Em Destaque

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

[1 Ano de Street Fighter V - Parte I] Geek & Game Rio Festival 2017 e o QUASE 'COMEBACK'


Na falta de um campeonato de Street Fighter V na área de Esports, felizmente houve um espaço para emocionantes partidas de rei da mesa – pra compensar – com apoio da Universidade Veiga de Almeida. Eu acabei me tornando um dos destaques do evento.


Devido a Comics Party da Quinta – Feira, acabei chegando só na tarde de Sexta. No sábado, foi pior, com a falta de descanso,  tive um descuido de horário e cheguei quase no fim do evento (assim como o Anderson “Deco” na Sexta) – eram praticamente umas 18:45 e já tinham pessoas indo embora. No Domingo, deu pra chegar no dia mais cedo dos três (às 12:00). 

Domingo, assim como a maioria dos eventos do universo da cultura pop, foi um dos melhores dias do evento – junto ao Sábado (com o campeonato feminino de CS:GO* ). O stand da UVA trouxe um evento especial para partidas de Street Fighter V. Eu estava realizando as gravações para compartilhar nas redes sociais mas enquanto em gravava o vídeo, as chamadas da apresentadora me atiçava cada vez mais “-BATALHA DE STREET FIGHTER ROLANDO. VAMOS CHEGANDO, GENTE!” e não fazia nem meio minuto: “-BATALHA DE STREET FIGHTER AQUI NA UVA. VEM, GENTE!”. E eu, como tenho me dedicado ao Street Fighter V, não perdi a oportunidade e fui lá.

Assim que cheguei ao evento, passei pelo stand e tinha um jogador de Karin logo pelo início da tarde. Assim que ele se levantou da disputa, me cumprimentou – erar um amigo do Museu do Videogame Itinerante que me reconheceu (eu havia sugerido a ele a Sala Street Fighter V). “-Mostra pra eles como se joga com a Karin!” ele disse. Então fui lá e fiz as honras do amigo.

Para cativar os novatos, os leigos e os visitantes que vem com os familiares, a apresentadora buscou trazer todo mundo com a sua simpatia e falas convidativas: “-Você também pode jogar. Todo mundo pode jogar. Eu também já joguei! ” buscando trazer também o público pouco habituado com jogos.
Quando eu comecei a me destacar no número de vitórias, a apresentadora então descreveu: “-Olha, tem um cara que já tá aqui há 1 hora. Não perde por nadaa!”; “- Deixa eu falar com ele aqui. “ daí ela veio. 
Num todo, foi um ótimo momento – ouvir a galera ovacionando e a apresentadora sempre falando o meu nome e dizendo desde que não aguentava mais olhar pra minha cara a dizer que é minha fã.  Além de criar hastag #TiremoArildoDaqui mas ela também procurava se manter motivando os novatos e buscando valorizar as diversidades no evento, chamando cosplayers – criando trocadilhos, de acordo com as vestimentas, com jogar partidas no Street Fighter.


Num determinado momento, começaram a aparecer apenas crianças pra jogar – o que me deixou bastante incomodado (já que é desleal o nível de experiência) – daí fiquei, no fundo no fundo, aguardando por um intervalo para que eles pudessem criar partidas apenas entre crianças - por um lado, poderia também constituir discriminação com a separação (se caso eu fosse um adulto que não conhecesse o jogo)  mas, por outro lado, ganhei alguns discípulos mirins.

Posteriormente, houve uma separação (quando começaram a render prêmios) para não criar uma certa “covardia” entre jogadores novatos e experientes. Houveram rápidas disputas entre cosplayers, mirins e femininas.
Jogando várias partidas por um período de quase 2 horas, o stand decidiu realizar premiações e ganhei um fone de ouvido. Outra oportunidade é que a UVA ainda sugeriu a distribuição de um curso online de inglês grátis por 1 ano para quem passasse os desafios lançados pela apresentadora – desde o rei da mesa a melhor de 3 e melhor de 5. Eu acabei me tornando o piloto do stand, quem me ganhasse, ganharia um fone de ouvido.

Fiz 27 vitórias cuja invencibilidade foi retirada  pelo jogador Marco. Ganhei um segundo fone de ouvido (pela honra ao mérito) – totalizando mais de R$ 200,00 em prêmios. Posteriormente, um dos presentes no stand me disse que ele era um colaborador da Capcom. Depois da partida, saí do stand para colocar os arquivos em dia na sala de imprensa e reencontrar os amigos Jaime e  para uma gravação. Passando por perto do stand, depois de algumas horas, um mutirão estava por ali assistindo como se fosse final de campeonato. A apresentadora me localizou, eu acenei e ela avisou que havia um outro recordista no stand, com aproximadamente 17 vitórias  e então ela me chamou para uma partida com o mais novo rei da mesa. Eu deixei a minha bolsa com o André Macedo (da GameBlast).  Já no sentado no stand, Jaime avisou aonde o André colocou a minha bolsa – olhei ao fundo e ambos foram direto ao trabalho fazendo uma linda e minuciosa cobertura do momento com vídeos e fotos.
A partida reuniu uma multidão no stand e a apresentadora disse que estava nervosa. Quem ganhasse a partida ganharia 1 ano de curso online de inglês grátis pela Universidade Veiga de Almeida. A apresentadora assistia, ao lado, guinchando os dentes, enquanto segurava o microfone. No final, por um triz, não virei a luta e levei a galera a loucura. O “comeback” histórico não aconteceu porque eu sempre bato na praia.  A apresentadora, admirada pelo meu desempenho, olhou pra mim com emoção e disse que eu também ganharia o curso grátis.

