Em Destaque

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Dedicatória ao rei do pop: Moonwalker (1988) - Postagem De Luxo

NESTA POSTAGEM

SESSÃO CRÍTICA
O MITO PERSONIFICADO
FICHA TÉCNICA


EXTRAS

NOTAS DE PRODUÇÃO
NOTÍCIAS


Sessão Crítica 
Moonwalker (1988) 
O Mito Personificado
Um compacto de shows? Uma maratona de videoclipes? Uma aventura fantástica? Moonwalker é um Milk-Shake de peças distintas que assusta aqueles que esperam ver um filme comum estrelado por Michael Jackson. É uma busca por materializar a idéia de um super herói entre as celebridades - fantasiando tudo - com referências de sua trajetória e personalidade, seja ele representado num mundo fictício ou real. Confuso, não é? Para os fãs de fantasia e aventura, e do mito formado em volta da vida do rei do pop (tanto pelas polêmicas quanto pelas causas sociais), é um sonho realizado.

Moonwalker nos remete a 1988, uma época de ascenção do astro - o album BAD acabava de chegar às lojas de disco. Junto com Madonna, Michael Jackson formava o casal perfeito da geração MTV no canal 8 - antes entrar na TV por assinatura, enquanto Xuxa fazia um megasucesso com o seu Xou da Xuxa, He-Man ainda era o espelho do estereótipo de herói de filmes de ação e aventura, como Stallone e Schwarzenegger, enquanto super heróis japoneses bombavam na Manchete. As conexões entre o de ser vários filmes dentro em um, não são claramente interligados em Moonwalker, a não ser pela sua essência.

O longa homenageia os grandes hits do rei do pop, fáceis de cantar e que grudam na cabeça feito chiclete ploc. A abertura vem com um show de Man in The Mirror, passando por trechos de outras apresentações em diversos locais, entre elas, a referência principal, na cidade de Londres - que por coincidência, seria a mesma cidade que sediaria o show de despedida do megastar aos palcos.

Os fãs irão se deliciar com as novas versões caprichadas de seus antigos videoclipes, contando também com outros 100% inéditos como uma versão de 18 segundos de Human Nature. Bad surge numa surpreendente versão mini, paródia do original, estrelada pelo estreante Brandon Quintin Adams, ganhador do prêmio Saturno (Saturn Award) de 1989, fazendo um Michael ainda criança. O mais divertido momento do filme fica por conta de Speed Demon, com uma competição excepcional entre Michael Jackson e um coelho, que mais parece ter saído de um desenho animado. A faixa Leave me Alone, surge em uma sequência recheada de efeitos em um ambiente feito no estilo Stop Motion. A música é uma resposta indireta à imprensa, que é tratada como mais uma garota em sua vida. Ficamos também conhecendo (ou relembrando) o Michael exêntrico - no sentido financeiro, o seu prazer pelo colecionismo e pelo agrado de fiéis amigos e confidentes, como a atriz Elizabeth Taylor, além das citações sobre a sua firme relação fraterna com a famosa Cleópatra. Curiosamente, há uma referência nessa faixa da produção: uma nota fictícia de tabilóide que descreve os dizeres: Michael Jackson congelado por 50 anos - foi uma inspiração em seu desejo real, o de ser congelado após a morte.

Toda essa caracteristica de espetáculo durante os 35 minutos iniciais, faz parecer que o filme seja uma excelente celebração à vida de Michael Jackson através de seus trabalhos. Ao acontecer o filme principal, que é uma aventura com três crianças, o foco de conto de fadas faz com que todos os minutos anteriores tenham sido apenas uma longa apresentação. Joe Pesci faz um megavilão que usufrui de certa tecnologia, crueldade e tráfico de drogas, ele é o terror das criancinhas, mais até do que quando passou a atazanar a vida de Kevin (Macklay Culkin), como o ladrão Harry em dois filmes de Esqueceram de Mim, sucessos dos anos 90. O personagem Pesci é apresentado como Mr. Big nos créditos, apesar de que no filme seu nome é mostrado como outro. O roteiro é digno de dar exemplo a Super Xuxa contra o Baixo Astral (1990).

