Em Destaque

domingo, 4 de setembro de 2011

[Street Fighter II 20 Anos - ROUND 12] (2 em 1) Os Jogos do Filme - Parte 3 de 4: Dedo No Joystick: Street Fighter - Real Battle On Film (Saturn)

NESTA POSTAGEM
  
TESTANDO O JOGO
STREET FIGHTER: REAL BATTLE ON FILM (SATURN)

TESTANDO O JOGO
STREET FIGHTER: REAL BATTLE ON FILM (SATURN)

MAIS STREET, MENOS MORTAL

As beldades: Ming Na Wen (Chun Li) e Kylie Minogue (Cammy) ilustram a contra capa do manual do CD

  Real Battle On Film
, subtítulo da segunda adaptação do filme de 94 estrelado por Van Damme, se aproxima da jogabilidade tradicional de Street Fighter II mas não deixa de lado o estilo trash da versão Arcade, do mesmo naipe de Mortal Kombat: uma farta mistura de realismo (gráficos digitalizados) com fantasia (efeitos especiais, mais cartoonizados, que tentam imprimir as animações de Street II).

NOMES OCIDENTAIS
Apesar de ter sido produzido originalmente do Japão, em paralelo ao jogo lançado para os Arcades Americanos, os nomes dos personagens são representados pela forma como são conhecidos no filme e no ocidente. 


SISTEMA DE JOGO
 
Diferente da versão para Fliperamas, as versões do jogo do filme  para Sega Saturn e Sony Playstation tem muitas semelhanças



Em Street Fighter: The Movie (Arcade) muitas táticas de Street Fighter II não eram possíveis pelo seu estilo de sistema. Agora em Real Battle On Film, o estilo tradicional voadora e rasteira voltou. Use e abuse.


A finalização do SUPER COMBO FINISH é representada em estilo retrô, com a tela explodindo em cores amarela e vermelha, , com direito a Zoom.


Se na teoria, está mais limitado à jogabilidade de Super Street Fighter II X e descartando as influências de X-Men: Children Of Atom. Na prática, há diferenças. A barra de SUPER enche mais rápido (com uma média de 3 especiais). Sair de um arremesso, usando o mesmo comando do oponente, causa menos dano. Também é possível escolher aonde o adversário pode ser arremessado, dependendo do botão D que você aperta com o botão de ataque. Muitos dos combos (emendando socos ou chutes fracos repetidamente) tem mais rapidez de resposta dos controles e chegam a ser até mais fáceis de emendar com movimentos especiais e Super Combos. A velocidade do jogo foi reajustada para o modo normal, igual ao de Super Street Fighter II. Cada personagem ganhou mais de uma comemoração (no Arcade, cada personagem só possuía apenas uma).
Agora os lutadores despejam algumas gotas de sangue, em menor ou maior quantidade, quando são acertados

Cada lutador pode usar uma espécie de Move EX (Visto em Darstalkers e, posteriormente, em Street Fighter III: Second Impact e Third Strike). O comando depende de uma certa condição da barra de intensidade - precisa estar azul, quase cheia.  Aonde um movimento especial comum pode sair fortalecido ao finalizar com 2 socos ou 2 chutes, dependendo da finalização do movimento.

TRILHA SONORA É O DESTAQUE

SOUND TEST PROJECT - STREET FIGHTER REAL BATTLE ON FILM - VARIOUS TRACKS by Mestre Ryu 

Em termos de gráficos, perdeu profundidade nos detalhes - muitas das imagens dos lutadores foram reproduzidas, alguns com menos qualidade e outras com animações cortadas. Apesar de perder pontos nesses detalhes, esta atualização para o console de 32 Bits ganha em outros. A boa interação fica por conta da combinação entre vídeos e animações com referências ao filme. O destaque maior fica para a ótima trilha sonora (vencedora do Punho de Ferro da nossa associação de prêmios). Além de contar com a música tema composta por Graeme Revell, as músicas originais do jogo formam um dos melhores repertórios da série. Essa releitura  não fica devendo nada em qualidade em relação às originais de Super Street Fighter II X. Mesmo conseguindo se distanciar muito bem das músicas clássicas de seus personagens,  é possível notar levemente algumas referências nas notas (compare a música do cenário de Vega com o de SSF II X, por exemplo).

Os efeitos sonoros - mais contidos e afinados que a versão Arcade - são bem parecidos com os de X - Men: Children Of Atom, tanto quando se acerta ou quando se defende um golpe (nitidamente notado quando a barra SUPER enche, é o mesmo som de Wolverine afiando as suas garras). Quando um lutador perde, dá pra se ouvir os ecos de seu grito* característica que foi herdada do Street Fighter II: The World Warrior de SNES.

