Em Destaque

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

[Papo-Cabeça] Menat - A Bonitinha mais Ordinária



Atendendo as previsões, certamente, Menat foi a mais aguardada a ser lançada nesta segunda temporada de Street Fighter V desde o seu surgimento no final do também novato Ed. Assim como o jovem comandante das forças da Shadaloo, discípulo de Balrog e sucessor espiritual de Bison, Menat vem como uma certa sucessora de uma personagem até então veterana e querida na série, Rose.
Aparentemente, Menat e Ed parecem ter uma aproximação mais amigável do que Rose e Bison.
A apresentação de Menat na chamada supriu as necessidades de quem a estava aguardando e foi além do esperado. Ganhou bastante destaque nas divulgações e até mesmo um trailer dublado e legendado em português pela Capcom. Certamente, houve um grande investimento na nova personagem que teve recepção melhor que os outros 3 novos personagens até então incluídos nessa segunda safra.
Porém, há sempre aqueles que remam contra a maré da alegria e da evolução de uma série de jogos histórica, que procura explorar novas formas de jogabilidade e estilos de personagem, em troca do feijão com arroz. Ou seja, confundem sempre o novo Street Fighter com os antigos e acreditam que a franquia deve sempre manter o mesmo padrão sem sair da caixinha – com os mesmos 12 Lutadores Mundiais encontrados em trocentas versões e relançamentos e jogabilidade travada de um Champion Edition. 



Street Fighter Alpha 3 já supria toda essa necessidade, daí veio repeteco, Ultra Street Fighter IV, trazendo os mesmos sem necessidade, apesar de faltar alguns personagens importantes da série dos Guerreiros Sonhadores, felizmente incluídos em Street Fighter V com outros de Street III esquecidos no IV. Mas, infelizmente, tem gente ainda que não entendeu que o foco de Street Fighter V não é a nostalgia como Street IV e sim amparar arestas a fim de trazer o Street Fighter de raíz que a Capcom sempre quis mostrar desde o seu grande sucesso, The World Warrior.

Enquanto Street IV buscava trazer aquilo que veio a se tornar popular entre os fãs, os combos, Street V explora muito mais o jogo técnico – que acabou sendo esquecido em troca de um show de combos e cancelamentos ultra complexos. Bonito de se ver, feio de se executar.


Quando lançaram Laura, pediam Blanka. E agora, quando lançam Menat, pedem Rose. Felizmente, uma minoria que só vem para fazer barulho e que não dá lucro e nem progresso para o jogo. A Capcom sabe o caminho certo para seguir com o seu carro chefe sem ter que seguir estereótipos só pra agradar velho birrento e barraqueiro.  Esse é também o pensamento daqueles poucos que ainda não saíram dos 8 anos de Street Fighter IV e não aceitam adaptação.
Mais uma vez, Capcom está de parabéns por acreditar que Street Fighter V pode ser um novo Street Fighter III – tentando fugir a sombra do sucesso a fim de buscar novos horizontes independente de um público casual mas de um público competitivo (que é a sua raíz), este é o espírito que a Capcom só pode ter ideia quando veio o grande viral do vídeo de 2004, o famoso trecho do confronto entre Daigo e Justin Wong, quando então Daigo realiza aquilo que parecia impossível: virar friamente uma partida com todos os melhores recursos do jogo,  que também incluía elementos importantes guardados para serem utilizados no momento certo até então.



Diferente da beleza exótica que Menat exibiu no trailer, o que ela tem de bonitinha, ela tem de ordinária.  O capricho técnico foi grande na personagem. Fui testá-la sem olhar para as análises na internet e senti grande dificuldade de adaptação – bem maior do que Kolin quando saiu.
O engraçado é que quando fui abrir a internet para ver as análises dos jogadores profissionais, eles seguiram com a mesma opinião. Então, me senti mais tranquilo. Infelizmente quando você tem uma experiência diferente da maioria, você é condenado na internet.
Ao menos nesse ponto, sinto um alívio por saber que a Capcom fez uma coisa justa – criar uma personagem que tenha o mesmo peso de adaptação para todos e não só mais pra um e menos para outro.
Curiosamente, Menat é discípula de Rose na história mas na prática ela é bem parecida com Dhalsim – sua melhor performance é quando se tem controle de espaço.
O controle de espaço é um dos principais desafios nos jogos de luta – já que tudo gira em torno de comparações a um jogo de xadrez. O mal posicionamento causa derrota certa em Street Fighter V, devido aos recursos simplificados pela acessibilidade.

É importante lembrar também que a acessibilidade não cria limitações no jogo e sim os seus poucos recursos – como sendo um jogo que vai permanecer se desenvolvendo. 
Street Fighter V surgiu como um esqueleto desde as suas primeiras divulgações oficiais, justamente pelo intuito de ser um reinício para a série e para seguir crescendo a fim de unificar uma comunidade. Sendo assim, todos podem participar com a máxima experiência – nenhum a mais e nenhum a menos – e ainda facilita a construção de ensinamento aos novatos.




Com as constantes variações, descobertas e notas de balanceamento,  o que parecia simples, hoje é bem complicado no jogo. A complexidade está em como manter um personagem que aparentemente não possui recursos para determinadas ofensivas.
Menat já surgiu com esse aparente defeito de fábrica sendo uma personagem bastante frágil contra pressões. Porém, mal se passou um dia e já descobriram combos com uma quantidade inúmera de acertos graças a sua técnica V-Trigger aonde ela é revestida por esferas que também pode protegê-la, de alguma forma, das investidas dos projéteis, fora o V-Skill que reflete os normais. Menat é tão ofensiva quanto a sua mestra, Rose, mas aparentemente tão técnica quanto.
A novata do Street V desafia as leis dos durões que querem menosprezar o jogo a todo custo por considera-lo fácil, é a prova viva (ou pixelada) que de fácil ela não tem nada, mas mantendo a tendência da acessibilidade ao equilibrar o nível de dificuldade na execução comandos e se tornando um mistério a ser explorado para todos os tipos de jogadores.

Com uma quantidade absurda de combos, Menat entra pra lista daquelas personagens da série que mais parece ter saído da série Marvel v.s. Capcom.

V-Trigger: Como Funcionam as Esferas

Com os botões de soco, é possível direcionar as esferas da esquerda. Em ordem crescente, contando de cima para baixo, o fraco lança a primeira esfera, o médio a segunda e o forte a terceira. Com os botões de chute, as esferas da direita se movem no mesmo procedimento de acordo com a intensidade de botões.  

É possível controlar o tempo em que estas esferas podem ser lançadas segurando os botões respectivos e logo após soltando. Percebe-se que as esferas são lançadas após soltar os determinados botões. Pode ser um por vez ou todos ao mesmo tempo. Pressionando todos em pé e soltando-os, Menat automaticamente faz a animação de provocação enquanto elas são lançadas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...