Ao entrar em um clube dos anos 30, tempos de Al Capone, Michael enfeitiça toda a barra pesada local com a mágica de sua música e dança. E é aí que Michael, sempre versátil e carísmático, preenche a peça principal com uma embasbacante apresentação de Smooth Criminal, vestindo o figurino que estampa a capa do filme: terno, gravata e calça branca, tendo, como diferença, a camisa azul social, ao invés de vermelha, por dentro. A sequência marca pelo passo antigravitacional conhecido como The Leat, em que se faz um movimento de ângulo 45º. Uma apresentação fora do comum que, como sempre, é a especialidade do astro, de sempre surpreender e nos orgulhar da música pop e de seus videoclipes. Dentre seus outros dotes extraterrestres, Michael também se transforma em nave, robô ou em um carro para combater seus inimigos, como se viesse de alguma série dos Transformers ou de outras produções associadas à cultura Japonesa.


Os efeitos visuais são caprichados (principalmente na sequência de Billie Jean). Nos tempos em que não se tinha o capricho de se fazer efeitos em computador como nos tempos atuais, os efeitos do Stop Motion dominavam. A técnica, apesar de limitada, consegue fazer algo simpático, estranho ou engraçado dentro do mundo imaginário proposto - um exemplo são os divertidos personagens cartunescos que perseguem Michael em Speed Demon e a cena em que surge um cachorro em Leave me Alone. Além da trilha sonora composta por sucessos estrondosos de Michael Jackson, a trilha instrumental de Bruce Broughton também não faz feio, colocando um tempero nas cenas de ação. Outra surpresa é também o Moon is Walking da banda Ladysmith Black Mambazo.

Moonwalker foi carta de entrada para as crianças e adolescentes dos anos 80 e 90 ao mundo pop de Michael Jackson. Uma peça rara e obrigatória aos admiradores que hoje querem conhecer o essencial da mágica do astro.

FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: IDEM
ANO: 1988
DURAÇÃO: 95 min

DISTRIBUIDORA: Warner Brothers
GÊNERO: MUSICAL/ AVENTURA
DIREÇÃO:
Jerry Kramer, Colin Chilvers
Elenco:
Michael Jackson, Sean Lennon, Kellie Parker, Brandon Adams e Joe Pesci
Sipnose:
Um herói extraterrestre vem à Terra para salvar três crianças e combater um tecnológico vilão do narcotráfico, Mr. Big, e seu exército.

EXTRAS



Moonwalker - Trailer


Ghosts
(1996)

Filme dirigido pelo Oscarizado Stanley Winskon, produtor de Aliens O Resgate (Efeitos Visuais), tendo trabalhado também com Tim Burton em Batman O Retorno - nomeado ao Oscar por Efeitos Especiais. Ghosts foi escrito por Sthepen King e Michael Jackson. Entrou para o Guisness Book como o videoclipe mais longo do mundo, com 45 minutos. venedor do prêmio especial do Júri em Cannes.

Parte 1/4

Parte 2/4

Parte 3/4


Parte 4/4



I'll Be There - Pepsi (1992)
Famoso Comercial da Pepsi de 1992 com a música I ll Be There. Versão Original.

BAD - Comercial da Pepsi (1988)

Mini-série de Aventura da Pepsi dividida em quatro epsódios: The Chase, The Chopper, The Museum e The Finale. Conta com uma versão diferente da música BAD, tendo o trecho is cool no lugar de Who is Bad?.






Moonwalker em DVD

De olho no lucro que a tragédia trouxe, a Warner só resolveu lançar o DVD Nacional de Moonwalker nas lojas Brasileiras em 16 de julho de 2009. Francamente, Warner. Uma falta de respeito com consumidores que esperaram tanto.
Acompanhe Também Sessão Crítica: Michael Jackson 's This Is It

1 Hit Combo :

Bleffe disse...

Brasil vai jogar...que legaaaal!!

Mas, vamos voltar à realidade?

Entenda porque...Ouça e baixe GRÁTIS "Nas Ruas", mais uma música do Bleffe.

Saiba como clicando AQUI

Aproveite a passagem pra navegar e comentar no nosso Blog. Valeeeu!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...