Sons Adcionais e Vozes Mantidas: Também é possível ouvir vozes digitalizadas dos lutadores quando eles são acertados ou estão fazendo um golpe. Eles também comemoram expresando alguma palavra quando finalizam com Super Combo Finish. A maioria dos personagens tiveram sua dublagem aproveitada de Super Street Fighter II.
As telas após as lutas retornaram, embora mais simples visualmente (sem mostrar a cara do perdedor surrado) e com mais textos. O lutador derrotado aparece em preto e branco. As músicas dessa tela mudam dependendo do personagem que você está. Na versão Japonesa, é possível ouvir os personangens expressando algum diálogo.

TV, VIDEOGAME.. AÇÃO!
Os tempos de Loading do CD são um pouco demorados. Nem mesmo é possível acelerar a contagem do continue - descrito como Never Give Up!

As opções de jogo dão ainda um Salve Extra na diversão. Só faltou mesmo é um Training Mode.
São elas:

Movie Battle:  Este é o Story Mode do jogo. Com base no filme e com o ambiente dos jogos, você controla Guile e tem de encarar várias lutas até chegar ao esconderijo de Vega, antes que o tempo para resgatar os reféns se esgote. Se isso acontecer, a Nações Aliadas terão de pagar o resgate e Vega terá o controle do mundo com o seu exército de Blankas. Antes da história toda começar, você encara uma luta preliminar contra o Psycho Bison - um bicho bem apelão. Você encara Bison umas 3 vezes  neste modo - contando com as duas lutas finais.

Versus Battle: O modo tradicional para o Mano A Mano entre dois jogadores. É possível escrever o nome antes de começar. Ele fica registrado na tela de resultados e na tela de seleção.









Terminando o modo, você curte o videoclipe Something There, trilha do filme cantado pela dupla Japonesa Chage & Aska.

Trial Battle:  Seja muito bem vindo ao super desafio o pesadelo é aqui! Este é uma espécie de Survival Mode aonde o jogador deve encarar todos os 15 lutadores da CPU (inclusive o Super Akuma) com as habilidades de jogadores profissionais - eles parecem ter auxiliado na programação já que é possível ver os seus apelidos nos menus do modo.  Cada um dos lutadores tem suas condições avaliadas por estrelas.

NOVOS PERSONAGENS
DEE JAY & BLANKA: embora digitalizados originalmente para a versão Arcade, os personagens finalmente ganharam a sua presença nesta segunda versão para os consoles de 32 Bits.
O monstrengo Blanka: está mais humano nesta versão, a exemplo das ideáis do filme.

 Dee Jay arregaça: com o seu Ex Pulso Hiper e manda Cammy para a lua

E PARA OS VETERANOS?
Novos golpes e novos quadros de animação (comemorações e posições de luta).

GUILE 
Guile ganhou referências ao personagem ilustrado dos jogos anteriores em seus movimentos e numa de suas comemorações.
Seu chute real não é mais o mesmo de antes
Perdeu a dúzia de chutes que tinha na primeira versão para Arcade. Guile está mais Guile e menos Van Damme.

CAMMY 
Manda o seu oponente, com o seu EX Cannon Spike, para os ares.
O EX  Spiral Arrow também é cheio de poder. Mais parece um espiral energético.

RYU
Ryu está em uma de suas melhores versões. Seu Shoryuken fraco pega duas vezes na defesa. Seu Tatsumaki Senpukyaku, quando cai por trás do adversário, pega nas costas.

KEN
O rei do Shoryuken mostra o muque na nova comemoração.

CHUN - LI
Saca só a dancinha sensual.
O Senretsu Kyaku agora traz efeitos ilustrados.

E.HONDA
Nova Comemoração: Dando gargalhadas com a mão na boca.

Seu Move EX é um vôo sumô giratório (muito parecido com o que ele tinha no Arcade) com efeitos.
O golpe Ooishou Nage voltou a velha forma (arremesso + bundada).

BALROG 
De volta a velha forma de Super Street Fighter II X e exibindo seu EX Buffalo Headbutt. Aparentemente está mais lento para escapar das magias (seu SUPER pode passar por elas sem problemas) mas continua bom nos agarrões com cabeçadas.

