Vá de Sedex :: Siga pelo Email

terça-feira, 26 de novembro de 2019

[História da Televisão] Cronologia Game TV: O Antes, O Depois e Os Bastidores

As alegrias e tristezas do primeiro grande "Programa de Games mais Radical da Televisão" 
- Revista VideoGame.

O DOSSIÊ BIOGRÁFICO À SEGUIR POSSUI CARÁTER ROMANCEADO 
COM  O INTUITO DE FACILITAR O ENTENDIMENTO DA OBRA


Por mais que a mente de Ricardo Yamada tenha sido criativa, nos proporcionando elementos de característica cinematográfica, visão teatral e musical, a produção trabalhava duro nos bastidores.


Para ter conhecimento de onde veio a idealização do programa, Gustavo Paraíso - O Guga - se lembra com muito carinho dos tempos em que foi nomeado piloto do programa Game TV. "- Eu era amigo do sobrinho do Diretor do programa. Éramos da mesma classe na escola, aí a molecada era vidrada nos jogos. Na época tinha o Nintendo e Master System.  E olhando a gente ele teve a ideia de fazer um programa sobre games e me convidou. Era muito bacana. " comenta Guga.

O CONVITE PARA A COBERTURA DOS JOGOS ELETRÔNICOS.. NA TV 

Voltando no tempo - encontramos o garoto Guga estudando na mesma classe do sobrinho de um certo homem chamado: Ricardo Yamada. Guga e seu sobrinho eram muito amigos - e a molecada era vidrada nos jogos, naqueles tempos de Nintendo e Master System (entre 1989 e 1991).

Olhamos aquele calendário, a Tec Toy estava para explodir com o Mega Drive no Brasil, então deveria ser no fim dos anos 80 e começo de 90. Yamada olhou aquela fascinação das crianças pelos jogos eletrônicos e decidiu ter uma ideia. Em Março de 1991, a onda das revistas de games seguia com o lançamento da revista VideoGame. Por que não levar essa ideia para a televisão? E através daquele olhar sobre as crianças,  o ambicioso empresário e também um obcecado pelo mundo dos videogames, decide criar o programa Game TV, convidando o talentoso amigo de seu sobrinho, Gustavo Paraíso - Guga - a se tornar piloto do programa.

Revista VideoGame - a novidade que virou febre no início da década de 90




Gustavo Paraíso - o pequeno fera Guga - atualmente. 




O PROGRAMA GANHA ROSTO 


No ano de 1991, a pequena Elisabeth, aos 15 anos, 
meses antes de entrar para o Game TV, em comercial das batatas Pringles. 















Em um processo seletivo com mais de 100 meninas da agência L' Equipe, Yamada então encontra uma jovem que, sem se intimidar com a câmera, se destaca pela sua relação magnética: Elisabeth de Carvalho. No auge dos seus 16 anos, a menina Elisabeth esteve à frente, como a primeira apresentadora de um programa de TV sobre videogames, terminando perto do fim de sua fase adulta, aos 18.

Elisabeth, a principal apresentadora do Game TV.  

Os telespectadores, os fãs e (até) a mídia não a associavam a uma adolescente, Elisabeth de Carvalho estava mesmo associada a uma verdadeira musa da turma doida pelos jogos eletrônicos. Elisabeth se torna então a primeira grande musa da galera do game - em melhores palavras: A Gatinha do Programa de Games mais Radical da TV. Sempre com muita classe, o encanto da diva era imediato e a conquista da audiência era crescente.

Centenas de cartas eram recebidas pelo programa, até que um dia a produção resolveu jogar todas no chão e fazer com que Elisabeth apresentasse o programa em cima delas. Eram as mais variadas perguntas - desde comida à pedidos de casamento - a fila de pretendentes era enorme para a primeira Musa dos Games da TV.



" Centenas de cartas eram recebidas pelo programa, até que um dia a produção resolveu jogar todas no chão e fazer com que Elisabeth apresentasse o programa em cima delas "

Em um determinado momento, Elisabeth conhece um fã nos elevadores da TV Gazeta que estava pronto para receber um videogame. "- Você é a Elisabeth? Nossa você é tão pequenina, pensei que você tivesse 1.80. Ele ficou um pouco decepcionado (risos). Mas para me consolar disse: - Ainda bem que você é linda como na televisão (risos)." revelava em nossa entrevista em 2011. Mas o que não imaginávamos era que este fã seria, futuramente, o cavaleiro branco do Game TV: Cassiano Bacelar.

O perfeccionismo e o comprometimento da jovem apresentadora criava uma incrível conexão emocional com os telespectadores e isso pode ser entendido pela sua entrega nos bastidores. Em torno de 8 horas, as gravações eram cansativas, o texto deveria ser decorado em 30 minutos, O diretor sabia que ela era capaz - então era persistente em sua confiança de que sua heroína iria concluir o desafio. Tanto Elisabeth quanto Yamada tinham fortes obsessões em fazer o programa se tornar o melhor possível. " - O diretor era obcecado por isso por que sabia que eu podia decorar. Então eu passava 8 horas por dia vendo jogos, entendendo jogos, entendendo as músicas, ouvindo as músicas. Mas eu sou muito obcecada e perfeccionista quando eu faço alguma coisa. " descreve.

O texto precisava ser decorado 30 minutos antes do programa começar (ainda que ele seja gravado). Mas o diretor confiava em seu perfeccionismo. 

Em torno de 8 horas, Elisabeth deveria assistir ao pequeno Guga, jogar, aprender os jogos e decorar o texto; fora as aulas e os deveres de casa e a prova da semana seguinte (rotinas comuns de todo estudante). Elisabeth estava pronta para vencer o leão de pixels e avançar mais uma fase, mais um dia. Elisabeth era apenas uma adolescente, mas estava à frente do seu tempo.