Naquele momento, de concentração nas partidas, segurei as risadas de alegria mas hoje eu guardo essas memórias com muito carinho daquele fim de semana.


MOMENTOS COM CRIADORES DE CONTEÚDO E ARTISTAS FAMOSOS 

David Lloyd - Finalmente, tive a oportunidade de conversar com um autor de quadrinhos pela primeira vez. E o mais legal disso é que ele é estrangeiro – raramente tenho a oportunidade de encontrar e conhecer artistas estrangeiros. David Lloyd é inglês. Ouvir o meu nome, com vigor (“Aaarildo!”) no seu elegante sotaque inglês, não tem preço.  

Jaime (no meio) e Deco (à direita) – Deco chegou de surpresa vestindo uma camisa do Hul..quer dizer, Blanka (e eu confundi como  Hulk). Deco é o meu parceiro do streetfighter.com.br e o melhor de tudo: um grande irmão desde os tempos de Orkut.









Victor Miller - criador do maior site de Sonic do Brasil (Portal Sonic), tem voz de radialista, é jornalista, modelo e sósia do Matheus Solano nas horas vagas (essa última não é brincadeira).














André Macedo (NintendoBlast / GameBlast) e Jaime Ninice, parceiro carioca da Warpzone.










Barbara Nerd – ex-atriz de filmes adultos é agora uma blogueira dedicada à sua raiz: os games. Gravou um vídeo para o Santuário.













Miriam Oliveira (à esquerda, ao fundo) – Cosplayer e modelo fotográfica.
















Fernanda Araújo – Surpreendeu como uma das melhores cosplayers do evento (ou se não a melhor). Representou a personagem Lilith.














MEMÓRIA PÓS-EVENTO

Nos meus momentos finais no stand da UVA, após o novo recordista levar a partida, a apresentadora pediu pra que eu ficasse (“- Fica pra revanche”). O novo recordista decidiu sair pra um passeio com a esposa e eu o substituí para defender os prêmios. Um participante veio com uma fala ” meio de bandido”: “-Me deixa ganhar, preciso deum fone, qual é ?!”.  Um colaborador então interveio: “-Ele é o nosso defensor de fone!”. Apesar dessa tentativa de intimidação, o garoto parece ser novato no jogo e me pediu dicas – assim como outros jogadores. Tive um prazer imenso em atender. Felizmente, o jogador fominha perdeu pra um outro jogador (se não eu ia ter peso na consciência de jogar contra ele).

O apoio disse que eu poderia ficar jogando até aonde aguentasse. Como eu tinha gravações programadas para o Street Fighter Web Site e Warpzone, eu decidi sair do stand pela segunda vez e dizer a apresentadora que voltaria mais tarde. E ela: “-Tudo bem!” mas senti que ela ficou um pouco triste.  Ainda não descobri o nome dela, mas gostaria de voltar a contatá-la para algum projeto futuro. Ela teve um carisma materno, de acolher carinhosamente os visitantes do stand de uma forma indescritível. 

A última vez que estive no stand era um período de 17:00 (quando fui chamado para a partida contra o novo rei da mesa) e fiquei até umas 18:00. A minha primeira participação foi entre 12:00 e 14:00.

A coincidência é que, tanto o colaborador da Capcom quanto o novo recordista, ambos eram jogadores de Ryu – um personagem que vem intimidado muito a minha Karin e a minha Kolin.

Durante o final do campeonato feminino de CS: GO, saí da máquina (Ehrgeiz) da arena de Flipers e corri pra gravar mas nesse momento aconteceu um acidente: perdi um Bilhete Único com R$ 48,00 – valor que iria me garantir para outras viagens sem gastar muito por algum tempo. Infelizmente, ele se perdeu devido o bolso que agarrava o cartão junto a outros aparelhos sempre que eu retirava do bolso, eu o via vir junto. Resultado: nunca mais confio em bolso (agora é definitivo).



O OUTRO REI DA MESA

No dia 9 de Agosto, precisamente à noite, estava observando as fotos do último Fight in Rio e eis que um rosto não me parecia estranho. Fui associar com o rosto do Outro Rei da Mesa da GGRF 2017 e então me surpreendi.
 
Aquele que eu estava jogando era ninguém mais e ninguém menos do que o lendário Café com Leite, apontado como o melhor Kyo dentre um dos jogadores tops do cenário carioca de The King of Fighters 2002 por ninguém mais e ninguém menos do que Kododis – o principal nome importante e bem veterano dessa comunidade dedicada ao jogo. Segundo Kododis, Daniel ou melhor dizendo: Café com Leite, era o Gamefaqs em pessoa (o site é uma verdadeira enciclopédia com dicas de jogos desde os primórdios da internet) – tendo inclusive dominado os famosos parrys do Daigo sobre o Super Art II da Chun-li. O cara já tinha um certo domínio com jogos de luta – assim como muitos dessa comunidade de fóruns que frequento desde muito tempo.

Mestre Ryu na Geek & Game Rio Festival 2017 jogando Street Fighter V e Tekken 7


AGRADECIMENTOS (MUITO) ESPECIAIS

EQUIPE GAME BLAST (AOS AMIGOS ANDRÉ MACEDO E JAIME NINICE) PELA GRAVAÇÃO DOS VÍDEOS



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...