SAWADA

Ganhou uma novo estilo de jogo. Seus especiais ganharam novas funcionalidades. Seus ataques que simulam espadadas (Hyakuretu Izungiri) são golpes sequênciados e não mais rebatem magia. E ganhou um anti aéreo (Gokusatsu Jibakujin). Com o anti aéreo no modo EX, é possível rebater magias.
 OLHA O TREM
Se jogar com o Sawada começar a ficar difícil, o jeito é apelar pra SUPER Suwacada. Se liga! Um Super Combo muito estranho para Japonês ver. Este golpe se chama Kamikaze - referência exata aos soldados Japoneses quando faziam seus ataques suicidas na segunda Guerra Mundial. Imagina matar um soldado num belo suvaco?
Sawada tem teleporte no mesmo esquema de comando do Dhalsim.  Saca só a tiração de onda.

Seu chute a la Fei Long (Sawada Special '95) é sequenciado.

ZANGIEF
A versão mais magricela do lutador rei do café pilão  rei da mãe Rússia pode causar estranheza nos velhos jogadores. Sua mão boba, Seu rebatetor de magias no Modo Ex ganha um visual roxo.

VEGA
Em sua nova pose. Formoso e convencido, como sempre.

 Não usa mais a máscara (talvez para economizar memória?) e tem duas comemorações novas.  Uma delas é uma versão reduzida que tinha no Arcade. Ele termina se agachando e abrindo os braços abertos pra frente e não faz mais a saudação com um dos braços para cima.

SAGAT 
Nova comemoração: Colocando as mãos na cintura e olhando pro derrotado no chão. Seu novo especial é o Tiger Duplo em seu Move Ex (aprendiz de seu SUPER da primeira versão).

BISON
Mais fiél às versões ilsutradas, Bison detona o seu triturador psíquico com o visual semelhente ao de sua origem, assim como seus golpes luminosos com o soco. É notável que o lutador torrado também tem o o mesmo visual animado de Street Fighter II.

...
Akuma voltou a ser secreto como em Super Street Fighter II X

Para jogar como Akuma, faça rapidamente a sequência: cima, B, baixo, Z, frente, X, trás e depois Y (com o cursor em Guile) na tela de seleção de lutadores. Você só tem 3 segundos para acertar. Se tudo der certo, você verá a imagem de Akuma ao melhor estilo do filme O Chamado.
Assim como o Shoryuken de Ryu & Ken em Street Fighter II (até a versão SSF II) o Shoryuken de Akuma também é invencível.  Dá pra apelar a rodo com os seus combos.


AS CENAS DA BATALHA
 Nesta versão, os personagens voltaram a ter cenários próprios. Agora com base em uma cena do filme. Assim como as animações e o sistema de jogo, os cenários não trazem a mesma profundidade da primeira versão, para Arcades, mas consegue mostrar alguns pontos positivos. [ Atualizações 12/09/ 11 - 18:12] Há também um cenário extra (não citado na lista abaixo) que só aparece na primeira luta do modo Movie Battle.

 GUILE STAGE
No cenário de Guile, a pancadaria come solta na porta do quartel. Os soldados batem continência nos momentos chaves da luta, inicio e fim.
CAMMY STAGE

Trocando o castelo da Inglaterra pela cena simbólica do filme, aonde Guile recusa as ordens dos patrões bobos e partindo para a luta contra Bison.

CHUN LI STAGE
O cenário de Chun-Li é no necrotério das Nações Aliadas. Note o estado de abandono.. até ratos passam pelo lugar.

E.HONDA STAGE
Graciosas mulheres dançado ao fundo em uma cena do mercado dos contrabandistas de armas - marcado pelo encontro de Bison e Sagat.

SAWADA STAGE 
No habitat de Bangok, ao fundo, é possível ver o castelo de Bison.

RYU STAGE
O cenário do rei dos Hadoukens agora é ao ar livre de uma prisão.

 KEN STAGE
O cenário se passa na parte externa da festa do mercado negro. A Disneylandia dos contrabandistas em Shadaloo.

BLANKA STAGE
É possível encontrar (atrás da máquina de transformação de Carlos Blanka em monstro) o simbolo da Shadaloo escondido. [Atualizações - 10/09/ 11] O cenário tem duas formas. Uma é quando nenhum dos jogadores está jogando com Blanka - piscam luzes no cenário, simulando algum curto circuito. A outra é quando Blanka está na forma de Carlos, preso ao fundo sob a hipnotização da máquina transformadora.

BALROG STAGE
O cenário do boxeador (agora não mais chefe e bonzinho) tem o caminhão da GNT, o veículo que ele perambula com Chun Li e E. Honda fazendo reportagens da guerra em Shadaloo, ao fundo.