O amor de Elisabeth não se resumia à tela. A gatinha sempre sentia curiosidade em olhar as cartinhas a serem sorteadas 

A conexão emocional não se resumia apenas em tela. Como um sentimento nobre e sincero - de coração inocente e curioso - ao fim do programa, como uma boa gatinha curiosa, tentava encontrar aquele jeitinho de fuçar  as cartinhas dos fãs, mas logo era surpreendida pelo diretor "- Elisabeth Não Pode! " se as cartas fossem abertas, elas perderiam a reação de surpresa se sorteadas no programa. Porém, com certa esperteza, a amável apresentadora conseguia fuçar as que já estavam quase abertas. " - As cartas que estavam abertas, eu lia, depois colava e as colocava de volta. Eu não aguentava ! " relembra a musa pioneira com muita graça. " - Mas as que já estavam coladas eu não podia, não tinha jeito. Não podia mesmo, né. " completa.

" - Mas eu gostava muito de ver (as cartas), sabe, eu achava muito incrível "

Nota divertida: Portanto, se a sua cartinha não foi sorteada no programa, pode ter grande certeza que ela foi, em algum momento, lida com todo o sorriso mágico da Elisabeth. Imagine que conquistamos uma ícone da televisão que amamos sem termos certeza disso? É um dia ganho. 

" - Eu não vou decepcionar os meus fãs, eu não vou namorar. "

O gesto de Elisabeth em se importar com seus fãs ia além do que eles imaginavam - estava dentro de seu coração. Mas, o diretor bem que frisou: " - Elisabeth, você não pode namorar. Se você namorar..vai decepcionar os seus fãs ". Conversando com sua mãe, Elisabeth viu que namorar não seria uma boa ideia - haviam cerca de 100 fãs apaixonados com pedidos de namoro por carta todos os dias no estúdio, realmente não seria justo a (simpática) musa dos games namorar. De coração aberto, a jovem gamemaníaca só poderia estar casada com o Game TV, somente. Era uma condição engraçada - a própria Elisabeth lembra as situações de uma maneira extremamente descontraída.

" - Aí eu jogava as cartas e as que caíam na minha mão, era a que voava. Mas tinham, por exemplo, alguns fãs que escreviam muitas. Umas 100 cartas. Então, realmente, eles eram sorteados. "

Olhamos para a televisão, nos comerciais, surgia aquelas campanhas de injeção na televisão, para Elisabeth, nem pensar. Uma certa vez, em uma reunião casual da equipe na casa do diretor, Elisabeth estava tossindo. Ricardo Yamada, assumindo ali o papel de "amigo pai coruja", percebeu e disse: "-Menina, você tem que tomar injeção."   Ao ouvir aquilo, a jovem ficou aterrorizada: *imagina Elisabeth sendo pega pelo braço e sendo levada para tomar injeção em pixels*

Se tem alguma coisa mais terrível para a vida de Elisabeth é injeção: "-Eu tenho horror à injeção" ela disse. Yamada, logo intimidou. "- Mas se não tomar injeção, não pode apresentar o programa."  Elisabeth: "- Não tem que não. Pra ser apresentadora, eu tenho que trabalhar a minha voz, o meu corpo, decorar o texto e amar o meu público. " o diretor para e reconsidera: "-Hum! Tudo bem! "
Feijão entra em cena: "-Meu, ela não é obrigada a tomar injeção. Se continuar falando que ela tem que tomar injeção, eu vou ligar para os pais dela. " o diretor, então, decide fechar a claquete em definitivo. " - Ok! Vocês venceram. "

Sempre transparente e muito humana, Elisabeth jamais criou uma personagem em frente à televisão - quanto mais eu conversava com a apresentadora, mais eu a entendia.

" - Um Super Mega Beijo também para a Dona Irene, que está dando uma super força para nós " Dizia Elisabeth ao fim de mais um programa. Em mais uma reunião, Elisabeth (a apresentadora), Ricardo Yamada (o diretor) e Guga (o piloto) estão jogando videogame cercando a sala - e a equipe circulando no meio da festa - enquanto Dona Irene (mãe do diretor), sempre presente, entregava os deliciosos bolinhos e os chás da tarde.

Nas memórias deste autor que escreve: Quem aí não se recorda dos tempos de infância com videogames e chás da tarde? Eu, por exemplo: pizzas e os deliciosos sucos de limão da minha abençoada mãe sempre inesquecíveis daquelas tardes e noites de sábado de 1993 jogando Sonic 2 ao lado da irmã (até por que as manhãs de Sábado eram sagradas, era hora de assistir mais um Game TV).


Elisabeth chegou a aparecer na Revista VideoGame 

VIDEOGAME NA Tv
No mês de setembro, os fãs da VIDEOGAME mais atentos, puderam conhecer um pouquinho mais a galera que faz a revista. A redação foi invadida pela produção do programa GAME TV (CNT/ Gazeta), todo sábado, das 14:00 às 14:30 hs. e ninguém escapou do microfone da (simpática) apresentadora Elizabeth de Carvalho. Elizabeth entrevistou pilotos, colaboradores e redatores, procurando mostrar como é feita a revista e por quem. Conseguiu, muito embora todos tenham ficado bastante sem graça frente à câmera. Aproveitando a ocasião, clicamos o encontro e aí está o flagra do momento em que nosso editor, Mario Fittipaldi, "laçou" a gatinha do programa de games mais radical da TV. 

