Em Destaque

sábado, 1 de maio de 2010

Dedo no Joystick: Crash Bandicoot 3: Warped

Crash Bandicoot 3: Warped
Crash Bandicoot, uma das séries mais famosas e aclamadas da era PS1, suas principais características eram a aventura em estilo plataforma com toques de humor. Logo, conquistou o público com seu charme e carisma inconfundíveis
Crash Bandicoot 3: Warped, representou o ápice de seu sucesso e esplendor, uma aventura ímpar e memorável, um verdadeiro clássico da época.
A história em si não é um espetáculo, é até bem fraquinha: após os eventos de Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back, os cristais e gemas (fontes de grande poder) se perderam em diferentes locais do tempo. Sua missão é recolhê-los antes que tais fontes de poder caiam em mãos erradas - leia-se Dr N. Cortex, junto com o recém despertado UKA UKA, uma máscara que representa as forças do mal, é irmão de AKU AKU, a máscara do bem. -

Warp Room: Aqui estão as fases, aqui se viaja no tempo
O jogo começa, e você é apresentado à Warp Room, um local separado por cinco mundos (e um sexto, secreto, no subterrâneo), cada mundo tem cinco fases, cada fase tem um cristal, uma ou mais gemas e uma relíquia. Seu primeiro alvo são os cristais, é necessário coletar o cristal de cada uma das fases para que o chefe do mundo fique disponível para uma luta, se vencer, o próximo mundo é destravado, junto com um novo poder, e assim por diante.
As fases não precisam ser cumpridas necessariamente na ordem, pode-se optar na ordem que quiser cumpri-las. Elas são muito variadas entre si, seja em ambientação, estilo ou modalidade. As mais comuns são aquelas a pé, com Crash, mas ainda existem estágios de corrida de motos, montadas em dinossauros, no fundo do mar, e novidade: é possível controlar a irmã de Crash, Coco, em fases a bordo de um tigre, um jet ski, até uma nave espacial na batalha contra o quarto mestre ( a mais emocionante do jogo), os dois também possuem estágios pilotando aviões. Falando em ambientação, - levando em consideração o tema "viajem no tempo" - , é possível passear por lugares com temas medievais, pré-históricos, egípcios, futuristas, com um pézinho na época dos piratas, e em partes na China e Arábia.
Fase com tema medieval, lindos gráficos
Conforme a aventura avança, novos desafios lhe são apresentados, (ora nos estágios normais ou bônus), é aí que o sistema de evolução entra, a cada mestre derrotado, um novo poder lhe é acrescentado, que pode ser usado para enfrentar desafios passados e futuros. Este jogo é cheio de segredos, o uso sábio dos poderes é a chave do sucesso.
Este game abrange jogadores de todas as idades, os mais novos são atraídos pelas cores fortes, tema alegre e humor. Os marmanjos se atraem pela quantidade de desafios e segredos. Lembra-se das gemas e relíquias? Pensa que é fácil obtê-las? Não é não! Eis o motivo: existe uma certa quantia de caixas destribuídas por cada estágio, se conseguir terminá-lo com todas as caixas destruídas, a gema é sua, entretando, existem fases com mais de uma gema, elas estão por lá escondidas, cabe a você achá-la. Já as relíquias são ganhas por intermédio de desafios de tempo em cada cenário. A cada grupo de cinco relíquias coletadas, uma nova fase no mundo subterrâneo é destravada, são cinco ao total a serem destravadas, e em cada uma delas, mais gemas e relíquias para serem coletadas. Somente coletando todos os cristais, gemas, relíquias e derrotando o último chefe pela segunda vez é possível assistir ao verdadeiro final. Vai encarar?


A batalha mais emocionante do jogo, ela rende o melhor poder também
Como foi dito anteriormente, este é o ápice da série, parece que a qualidade dos jogos seguintes foi caindo, coisas demais foram feitas, bagunçaram tudo, sua essência foi perdida. Esta jóia rara que foi apresentada, é (na minha humilde opinião), o melhor jogo de Crash já feito, pode-se perceber o potencial do PS1 sendo usado com vigor, gráficos deslumbrantes - em especial o brilho das jóias - ,uma trilha sonora inesquecível, e para fechar o pacote, humor e carisma, criando uma redoma convidativa, confortável para o jogar.
O melhor poder do game: uma bazuca com munição infinita
Aproveite bem, este é um clássico, e deve ser apreciado, pouco a pouco, para que o máximo dele possa ser extraído.
Ponto forte: Uma aventura memorável, com bons controles, gráficos e som
Ponto fraco: Ainda não achei
Nota do Léo: 9,0
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...