Em Destaque

domingo, 19 de agosto de 2012

[Sessão Crítica] O Vingador do Futuro - O Que É Real? (Total Recall, Dir. Len Wiseman, 2012, E.U.A.)

NESTA POSTAGEM
SESSÃO CRÍTICA
O VINGADOR DO FUTURO (2012)

EXTRAS 
ARTES OFICIAIS
FICHA TÉCNICA



SESSÃO CRÍTICA
O VINGADOR DO FUTURO (2012)


PASSADO REIMAGINADO
mais socos e tiros marcam essa nova roupagem de um clássico moderno

Estreou nesta última Sexta, O Vingador do Futuro, do diretor Len Wiseman (Duro de Matar 4.0 e Anjos da Noite 2). Inspirado no pequeno conto de Philip K. Dick (We Can Remember It for You Wholesale) e refilmagem da cultuada adaptação de 1990 dirigida por Paul Verhoeven (Robocop: O Policial do Futuro). 

Pelos anos mais recentes, sofremos um empobrecimendo do gênero Ficção Científica entre os filmes Hollywoodianos. Tanto de criatividade quanto artística. Fora isso, há poucos títulos a se destacar, como: Filhos da Esperança (2006) e Distrito 9 (2010). 

 O interessante desta nova versão, é rebuscar todo o ambiente Cyberpunk: carros voadores; o visual noir; e as tonalidades alternadas entre preto e branco dos ambientes militares e de soldados robôs - no melhor estilo Guerra Nas Estrelas (hoje conhecemos melhor pelo seu título original, Star Wars)
São alguns exemplos o qual me trouxe de volta aquela nostálgia com o clima dos anos 70, 80 e 90. Épocas o qual o gênero ganhou uma tonalidade devidamente atualizada em comparação a outras décadas o qual foram marcadas por filmes de temática mais política do que visual. 

Por vir de uma mesma raíz, logo podemos comparar as influências visuais desta versão com Blade Runner: O Caçador de Andróides (1982) ou até mesmo Minority Report: A Nova Lei (2001) ambos inspirados em obras escritas pelo próprio K. Dick.  

Colin Farell (também conhecido como um ator faz-tudo) encarna essa nova roupagem do protagonista Douglas Quaid - papel de Arnold Schwarzenegger na primeira versão - um operário de fábricas militares. Sente uma certa frustração de seu trabalho e decide investir em novos lares. E a companhia Rekall entra como uma alternativa em sua monótona vida. 
Indo de encontro a este lugar proibido algumas verdades de sua vida começam a vir à tona. Ao ser confundido com um agente secreto, passa a ser perseguido e descobre que sua memória foi trocada. 

Durante a revelação, e a invasão dos soldados, testemunhamos uma bela e agitada cena com movimentos de tela parada entre as cenas de ação. É quando Quaid mostra as suas habilidades para se livrar de seus perseguidores - momento meio Jason Bourne.  Derrepente, vemos a sua disfarçada vida de simples operário sendo deixada para trás e a aventura começa. 

A premissa quase chegou a me lembrar O Show de Truman: O Show da Vida (1998) por um momento. Quando o suposto herói descobre que boa parte de sua vida era uma farsa - é aí que realidade e mentira se misturam na mente de Quaid. 

Lori (Kate Beckinsale) e Jessica Biel (Melina) respectivamente 

E Farell (ou Quaid) nunca se deu tão bem. Se envolve com duas beldades em lados opostos:  Kate Beckinsale (já conhecida de Wiseman desde Anjos da Noite) é Lori - bela e mortal - e Jessica Biel interpreta Melina - o qual tem um passado em comum com Quaid. 

Melina (Rachel Ticotin) e Lori (Sharon Stone) na versão original.

A trama é sem complexidade. Entrega na mão do público pipocão do gênero tudo o que eles precisam: ação a rodo (quase interrupta); desenvolvimento clichê e previsível a maior parte do tempo (favorecendo os mocinhos. Mas os vilões dão um certo trabalho, escapando por um triz durante aquelas situações apertadíssimas. Mantendo o interesse no desafio proporcionado aos heróis). 

O destaque vai para a fotografia (muita vezes fazendo a alusão de um sonho ao expectador) e na arte de muitas peças conceituais que costroem o ambiente deste lar futurista (os helicópteros e a cidade, com cara de suburbio, numa visão pessimista aonde tudo veio a se tornar uma favela).

Apesar de ser extremamente contra refilmar clássicos já estabelecidos ou cultuados pelo público (como esse por exemplo), esta nova versão garante diversão por um bom tempo. Só não espere coisas revolucionárias, apenas sente e se divirta.

Uma vez Wiseman revelou ter filmado Duro de Matar no seu quintal de casa. Quando dirigiu um filme da franquia, de verdade, acabou resultando em algo tão divertido quanto suas continuações. O mesmo poderia se dizer sobre essa refilmagem.

O Vingador do Futuro de Wiseman é uma brincadeira de refilmar no quintal (com toda a tecnologia moderna) o clássico de  Verhoeven - levando em consideração todas as referências e comparações a outros filmes do gênero.

Se a obra tivesse um outro nome ou fosse aproveitado para se tornar um outro projeto, de conceito mais próprio, talvez garantisse muito mais atenção. 

ARTES OFICIAIS






FICHA TÉCNICA 
Título Original: Total Recall
Sessão Acompanhada: UCI Norte Shopping - 19:30 - 18/08/2012 - Sábado
Artigo: Mestre Ryu (2012)
Gênero: Ação
Duração: 118 Minutos
Sinopse Oficial: Bem-vindo à Rekall companhia que pode transformar seus sonhos em memórias reais. Para um operário de fábrica como Douglas Quaid embora tenha uma bela esposa Lori que ama a viagem pela mente soa como as férias perfeitas de sua rotina frustrante: memórias reais de uma vida como espião podem ser exatamente o que ele precisa. Mas quando a operação dá errado Quaid se torna um homem caçado.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...