Revista VideoGame número 31 - Outubro de 1993


Fato curioso: Um detalhe interessante é que, no texto da matéria, confundiram o "s" de Elisabeth com "z". Nessa época, ao olhar a matéria, não havia reconhecido a Elisabeth e eu achava que ela fosse uma VJ da MTV.

O carisma de Elisabeth chamou a atenção da Nintendo - que estava interessada em fazer um programa de TV no Brasil. Graças ao sucesso atrás de sucesso do programa, a produção e o diretor conseguiram patrocínio com a Nintendo. Como era menor de idade, a Nintendo entrou em contato com a mãe de Elisabeth. A jovem apresentadora, focada em sua ética profissional, recusou.

" - EU RECUSEI IR PARA A NINTENDO PARA CONTINUAR NO GAME TV "

Hoje em dia, é muito fácil encontrar jovens influenciadores facilmente envolvidos com oportunidades e aceitar na ação e aventura.  Mas a Elisabeth foi uma heroína comprometida com o seu casamento com o programa. Como uma marinheira determinada em sua missão, de não abandonar o seu navio e correr o risco (trair seus princípios), a jovem apresentadora - mesmo com a pouca idade - já demonstrava forte responsabilidade e sentia o peso, sempre acreditou na ética profissional e - mesmo sondada pela Nintendo - Elisabeth optou por encerrar sua carreira no mundo dos games fechando com chave de ouro a melhor fase dos games na TV.

"A Nintendo era a patrocinadora do Game TV.  Quem conseguiu o patrocínio foi o diretor e a equipe dele. Não foi, por exemplo, um convite de uma outra emissora. O que seria correto até. " palavras sábias de Elisabeth que, como uma profissional, pensou de uma forma coletiva e não de uma forma individual.

O ano era 1993, o Brasil vivia o auge da crise da inflação. Hoje não é muito diferente, vivemos uma nova crise. Num país de terceiro mundo e individualista - transparecido desde as emissoras de televisão aos criadores de conteúdo das redes sociais, nada mudou.  Todo mundo sabe que a Nintendo é uma empresa historicamente top dos tops no mercado - foi a que levantou os games da crise de 83, mas sabe-se que ela, por ser muito ambiciosa, nunca jogou para perder. Eles tentaram contratar uma profissional de amor puro e se surpreenderam.
 
Por isso ainda existe fé, por que a primeira musa dos games, até os últimos minutos na televisão, expressou aquilo que ela sempre foi nos bastidores - transparentemente fiel, amável e sem máscaras. Uma estrela que realmente se importou com a gente, aqui do outro lado da telinha. E aqui, pudemos comprovar.

" Eu Escolhi ficar com o Game TV.
E eu faria a mesma coisa 100 vezes. "

Pensando no correto, no melhor para todos, Elisabeth não foi para a Nintendo e perdeu seu programa. Nunca mais veríamos novamente Elisabeth de Carvalho no mundo dos games, nunca mais outra vez. Um fim prematuro de uma bela carreira construída. A saudade e as lágrimas dos fãs ficam, sobrevoam pelo tempo. O tempo passa. 

Hoje, a menina Elisabeth agora é Liz Reis, Atriz, Produtora Executiva e Diretora de empresas de audiovisual, televisão, cinema e teatro. Formada pela USP em Artes Cênicas, Liz jamais deixou de lado o meio artístico e atua por trás da Canal Azul Filmes e LEP Filmes.

" - O Game TV foi ao ar na Gazeta, Manchete, Record e MTV no período de mais ou menos 1 ano e 6 meses. Tivemos alguns momentos fora do ar nas transições, pois era uma produção independente. A produtora tinha seus patrocinadores e comprava seus horários nas emissoras. " esclarece agora, a atriz Liz, na nossa entrevista  realizada em 7 de Dezembro de 2011.


Liz Reis atuando em peça A Pior das Intenções (assombroso)
           

Em divulgação da peça Joana D'Arc
A interessante analogia entre Joana D'Arc de Liz e a menina Elisabeth: ambas se sacrificaram
em favor de um ideal.  

Liz Reis poderia ter crescido e guardado sentimentos frustrados a ponto de querer evitar falar sobre o passado. Felizmente, sua contagiante energia e luz jamais se apagou. Por isso seu nome artístico, Liz, é tão assemelhado à luz - a menina ressurgiu como mulher. A guerreira Liz seguiu em frente e jamais traiu seus valores. É uma grande lição que esta profissional deixa para o mundo artístico e para os seus fãs.

Formada, a ex-modelo, ex-apresentadora e agora bem sucedida atriz, tendo ganhado prêmios pela sua atuação, expandiu seus empreendimentos passando a produzir documentários sobre natureza e, mais recentemente, futebol.  Além disso, Liz atuará em 4 produções cinematográficas nos próximos 2 anos (SIM! Veremos Liz como atriz muitas vezes, e no cinema). Sua mais recente atuação é em Cordialmente Deus, o qual também é produtora executiva. Em sua constante e pesada rotina de trabalho, um dos diretores (ou gerentes) da parte de marketing a reconheceu. 


 " - Esses dias eu fui numa reunião do Corinthians, né. Ele (O Diretor de Marketing) me reconheceu e não me fez mandar um SUPER MEGA BEIJO para ele ? "

A relação de Liz com o programa foi realmente profunda como a vimos na tela. 


 " - EU REALMENTE AMAVA FAZER 
O GAME TV " 


Liz, com a mesma classe da garota que conquistou a galera dos games na TV dos anos 90,  relembra sorrindo, com muita alegria e emoção, os tempos do programa e muita graciosidade ao falar do amor e devoção aos seus fãs. O legado da menina Elisabeth viverá em Liz, para sempre. 



