Em Destaque

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

[Dedo no Joystick] Duck Tales


Clássico absoluto, Duck Tales é fruto da época dourada da Capcom. Da mesma época de Mega Man, ele pega emprestado elementos de seu amigo robô azul e consegue, assim como ele, fazer sucesso. Acompanhemos.



Rola até uma visitinha no Brasil

Como todo bom capitalista, Tio Patinhas está sempre em busca de aumentar seu poder financeiro. Em Duck Tales não é diferente. Ele sai ao redor do mundo e fora dele em busca de tesouros raros para cumprir tal tarefa, passando pela África, Amazônia, Himalaia, Transilvânia e até a Lua!
As fases não são lineares e podem ser jogadas na ordem que desejar. O visual é bastante bonito e variado, apresentando cores vivas e boas animações. No final de cada estágio, deve-se enfrentar um chefe para que se possa obter o tão almejado tesouro. Tudo isso lembra muito à Mega Man.


Aranhas no gelo?

O game apresenta uma boa física. Andar, pular, colidir são ações bem executadas. Ou seja, se você cair e/ou morrer, a culpa NÃO é do controle.
Uma mecânica legal do jogo é o deslocamento por saltos que pode ser executado com a bengala. Isso torna o ato de se deslocar mais fluido e dinâmico. Seu único defeito é a necessidade de pressionar o botão “B” para cada quicada. Cansa.


Como exatamente ela chegou aqui?

Assim como em Mega Man, há dois itens secretos para se coletar, um na África e outro na Lua. Há também locais secretos nos cenários onde se pode coletar itens valiosos.
Ocasionalmente, alguns personagens podem aparecer para lhe oferecer auxílios, como indicações de localidades secretas, fuga da fase, e até um upgrade de vida.
Há também mais de um final. Um consiste em coletar tudo e conseguir uma boa soma em dinheiro, outro, em ficar com nenhum dinheiro. Isso pode dar aos jogadores mais hardcore mais motivos para jogá-lo novamente em busca dos finais.


The Dark SIde of the Moon ou corrida especial?

No final das contas, Duck Tales não é tão difícil quanto às aventuras do robô azul, e pode ser desfrutado pelo público que não os sentidos tão aguçados. Elevando as capacidades do NES ao máximo, este se consagrou como um dos melhores games do console de todos os tempos. E isso é perfeitamente natural.

Nome: Duck Tales
Plataformas: NES e Game Boy
Pontos Fortes: Movimentação e design das fases
Pontos Fracos: O sistema de deslocamento pela bengala é excessivamente cansativo
Nota do Léo: 8,7
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...