar lá dentro (se você é um seguidor atento dos filmes de James Cameron, você sentiu isso mais uma vez no mundo de Avatar – mas não esquece que já sentiu isso antes em Titanic).

Os mais radicais julgariam o navio pela lata, veriam apenas a simples história de uma sucata que afunda – cultura inútil e nada histórica. Muito pelo contrário, dentro dessa viagem de transatlântico, há menções à tecnologia, a conturbada mistura entre classes e etnias sociais, exploração submarina e até religiosidade envolto de fábula – tudo isso sem contar com as passagens no tempo que dão um ar de nostalgia, sentindo com que o verdadeiro espectador envolvido na história esteja se colocando no lugar de relembrar a sua própria época da inocência perdida – tudo isso em meio a uma grande catástrofe, é ou não é uma grande história? O único porém seja a falta de algo mais político, cenas que mostravam as divergências entre os controladores do navio e algum conflitos paralelos que ficaram de fora do filme (citados apenas nos Extras da Edição de Colecionador do DVD e em especias de TV).

Titanic é um filme catástrofe que não depende só de puros efeitos especiais, a sua qualidade também está por conta de um talentoso elenco, completando a sua eficácia. Estão Leonardo DiCaprio (faltou uma idicação ao Oscar), Kate Winslet (indicada ao Oscar de melhor atriz), Billy Zane, Kathy Bates, Bill Paxton e veteranos como Gloria Stuart (indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante). 

Leonardo DiCaprio foi sem dúvida uma ótima escolha para ser Jack Dawnson, formando um casal perfeito com Kate Winslet e com uma badalação mais do que merecida. A dupla trouxe um espírito jovem e moderno a história épica - um dos motivos que levaram o filme a ser considerado o E O Vento Levou dos anos 90 pelos críticos. A relação entre os dois personagens é tão forte que deixa muitos outros casais por aí aos cacos - como, por exemplo, eu citaria o próprio DiCaprio e Cameron Dias em Gangues de Nova York, que segue mais ou menos a mesma linha entre romance e tragédia mas não trouxe o mesmo vigor. 

Embora DiCaprio tenha se tornado o galã das adolescentes daquela geração Spice Girls e Backstreet Boys, esse rótulo não era o bastante para ele. Pois o ator também mostrou o potencial de seu talento em diversas produções, antes e depois de Titanic. Billy Zane faz o papel Cal Hockey, o marido de Rose (Winslet), é o típico príncipe arrogante da alta sociedade que se torna um Don Juan medíocre e de sentimento mesquinho - peça importante da crítica ao prazer por coisas mais materiais do que essenciais à formação do ser humano.

Há também quem diga que Tropas Estelares merecesse mais do que Titanic quanto ao prêmio de efeitos visuais no Oscar 98. Mas veja só, os efeitos de Titanic não viveu só de Computação Gráfica. O navio foi reconstruído manualmente, com o mesmo tamanho do original. Há mais simulação real do que efeitos artificiais por computador, a cena em que bate o iceberg e chacoalha o interior do navio, não é uma câmera balançado como em Velocidade Máxima 2, os objetos e a estrutura do navio balançam de uma forma realmente bem estudada na tela.
A trilha de James Horner é um primor, seu melhor trabalho em anos. Não há som ruim - ou menos do que excelente - nas principais faixas que compõem o primeiro CD – um misto que simula temas de Terror, Suspense e Fantasia em plena história. Está tudo ali. E não vai te fazer dormir nem nas trilhas arrepiantes de emoção – apenas te deixar: hipnotizado. A única música que fez falta na primeira trilha foi a cena da dança Irlandesa, que foi para o segundo CD, Back To Titanic, juntamente com outras pequenas músicas de apoio e temas arranjados das originais.

Num conjunto técnico, avaliando sua peformace no VHS ou DVD, Titanic vive o mesmo caso dos 3 últimos Star Wars, é o tipo de filme para se assistir boladão no cinema, para que toda a sua beleza visual e sonora seja apreciada – embora a emoção de um roteiro versátil esteja intacta). Se você não assistiu no escurinho da tela grande, não perca a chance de assisti-lo em seu possível retorno em 3D no ano de 2012 (relembrando os 100 anos do navio) - ao menos é o que o diretor promete.

Matéria iniciada em 5 de Abril de 2010

EXTRAS

FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: IDEM
GÊNERO: AVENTURA/ ROMANCE/ DRAMA
DIREÇÃO: JAMES CAMERON
DURAÇÃO: 194 MINUTOS
Com: Leonardo DiCaprio, Kate Winslet, Billy Zane, Francis Ficher, Gloria Stuart (1910-2010), Bill Paxton (True Lies), David Warner (Lovejoy) e Kathy Bates (Molly Brown).
ANO: 1997
PAÍS: E.U.A.


EXTRAS
TITANIC 3D
Previsto para 6 de Abril de 2012. A versão 3D virá também em IMAX 3D. Sucesso que retorna em homenagem póstuma aos 100 anos da tragédia.

Trailer



Bastidores 1: Trailer com Apresentação de James Cameron
(Sem Legenda)

Bastidores 2: James Cameron fala sobre a versão em 3D
EXTRAS
GALERIA






EDITORIAL
ESTA POSTAGEM É DEDICADO EM MEMÓRIA ÀS MILHARES DE VÍTIMAS DA TRAGÉDIA



(E A MINHA ESPOSA, ERIKA)

2 Hit Combo :

Anônimo disse...

Titanic é simplesmente o maior épico de todos os tempos,filme mais lindo do mundo!Otima matéria!

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Anônimo: Fico muito feliz que gostou. Concordo plenamente com o que você disse - assim como comprovei na matéria. Ao Lado de Ben-Hur (1959) é o melhor filme de todos os tempos pra mim. Muito Obrigado pelo seu post!
Poste sempre. \o/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...