AS NOVAS APRESENTADORAS 

Conforme os meses se passaram, no ano de 1993 - o segundo ano do programa - a própria menina Elisabeth contribuía nas escolhas das outras apresentadoras. Apesar do ciúme, divertidamente improvisado pelo diretor, a musa era confortada pelos fás: "- E as meninas eram fofas" relembra. E, cá pra nós, ao lado do diretor, Liz selecionou muito bem (mostrando aí um outro talento: liderança).

SORAYA PASTOR
Soraya parecia presença rara no programa e, por enquanto, só encontramos apenas um programa com sua participação - aonde ela dá dicas de jogos de Nintendinho. "Houve uma seleção, as apresentadoras passaram por um teste, filmagem de um piloto do programa com 30 minutos de duração. " detalhou Sora em suas memórias.

Soraya teria participado de 2 ou 3 programas do Game TV. "-Não lembro com exatidão. Afinal, foram 22 anos " comentou Sora em nossa breve conversa em 2015.

Seu cativante jeitinho de garota (meia) mimadinha parecia rivalizar com a postura boazinha de Elisabeth em trejeitos e falas divertidas: - Vocês estão achando que vamos visitar outra videolocadora? Não, agora estamos aqui no estúdio. " ; " - Você acha que só a Beth vai te dar prêmios aqui no programa ? Não, eu também quero sortear a minha cartinha. "







Anos depois, em 8 de Abril de 2015, descubro o paradeiro de Soraya Pastor. Com muita simpatia, ela agradeceu a mensagem e correspondeu:  "Olá, Arildo, obrigada pela mensagem. Incrível você ter consigo me achar. Muito legal a ideia de relembrar o programa. Minha participação foi pequena e breve porem muito divertida! "

Atualmente, ex-modelo e fora da TV por anos, Soraya Pastor nasceu de uma família de artistas e brinca que a criatividade está no DNA da família. Chegou a criar a própria linha de acessórios de moda ainda quando adolescente.

De um encanto pela arte a outra, se formou em Design de Interiores pela Panamericana - Escola de Arte e Design e mora nos Estados Unidos desde 2007 - divide sua vida entre Nova Iorque e Miami trabalhando como líder da reconhecida empresa de sua área de formação (We Bossa), a qual também foi a idealizadora. "- Miami pode ser vista como a porta de entrada para o Design Brasileiro nos EUA " palavras de Sora em notas da entrevista ao Acontece Magazine em 31 de Julho de 2018. Porém, Soraya jamais se desligou do Brasil: "-Minha vida, meus familiares, estão no Brasil !" conta em sua entrevista ao Blend World (You Tube).

Soraya Pastor em sua bio oficial
Soraya Pastor vive e trabalha em Nova Iorque há sete anos, cidade que inspira e incita sua visão artística. Sua carreira é dedicada às artes e ao design de interiores, atendendo clientes privados e trabalhando em parceria com renomados escritórios de arquitetura e design. 

Graduou-se com honras pela Escola Panamerica de Arte de São Paulo e concluiu cursos de arte no MoMA, na School of Visual Arts e na Cooper Union School em Nova Iorque.

O trabalho artístico de Soraya Pastor reflete sua paixão por fotografia, seu fascínio por textura, colagem, pintura e desenho. Sua inspiração tem raízes na natureza e nas formas orgânicas de seu país Brasil e no mundo afora por onde viaja constantemente. 


Segue algumas de suas aparições nas redes sociais e na mídia.

Soraya fala sobre Astrologia em depoimentos ao canal  Astrologar com Carmen Sampaio em 2017.

Cinco anos após o Game TV, Soraya também conta que já passou uma temporada na Inglaterra em 98 para estudar inglês. "- Na época o meu inglês era enferrujado " comenta em entrevista ao canal blend world



GISELA ESTELLA
A loirinha Gisela Estella provavelmente seja a mais nova e (também) a mais tímida das novatas. 

Mas isso não quer dizer que ele tenha se intimidado com a Super Scope 6 - o canhão do Super Nintendo.
Cortesia: Reise Durch Die Zeit (You Tube)

Gisela Estella atualmente - continua a atuar na carreira de modelo e também é atriz

As melhores informações que poderíamos ter atualmente é que Gisela continua no mundo da moda - na descrição de seu perfil nas redes sociais, estaria representando a conceituada Ford Models Brasil, tendo estudado na PUC-Campinas. E também atua como atriz em vários trabalhos facilmente encontrados pela rede. 

Do Amor, um curta estrelado pela (agora) atriz Gisela Estella.


Gisela no Instagram. O jeitinho delicado de falar é o mesmo.


ISABELLA BRANDÃO
" - Um Nintendo Abraço", "- Um Beijo ao pai Jauri", era assim que a santista Isabella Brandão, uma das apresentadoras com o maior número de participações do programa, terminava seu dia de Game TV. Assim como Liz, participava de quadros foras do estúdio - como a visita às videolocadoras. Eventualmente, usava trajes mais esportivos e chegava a dividir quadros com a principal apresentadora, Elisabeth "Liz". 

Fato Curioso: Eu tenho as minhas dúvidas, mas creio que Isabella tenha sido a primeira apresentadora que vi apresentando o programa em um dia de detonado com dicas de Fievel Goes to West e Beauty and the Beast de Super Nintendo. 

Isabella Brandão ganhou massiva popularidade após o fim da atração. No seguimento da carreira na televisão, participou de um outro programa bem popular na emissora em segundo lugar de audiência - rivalizando com a toda poderosa Rede Globo - até então. Aquela que é chamada de "A Emissora Mais Feliz do País".  