VEGA STAGE
Ao contrário do Arcade, o cenário de Vega tem a multidão torcendo ao fundo. No filme, os cartazes das fãs tinha direito a dizeres I love Vega. É possível ver algumas caras de nerd (seriam os programadores fazendo ponta ?)

DEE JAY STAGE
O cenário de Dee Jay, para um ambiente 2D digitalizado, tem uma impressão bem interessante. Os efeitos de luzes (parecendo refletir a simução de um alarme) interagem levemente com a iluminação dos lutadores.

ZANGIEF STAGE 
O cenário de Zangief é aonde rola as maiores cenas de tiroteio dentro de esconderijo de Bison. O chão, é uma justa refêrencia ao ponto que Zangief e E.Honda caem lutando no filme.

SAGAT STAGE
O Kickboxer invade pega emprestado o quarto do maior ditador de Shadaloo para ser o seu novo cenário. O ambiente é muito bem iluminado e reproduzido. Dá pra se notar nitidamente o quadro retirado do filme, ao fundo.

BISON STAGE
O cenário de Bison é o mais marcante do filme (tanto é que vem no poster). Os televisores do fundo também foram reproduzidos, mas sem as imagens do filme como na primeira versão (The Movie). [Atualizações 10/09/11 - 01:33] As imagens no televisor grande alternam entre o rosto de Guile, Bison e a caveira da Shadaloo, com intervalos apresentando pequenas animações de passagem. 


GOLPE FINAL

Saca só o surto dessa Japonesa jogando o game ao som do Chage & Aska 

Este primeiro Street Fighter para Sega Saturn, e da Geração 32 BITS, não supera a primeira versão dos Arcades, tanto em variedade de sistema quanto em profundidade nos detalhes gráficos. Mesmo assim, consegue trazer um agrado pela qualidade do som e desafio.

NÃO MUDE DE CANAL.. AINDA!!
Apesar da crítica às poucas novidades no sistema, retornar à jogabilidade clássica de SSF II X não chega a ser ruim. É importante que Street Fighter II mantenha a sua identidade regularmente - enquanto testar alguns paralelos também não faz mal. Sem se focar apenas nos defeitos, é possível ver em Real Battle On Film algumas características que levaram a franquia a um degrau maior, com base nas gerações posteriores ao velho Street Fighter II. 

FICHA TÉCNICA

Título Original: ストリートファイター リアルバトル オン フィルム Sutorīto Faitā Riaru Batoru On Firumu
Títulos Alternativos:
Street Fighter: Real Battle On Film (Em Inglês), Street Fighter: The Movie (E.U.A)
País de origem: Japão
Lutadores: 15
Empresa: Capcom Co. (Japão)
Distribuição: Acclaim Entertainment (
NBA Jam, Mortal Kombat: Mega & Snes)
Lançamento: 1995

Elenco (Atores digitalizados): Jean Claude Van Damme (William F. Guile), Raul Julia (General M.Bison), Kylie Minogue/ Emma Kearney (Cammy), Ming-Na Wen (Chun Li), Ryu (Byron Mann), Damian Chapa (Ken), Jae Tavare (Vega), Wes Study (Sagat), Ernie Reyes, sr (Akuma), Grand L. Bush (Balrog), Peter Tuiasosopo (E.Honda), Adrew Bryniarski (Zanguief), Kenya Sawada (Capitão Sawada), Miguel A. Núñez Jr. (Dee Jay) e Robert Mammone (Carlos Blanka)


STREET FIGHTER II 20 ANOS: POSTAGENS ANTERIORES 

4 Hit Combo :

Robson Vieira disse...

Mais um ótimo artigo, como não poderia deixar de ser. Hehe! E não é que a "Super Suwacada" não foi incluída mesmo na matéria! Muita loucura esse golpe, que como você bem disse, 'é para japonês ver'. Até à próxima, meu caro!

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Robson Vieira: E o crédito da idéia é toda sua, meu caro. Huehue! Suvacada Remix..só faltou o som. Muito obrigado pela participação e um abraço imenso.

Solo Player disse...

Colega, esse Zangief é feio demais...

Mestre Ryu Kanzuki disse...

Solo Player: Eu não curti a jogabildiade desse Zangief, talvez por que não joguei muito com ele. Mas achei a sua caracterização bem parecida, com exceção do físico. Feio é tomar pilão, isso sim. hehe!! Espero que o Vingaard não tenha lido isso. *ops piada interna* rs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...