Vá de Sedex :: Siga pelo Email

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Sessão Crítica: Principe da Pérsia - As Areias do Tempo (Dir. Mike Newell)

Sessão Crítica
 Principe da Pérsia - As Areias do Tempo
IMPROVISO DO VIDEOGAME



Esta adaptação, pretendente a ser substituto do sucesso de Piratas do Caribe (ou como pretendia ser dentro de uma tímida campanha) decepciona por estar longe de um sonho das 1001 noites se tornando realidade, mas carrega alguma parte do escopo que um filme baseado em videogame deveria ser. 

É Visualmente grandioso (valorizada pela visão panorâmica apreciada pela câmera) com um produtor de superproduções no comando (Jerry Bruckheimer) e atores renomados (Jake Gyllenhaal, atuou com o falecido Heath Ledger no polêmico O Segredo de Brokeback Mountain; Ben Kingsley, o eterno Gahndi reencarnado no cinema; e Alfred Molina, conhecido pela garotada como o Doutor Octopus de Homem-Aranha 2), mas a história e a emoção vão se perdendo pelas areias do tempo.

Apesar do sobretítulo (baseado na saga homônima de 2002 nos videogames) levar a acreditar numa ideia aparentemente boba para um filme - areias mágicas que controlam o tempo? Ponto negativo levantado graças às impressões dos materiais de divulgação do filme (com exceção dos depoimentos do ator Jake Gyllenhaal sobre a lógica deste McGuffin*). 

A história, direta no ponto, sem criar uma paralela e trazendo os mesmos elementos do videogame, até que foi uma boa tentativa - já que a intenção real deveria ser o de levar os especadores leigos a se interessarem pela história pelos jogos - assim como a maioria dos filmes adaptados de livros com o mesmo título, de um determinado episódio ou romance, por exemplo.

Apesar de ter pouca interatividade para injetar uma carga de inteligencia na trama e ficar devendo pelas reviravoltas menos confusas, as areias mágicas são alugadas de uma maneira coerente. O filme começa bem e depois se arrasta para um jogo de gato e rato se concentrando no casal, o príncipe Dastan e a princesa Tamina. 

Há aquele show de referências, lutas com espadas; alguns quebra-cabeças; e os pulos acrobáticos dos jogos. O cuidado na edição das lutas deixaram as cenas de ação no mínimo decentes, um gole na inspiração das versões mais modernas que se interagem com os polígonos computadorizados. A ambientação está ali, presente, mas faltou graciosidade.

*McGuffin se refere a um elemento que conduz uma história (O termo foi popularizado por Alfred Hitchcock) 

Título Original: Prince Of Persia: The Sands Of Time
Elenco: Gemma Arterton, Jake Gyllenhaal, Ben Kingsley, Alfred Molina, Dave Pope, Thomas DuPont, Steve Toussaint, Toby Kebbell.
Direção: Mike Newell
Gênero: Aventura
Duração: 116 min.
Distribuidora: Disney Pictures
Pré-Estréia: 03 de Junho de 2010
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...