Isabella na Escolinha do Golias
Isabella foi uma das "Mudinhas" na Escolinha do Golias 

3 anos após o Game TV, Isabella Brandão retornava à TV agora como atriz atuando como uma popular figurante no programa Escolinha do Golias no SBT.

A Escolinha do Golias estreou em 11 de Julho de 1990 - mais ou menos uma versão "A Praça é Nossa" de A Escolinha do Professor Raimundo da TV Globo. Confira o trecho aonde Isabella aparece. 



Isabella Brandão participou entre as gravações de 1996 e 1997.  O assédio dos fãs era tão grande que seja em shoppings, restaurantes, bares, danceterias, supermercados e aonde Isabella passasse, era reconhecida. " Eu adorava, era um carinho gostoso " relembra em entrevista ao Edu Cesar no Papo de Bola (24 Horas). 

Entre os anos de 2007 e 2008, o programa ganha sua reprise com bons índices de audiência e, antes do Facebook, o Orkut era a rede social que estava no auge. Isabella admite que recebeu uma enxurrada de mensagens ao ter seu perfil pessoal reconhecido por fãs. Perdendo o controle das mensagens, contatos profissionais e, desesperada por não poder responder a todos, resolve apagar as mensagens e se apresentar numa comunidade de fãs do programa abrindo o tópico "Isabela da Escolinha" para promover uma comunidade que ela mesma criou "Isabela Escolinha do Golias". Na época, ela revela que iniciativa ajudou a controlar as milhares de mensagens em seu perfil, ao menos, consideravelmente*. 
*Outros detalhes sobre Isabella Brandão 
pode ser vista também neste post especial
Mensagem de Isabella Brandão no extinto Orkut (5 de Julho de 2007) para a comunidade de fãs do programa A Escolinha do Golias.

Isabella ainda comenta que Ronald Golias era um menino que a matava de rir nos bastidores. 
"-Profissional e amante da arte e do humor, que dispensa comentários ".


Nascida em Santos, Isabella só passou a morar em São Paulo em meados de 2004. Relembra também que o assédio dos amigos e dos parentes se tornava inevitável - bastou ela aparecer que os telefones não paravam de tocar,  assim que a viam subir a serra para pegar uma água do mar para sua amiga de trabalho, Consuelo Leandro: " - Meu amor, você poderia me trazer uma garrafa de água do mar? Sabe que minhas pérolas só estão lindas por causa da água que você me traz " relembrou Isabella. 

Na memória: Consuelo nasceu em 27 de maio de 1932 e faleceu em 5 de julho de 1999 (3 anos após o fim da Escolinha). Ronald Golias, também um veterano do humor Brasileiro, nasceu em 4 de maio de 1929 e faleceu em 28 de setembro de 2005 (1 ano depois, houve a reprise do programa Escolinha do Golias).


" Antes de trabalhar no SBT, fui apresentadora do "Game TV", um programa na TV Gazeta "

Isabella foi muito prestativa em sua última e rara entrevista ao site Papo de Bola (24 Horas) no ano de 2007, ao descrever em detalhes toda a sua trajetória. Ao ser questionada sobre sua profissão atual, a artista, surpreendentemente,  recorda dos tempos em que apresentou o Game TV (o nome do programa e a emissora) - antes das gravações ficarem públicas na web em 2009 - o que, possivelmente, apresente vestígios de que esta empreitada foi a sua estréia na TV e o quanto isso foi importante para a sua carreira. 

Mas, para o grande público (e não o de nicho dos games), ficou mais conhecida por sua participação no programa Escolinha do Golias. Antes de sua participação ao lado de Ronald Golias, sua estréia no SBT foram nas gravações de A Praça É Nossa (automaticamente, de um ponto ao outro nas produções de Carlos Alberto de Nóbrega). Ela representava um grupo de jovens garotas estudantes da atração do programa conhecido como "As Mudinhas". 

Posteriormente, trabalhou com seu grande amigo Celso Portioli na produção de seu CD musical. Ao iniciar seus estudos em Publicidade e Propaganda, em Santos, começou a trabalhar numa agência de Publicidade e cada vez mais se distanciava da televisão. É nessa fase que conhece o seu marido, também publicitário, e se casa. 

Isabella, atualmente, se dedica inteiramente à família - seu marido - 
e bem longe do barulho da fama

Hoje, Isabella,  está completamente fora do holofotes. Com uma vida de trabalho estressante, decidiu largar a rotina comum dos assalariados.  Porém, sua veia artística não a fez descansar. Com o apoio de seu marido cantor: "- Dono de uma voz maravilhosa " ela descreve orgulhosa, decidem compor músicas sertaneja juntos e se tornam compositores e produtores de suas canções. 


PROPAGANDAS

O programa foi também  marcado pela elegância das jovens apresentadoras - sendo elas, todas migradas diretamente de agências de moda. Nos créditos do programa, as marcas Carmin & Back Wash são destacadas. " - Tínhamos vários patrocinadores , a principal era a marca Carmim. " descreve Liz.  

CARMIN & BACK WASH


Logo da marca Carmim atualmente. 
Logo da marca Back Wash atualmente.

Curiosamente, nos créditos do programa, a marca Carmim é apresentada com "N" e "Back e Wash" apresentada como "Back Wash" (exatamente como ela é apresentada os logos atualmente) enquanto que o "e" só aparecia como logo nas camisas sorteadas (na época, possivelmente, se chamava "Back e Wash").  

 Comercial da Back Wash (2013)


OS BASTIDORES

Por trás dos bastidores, Ricardo Yamada escolhia o repertório musical e sugeria a equipe participar das escolhas. " - Um japonês super gente fina " lembrou Guga. Liz e Cassiano se distraíam brincando de jogo da velha nos bastidores, quando não estava ali ajudando na escolha durante o teste das novas apresentadoras. 


FERNANDO DOS REIS (FEIJÃO)


Fernando dos Reis (Operador de VT) e Eraldo Di Donato Neto (Câmera) trabalhavam juntos na VTCine, a empresa era a responsável por criar as fitas Masters* dos primeiros programas. Fernando era conhecido nos créditos como "Feijão" assim como também era conhecido pela equipe de produção. Ele era o responsável por levar a cópia da fita VHS às emissoras.

*As fitas Masters são também conhecidas como "Master Tape" ou "Master Recording", processos, geralmente, geridos de um armazenamento de áudio. Ou seja, é aonde são feitas a masterização para, posteriormente, sair as cópias. Esta é a conhecida Pós-Produção. O operador de VT costuma ser o operador de som.

AS GRAVAÇÕES ACONTECIAM ATÉ DE MADRUGADA. SAÍAMOS DA PAULISTA COM A RUA DESERTA "


Para que não houvesse interferência nas gravações - devido ao barulho ensurdecedor da Grande São Paulo - as gravações aconteciam até de madrugada em uma pequeníssima sala de escritório na Avenida Paulista. " - Como não tínhamos muita verba para cenografia, resolvemos colar os cartazes na parede para fazer fundo. " comentou Fernando Reis (O Feijão). 

" PRODUÇÃO INDEPENDENTE
NAQUELA ÉPOCA NÃO ERA FÁCIL, NÃO, TINHA QUE SE DESDOBRAR "

Praticamente, a equipe saía de madrugada com toda a Paulista deserta. " - Só gravamos de dia quando tinha alguma externa pra fazer como as feiras de games ou locadoras. O trabalho era cansativo, mas todos se ajudavam pra tudo dar certo no final." revelou Feijão.

No programa, Feijão não era apenas Operador de VT como também Gerente de Marketing. "- Isso! Produção independente naquela época não era fácil, não, tinha que se desdobrar ". Praticamente um faz tudo, Feijão, gentilmente, descreve. Quem aí aguentaria meia hora de anos 90 nos dias de hoje ?

 Fernando Reis (Feijão) atualmente.

Hoje em dia, Fernando Reis é músico contrabaixista. Já Eraldo, também um artista nato nas especialidades artísticas como judô e piano, se sente feliz com a lembrança e para ele: "- O Game TV foi uma época muito interessante profissionalmente". A edição do programa estava inicialmente sob responsabilidade da VTCine. Posteriormente, passou a ser gravado no estúdio Cryação.



CASSIANO BACELAR

"- Cassiano Ricardo Cavalcante Bacelar " foi assim que a menina Elisabeth recebia a primeira carta do fã número 1 do Game TV e o fã que praticamente marcaria a história dos bastidores do programa. 

Cassiano Bacelar foi uma peça importantíssima do Game TV. Sendo ele, muito próximo ao diretor Ricardo Yamada, como um fanático pelo programa (ele gravava todos os episódios), ajudou voluntariamente nas estruturas - praticamente um sócio declarado. 

Como câmera de vídeo particular era caro e raro, tudo acabava sendo alugado, e Yamada precisava de dinheiro para continuar com o programa. Mas Cassiano já trabalhava com luz e festas desde muito tempo e se ofereceu a ajudar no material. Vendeu carro e outros bens em favor de pagar uma dívida com a produtora já que o diretor o ofereceu ficar na produção. 



Em nossa conversa sobre quadrinhos, Cassiano relembra que foi graças a um desenho que ele foi enxergado pelo Game TV. "- Foi até por desenhar que minha carta se destacou no programa e fui chamado para ir lá" comenta. 

Cassiano se recorda de quando conheceu Elisabeth e a equipe: "- Sim! Fui lá receber um prêmio e os conheci no elevador aí comecei a frequentar o programa e a Liz me mandava mega beijo ao vivo no ar ". Exatamente como Liz revela em nossa entrevista (mas sem mencionar o nome do fã). Enfim, tudo se encaixa na história, agora.



Cassiano chegou a publicar suas revistas infantis - como um bom desenhista - e chegou a conhecer o Maurício de Sousa: " - Pude conhecer ele pessoalmente quando nos esbarrávamos nos corredores da Folha de São Paulo. " disse. 


Cassiano, ao ser questionado sobre as visitas e encontros do elenco e equipe: "- Lembro de ter ido na casa do Ricardo e dar carona para Liz " Em sua casa, ainda no Morumbi, era gravado o Disque Game TV. 

" PELO QUE O RICARDO FALAVA, ELE (GUGU) E BETO CARREIRO TIVERAM INTERESSE NO GAME TV "

Gugu Liberato e (até) Beto Carreiro tiveram interesse no programa Game TV. "- Mas, pela ficha policial que eu vi, Ricardo Yamada era um estelionatário, enrolava a todos. Também não se sabe aonde começa a verdade e termina a mentira" revela Cassiano, com mágoas do diretor (que possuía uma ficha criminal extensa), mas sempre amou o programa, a Liz e toda a equipe. Com ou sem dinheiro, todos levantavam o programa simplesmente por amor. 


E isso foi expressado pelo fim do programa, com a menina Elisabeth entristecida se despedindo e as luzes se apagando. Era notável, naquele exato momento, os sentimentos da jovem apresentadora - amargurada (e quase gaguejando) o sentimento que ela depositava no programa (do sorriso transparente ao momento sóbrio daquele fim). 


Cassiano Bacelar atualmente, o curador - o cavaleiro branco - do Game TV



Vale conferir o trabalho de sua empresa denominada como Crazy Kids - que também promoveu e fez parte de um campeonato recentemente. Segue descrição: 

Trabalhamos com locação de brinquedos eletrônicos e convencionais para festas. Somos da praia grande. Temos fliperamas multi jogos, vídeo games, piscina de bolinhas, tombo legal, basquete eletrônico, cama elástica, mesa de Air hockey, pebolim, gangorras, escorregadores, simulador de corrida e simulador de dança. Frete grátis para Mongaguá, praia grande e Boqueirão. Outras cidades sob consulta antecipadamente. Aceitamos todos cartões de débito e crédito. Contato via WhatsApp 11 99377-9726 ou telefone fixo 13 3493-2160.

Cassiano jamais se distanciou de sua função de "curador do game". Agora, anos após o Game TV, ele anima uma nova galera do game através de seu trabalho independente alugando máquinas para festas pela baixada santista - usando de seu acervo pessoal como colecionador de videogames e máquinas de Arcade. 


RICARDO YAMADA
 "-Olha só, um desenho de Taz - Mania. Parece com o nosso diretor." Liz, em raro momento do programa, brinca, associando a arte recebida ao diretor do programa, Ricardo Yamada - o sorteado que era ninguém mais e ninguém menos do que (ele mesmo): Cassiano Ricardo Cavalcante Bacelar.

O diretor do Game TV virou uma lenda por dirigir o primeiro grande programa de videogames na TV, o que parece ter despertando o interesse de Gugu Liberato e Beto Carreiro - comprovadamente o homem que ajudou a trazer os super-heróis japoneses para as telas da Manchete (o Walt Disney Brasileiro com grande pensamento empreendedor) quando todas as emissoras haviam recusado. 

Mas, provavelmente, da mesma forma que trouxe o milagre que reinventou a forma de se ver videogame na televisão, ele pode ter acabado com ela - com suas indecisões. Como descreveu seu  ex-sócio, Cassiano. 

Mas, quanto ao clima nos bastidores, apesar da rotina cansativa, tinha seus momentos de distração e a equipe se recorda com bastante divertimento e interesse. Guga considerava o diretor alguém muito amigável. Como pessoa e nos negócios, Ricardo Yamada - um japonês de grande visão no território brasileiro - era um gênio de controvérsias. 


Em uma das suas raras menções na mídia está em uma matéria publicada pela Folha de São Paulo em que comprova que Yamada usou o nome do programa, posteriormente, para denominar como sua produtora independente. 

São Paulo, Segunda - Feira, 29 de Maio de 1995 Folhateen 
__________________________________________________________________

DE REPORTAGEM LOCAL

O diretor Ricardo Yamada faz hoje a primeira exibição do piloto da minissérie ``Namoro". Produção independente da Game-TV, de São Paulo, o piloto será exibido na Pizza Bros, às 20h. Seguindo a trilha ``leia o livro, assista à peça e veja o seriado", ``Namoro" saiu do romance de Ilder Miranda e foi sucesso de público nos palcos. Agora chega ao vídeo com um primeiro episódio orçado em US$ 30 mil. Segundo Yamada, já estão escritos mais 48 episódios que terão duração de 30 minutos. Nem a rede Manchete nem Yamada confirmam um possível contrato. Para a versão televisiva, as três personagens originais aumentam para 14.
O roteiro é de Luís Carlos Fusco, que fez novelas da Globo, como ``Que Rei Sou Eu"; ``Meu Bem, Meu Mal" e ``Ti-ti-ti". ONDE ASSISTIR: Pizza Bros - rua Adolfo Tabacow, 79, Itaim.

Folha de São Paulo - Maio/ 95


Após o Game TV, Yamada continuou a investir no mundo do entretenimento tendo Feijão - Fernando Reis (o Operador de VT) - como seu parceiro na área técnica. " - Depois o Ricardo começou a fazer shows, ele comprava os shows e eu fazia a produção. Fizemos alguns shows da Rita Lee e do Lulu Santos. " relembra Feijão.

Embalado romanticamente pelas muitas músicas de sucesso daquela temporada (do Rock n' Roll ao Hip-Hop) - o Game TV era uma MTV dos videogames na TV 

É interessante essa transição de Ricardo Yamada - de um programa de games para a produção de shows de música. Olhando bem agora, essa transição parece ser natural, já que o programa contava com um acervo bem interessante e envolvente de músicas de fundo - com os hits da geração - algo MTV com videogames na TV e assim nasceu o Game TV. 

De diretor de um percursor programa de games à diretor de novelas, assim poderíamos resumir a vida profissional de Ricardo Yamada 

Como um empreendedor do entretenimento, Yamada investiu nas mais variadas plataformas (televisão, música e teatro).  A nossa busca pelo diretor chegava ao fim quando Guga noticiou que Ricardo Yamada veio a falecer por motivos de doença há muitos anos. Mas se o diretor estivesse vivo, o que ele estaria aprontando como empresário nos dias atuais ? 

Os direitos do programa, no entanto, parece ter ido para algo ainda maior que viria a se tornar um canal de televisão.  

O DEPOIS

Uma curiosidade em comum entre o elenco de apresentadores e a produção do Game TV é que todos continuaram seguindo muito bem na área do empreendedorismo. 

Luciano Amaral e Luiza Gottschalk - os apresentadores da segunda geração

O Game TV teve seus direitos vendidos à Gamecorp (uma sociedade da Oi - um dos maiores setores de comunicação do país), cujo dono era ninguém mais e ninguém menos do que o filho do ex-presidente Lula (o Lulinha). Agora o Game TV está a um passo de se tornar um canal de 24 horas por dia na TV.

Inspirado num título de um canal americano de games (G4 TV), no dia 31 de Agosto de 2003, estreava o G4 Brasil pela Rede Bandeirantes de Televisão, aos domingos pela manhã, inicialmente apenas para São Paulo. Com as exatas meia hora de duração (assim como o seu ancestral, o Game TV). Desta vez, tendo a frente Luciano Amaral (o ex-Mundo da Lua, seriado das manhãs da TV Globo entre 1991 e 1992)  e a modelo Luiza Gottschalk - a nova queridinha dos (agora) gamers - logo, Luiza era denominada como a " Musa dos Games " em todos os portais. 

Luiza foi a primeira a receber a denominação "Musa Gamer" da TV do século XXI 

Posteriormente, o programa passou a ganhar novos horários (à tarde e à noite). Já no período dos Sábados à noite, o programa já estava estendido para todo o território nacional - e foi aí que eu conheci o programa. Exibido numa noite da semana na Rede Bandeirantes, assim que vi o programa eu me surpreendi - por muito anos, desde o Game TV, eu não assistia a um programa de games na TV aberta. Tem ideia de que foram praticamente 10 anos de ausência de Game TV até ali? Pois é. Sem contar o StarGame, exibido pelo Multishow, em 2000, seriam uns 3 anos desde sua despedida da programação fechada (e foi mais ou menos nesse período que passei a conhecer o programa - algo que sempre quis conhecer desde sua estréia em 95).  
Do G4 Brasil ao Mix TV, o programa ganhou duas horas (imagine, um Game TV com duas horas de duração na programação? O Game TV - ou a reinvenção espiritual dele - estava retornando com tudo mesmo). Eram duas horas diárias de 2005 a 18 de Fevereiro de 2006 quando saiu do ar. 

De um programa de TV para um canal - em 5 de Junho de 2006 inaugurava a Play TV, substituindo a Rede 21. O novo canal por assinatura da Gamecorp veio com o intuito de estender o legado do Game TV através de conteúdo dos mais diversos setores da cultura pop. Imagine agora, um Game TV 24 horas por dia? Mais do que isso, um canal de informações sobre música, animes, filmes e jogos durante o dia inteiro. 

O Game TV dos anos 90 tinha os jogos como base mas quando se apresentava um jogo de um filme, exibições dos filmes também eram mostrados para serem reconhecidos com os jogos. E as músicas, ah, as músicas, uma completa inspiração da MTV. Espiritualmente, o Play TV aderiu todos os elementos do Game TV dos tempos de Ricardo Yamada e a tornou um mundo definitivo. 

Os comerciais e a programação trazia aquela experiência do Game TV - com atrizes jovens no comando. Das atrações, sem dúvida, vale destacar o genial Combo Fala + Joga - enquanto Luiza entrevistava os convidados, eles tinham que continuar jogando (e em certos momentos ela distraía com insinuações): "- Combo, Fala + Joga" ela reforçava quando o entrevistado se distraía muito apenas falando sem estar jogando. A linguagem era para um público mais velho para além dos 12 e 13 anos do Game TV. Era para um público jovem, que já estava passando dos 16 ou 18 anos, que já cresceu e viveu a geração dos anos 90.

Até os slogans do Play TV eram bem parecidos: "Se Liga na Play" remetendo ao "Se Liga no Game TV"

O Grupo Bandeirantes e a Gamecorp possuíam um contrato de 10 anos - compreendendo entre 2003 e 2013 - porém, insatisfeita com o Play TV, a Bandeirantes quebra o contrato e a emissora encerra o seu ciclo com apenas 2 anos de existência em 7 de Julho de 2008. O Game TV chegava então ao fim de seu segundo ciclo com mais popularidade e maior do que antes, é verdade, e antes da explosão dos canais de games na internet.  

No mesmo ano, reviveu para a TV fechada em 7 de Novembro de 2008 (completando 11 anos recentes). O Game TV ganhava então um novo fôlego espiritual - seu terceiro ciclo como Play TV. À partir desse momento, se torna independente do Grupo Bandeirantes e não mais uma TV via satélite e sim integrante das TV pagas. Aquele que um dia foi chamado de programa Game TV agora é uma emissora de TV fechada. 
Em 18 de Julho de 2017 às 19 horas, Game Over, comandado por Arthur Ribas, entra para a programação da Play TV. É o início de uma nova era.

E continua assim até hoje, tendo sua programação radicalmente variada como uma MTV. Seguindo as tendencias da nova geração, aonde You Tubers passam a ir para a TV (uma aposta mais barata), o canal Game Over acaba se tornando um dos destaques mais recentes (ou se não o maior) da programação de games que migrou dessa grande plataforma do momento. Sendo assim, uma conexão mútua entre conteúdo digital e televisivo. 

É o fim de uma era e o início de uma nova para o Game TV - entre TV e a internet




Bibliografia
Acontece
We Bossa - SiteInstagram
Soraya Pastor - Site - Instagram
Folha de São Paulo
Liz Reis -  Facebook (Perfil) - LEP Filmes - Canal Azul - Instagram - You Tube
Wikipédia
Ford Models Brasil - Site
SP Cultura
Papo de Bola (24 Horas)


AGRADECIMENTOS 
(MAIS DO QUE) ESPECIAIS
GUSTAVO PARAÍSO
LIZ REIS
SORAYA PASTOR
CASSIANO BACELAR
ERALDO DI NETO
FERNANDO REIS
STREET666
RICARDO FABRETTI
EDUARDO MARCELINO

3 Hit Combo :

Anônimo disse...

Fantástica biografia. Aguardando pelo documentário.
Att: William Wallace Bonner

Anônimo disse...

Mestre Ryu, você é o melhor. 10/ 10.

Alice Monteiro Diaz disse...

Não perdia um episódio do programa. Essa biografia me fez chorar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...